OFERTA FORMATIVA

Ref. 130T2-23-24 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120640/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 29-04-2024

Fim: 27-05-2024

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Francesco Luciani

Destinatários

Professores de Grupos de recrutamento 250, 610, M01 a M45

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Grupos de recrutamento 250, 610, M01 a M45. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Grupos de recrutamento 250, 610, M01 a M45.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Em cenários de aprendizagem cada vez mais digitais, é imperativo que os professores renovem e atualizem os próprios conhecimentos e práticas pedagógicas, adequando-os às novas exigências e perfil dos alunos, que hoje já são nativos digitais. Os conteúdos e recursos audiovisuais permitem criar novas dinâmicas comunicativas e interativas, com a utilização de recursos didáticos e pedagógicos apelativos, através da criação de vídeos que estruturam grandes volumes de informação numa narrativa compreensível, usando a imagem, o som, o movimento e a palavra. O objetivo deste curso é aplicar esta dinâmica às aulas de música, de educação musical e de instrumento. Para tal, propõe-se aos formandos criar vídeos didáticos musicais tendo por base a utilização do programa Filmora, que tem algumas caraterísticas que permitem melhor adequar a criação de vídeos didáticos à realidade das aulas de música. Assim, ao longo do curso, trabalha-se a forma como os professores das disciplinas musicais encaram esta ferramenta, e a sua capacidade de integrá-la, de forma oportuna, com as restantes ferramentas e estratégias pedagógicas que já utilizam. A finalidade é ajudar estes docentes a planear, criar e utilizar de forma pedagógica, os vídeos musicais, integrando-os na sua prática letiva e, ao mesmo tempo, envolvendo os seus alunos e preparando-os para utilizar este tipo de ferramenta para a criação do seu próprio portefólio de atividades musicais.

Objetivos

1. Reconhecer as potencialidades da utilização do vídeo como apoio à suas aulas musicais. 2. Entender o papel do vídeo enquanto recurso pedagógico. 3. Ser capazes de utilizar as funcionalidades básicas do programa Filmora para construir os seus vídeos musicais. 4. Criar um vídeo musical didático simples para utilizar no âmbito da sua disciplina.

Conteúdos

Módulo 1 | Utilização do vídeo enquanto recurso pedagógico: O impacto do vídeo na motivação dos alunos ; O papel do vídeo na transmissão de conhecimentos e conteúdos musicais ; Como utilizar o vídeo enquanto recurso pedagógico. Módulo 2 | Introdução ao Filmora: Apresentação do programa ; Exploração das funcionalidades básicas. Módulo 3 | A criação de um vídeo musical didático passo a passo: Planeamento do vídeo enquanto recurso didático; Criação dos conteúdos do vídeo ; Edição do material a inserir no vídeo ; Criação da versão final do vídeo.

Metodologias

Dinâmicas de grupo: · Pequenos debates que visam sedimentar conhecimentos e esclarecer quaisquer dúvidas que os formandos tenham acerca dos conteúdos do curso; . Criação e produção de um vídeo musical didático (atividade orientada e acompanhada pelo formador ao longo das sessões síncronas); · Métodos expositivo e demonstrativo (demonstração e utilização acompanhada de programas e ferramentas para construção de um vídeo musical didático).

Avaliação

Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 da responsabilidade conjunta do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua e da Direção Geral dos Recursos Humanos da Secretaria de Educação: Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8.9 valores; Bom - de 6.5 a 7.9 valores; Regular - de 5 a 6.4 valores; Insuficiente - de 1 a 4.9 valores

Bibliografia

COSTA, João Pedro da (2016). Da MTV para o Youtube : a convergência dos vídeos musicais. Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa D.L. Porto.DIAS-TRINDADE, Sara e MOREIRA, José António (2021). Educação digital para o desenvolvimento curricular e aquisição de competências transversais. Whitebookss. Santo Tirso.GORDON, Edwin E. (2015). Teoria de aprendizagem musical: competências, conteúdos e padrões. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa.NEJMEDDINE, Fouad e MOREIRA, José António (2016). O Vídeo como Dispositivo Pedagógico. Whitebookss. Santo Tirso.SILVA, Séfora (2016). Ensinar e Aprender com Tecnologias na Era Digital: Um script de aportes teórico-práticos. Whitebookss. Santo Tirso.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 29-04-2024 (Segunda-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online síncrona
2 03-05-2024 (Sexta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
3 06-05-2024 (Segunda-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online síncrona
4 08-05-2024 (Quarta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
5 13-05-2024 (Segunda-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online síncrona
6 15-05-2024 (Quarta-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online assíncrona
7 20-05-2024 (Segunda-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online síncrona
8 22-05-2024 (Quarta-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online assíncrona
9 27-05-2024 (Segunda-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online síncrona

Ref. 180t1-23/24 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121181/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 29-04-2024

Fim: 14-06-2024

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Joana Romão

Destinatários

Professores de GR. 110, 200, (910,920,930)

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de GR. 110, 200, (910,920,930). Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de GR. 110, 200, (910,920,930).

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A aprendizagem da leitura é uma competência complexa, que requer a conversão de grafemas nos fonemas correspondentes, envolvendo um adequado funcionamento de diversas funções neurocognitivas e a ativação de diferentes substratos neuronais. Para as crianças com Dislexia, esta aprendizagem é particularmente difícil, morosa e, muitas vezes, frustrante, provocando um crescente desinteresse pelo processo geral da aprendizagem e um risco acrescido de insucesso escolar. A Dislexia é uma Perturbação do Neurodesenvolvimento de origem multifatorial (e.g., genética, neurofuncional, neurocognitiva), que conduz a dificuldades na descodificação de palavras, na fluência leitora, no reconhecimento global da palavra e na competência ortográfica (Dislexia: teoria, avaliação e intervenção, 2018). A dislexia exige adequações curriculares no percurso dos estudantes. Estas adequações, consoante o caso do aluno, podem ser necessárias num maior ou menor grau (podem até não ser necessárias), e podem ser aplicáveis a uma unidade curricular e não a outra. As medidas de apoio a prestar estão, assim, relacionadas com ajustes a metodologias ou estratégias do processo de ensino e, também, com o formato da avaliação (por exemplo, a forma, a duração ou a periodicidade da avaliação). Um professor atento e capaz de adequar estratégias em contexto de sala de aula é fundamental para a motivação e aprendizagem das crianças com dificuldades de aprendizagem.

Objetivos

- Identificar os pré-requisitos necessários para a aprendizagem da leitura e da escrita; - Identificar as principais barreiras que os alunos com dislexia experienciam na aquisição da leitura e da escrita - Identificar as principais características da dislexia, disortografia e disgrafia; - Desenvolver estratégias de intervenção em contexto de sala de aula para melhorar a aprendizagem da leitura e escrita - Adaptar textos formativos informativos e sumativos atendendo ás características dos alunos disléxicos -

Conteúdos

Linguagem e Aprendizagem - Pré-requisitos para a leitura e escrita - Dislexia, Disortografia e Disgrafia - Desenvolver a leitura e escrita - Acomodações Curriculares- estratégias a aplicar em sala de aula - Adaptação de textos - como fazer na prática?

Metodologias

- Exposição teórica e prática, valorizando a aplicação de conteúdos e motivando o trabalho autónomo e cooperativo; -Recurso a plataformas digitais: sessões síncronas e assíncronas -Comunicação com formadores, entre formandos, em comunidade pedagógica de partilha e reflexão, esclarecimento de dúvidas. -Acompanhamento individual e personalizado, resolução de problemas e acompanhamento em projetos individuais; - Partilha de ficheiros: material de suporte aos conteúdos programáticos, ferramentas de trabalho, bibliografia.

Avaliação

De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

SIM-SIM, Inês. Desenvolvimento da Linguagem. Universidade Aberta, 1998MOURA, Otávio, PEREIRA, Marcelino & SIMÕES, Mário R. Dislexia. 1ª Edição. Pactor. 2018ROMBERT, Joana. O Gato comeu-te a língua?. 2ª Edição. A Esfera dos Livros, 2015ROMBERT, Joana. Escrever Direito por Linhas Tortas, 1ª Edição. Manuscrito, 2020.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 29-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
2 03-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
3 08-05-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
4 08-05-2024 (Quarta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
5 14-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
6 31-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
7 31-05-2024 (Sexta-feira) 20:00 - 21:00 1:00 Online assíncrona
8 04-06-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
9 04-06-2024 (Terça-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online assíncrona
10 12-06-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
11 12-06-2024 (Quarta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
12 14-06-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 184t1-23/24 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121984/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 02-05-2024

Fim: 25-06-2024

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Liliana Manuela Cruz Melo

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A política educativa desenvolvida a partir de 2016 estabelece-se pela definição de alguns pilares que se complementam e que só se efetivam quando trabalhados em conjunto: O Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória; As Aprendizagens Essenciais; A Educação Inclusiva; A estratégia Nacional de Educação para a Cidadania; O Plano de Ação para a Transição Digital. As Bibliotecas Escolares são um dos órgãos vitais da escola, na certeza de que o currículo se cumpre também na biblioteca, através da biblioteca e com a biblioteca. São dotadas de recursos, serviços e tecnologias que podem enriquecer o currículo e a prática de ensino e apresentam-se como lugares de saber e inovação. Ter a biblioteca escolar, lugar de aprendizagem e de inclusão, como parceira constitui uma mais-valia na vertente pedagógica e curricular, através do enriquecimento e diversificação de práticas, da exploração de ambientes, recursos e estratégias de ensino variados e da integração nas atividades escolares das literacias digitais, da informação e dos média. A Rede de Bibliotecas Escolares oferece um conjunto de documentos orientadores que conduzem a ação das bibliotecas escolares: o referencial Aprender com a biblioteca escolar, o Modelo de Avaliação das Bibliotecas Escolares e em 2021, foi introduzido o Quadro Estratégico 2021-2027, que se baseia em diagnósticos e orientações nacionais e internacionais, entre outros.

Objetivos

- Refletir sobre o papel das bibliotecas escolares como espaços inovadores de aprendizagem e formação no apoio às aprendizagens. - Conhecer as valências do portal da RBE para fundamentar e apoiar a ação da biblioteca escolar. - Formar os docentes de forma a impulsionar a criação de serviços e programas que contribuam para a implementação / operacionalização do referencial - Aprender com a biblioteca escolar como um instrumento facilitador na concretização de praticas pedagógicas inovadoras. - Estimular o uso de estratégias pedagógicas e metodologias inovadoras, capazes de contribuírem para o sucesso escolar, integrando as potencialidades da biblioteca escolar. - Partilhar conhecimentos e experiências entre professores bibliotecários e docentes das várias áreas do saber.

Conteúdos

1.ª Sessão - Sessões Teórico / Prática Apresentação dos formandos. Conteúdos, metodologia e avaliação dos formandos. Apresentação e exploração do Padlet da turma. A missão da Biblioteca Escolar no contexto da escola atual. 2.ª Sessão- Sessões Teórico / Prática Documentos orientadores que conduzem a ação das bibliotecas escolares. As linhas de atuação definidas no Quadro Estratégico 2021-2027 Bibliotecas Escolares. Modelo de Avaliação da Biblioteca Escolar. Aprender com a biblioteca escolar - oportunidades para a articulação do currículo com a biblioteca escolar. 3.ª Sessão:- Sessões Teórico / Prática Estratégias para estabelecer parcerias eficazes com a biblioteca Portal da RBE: um recurso de apoio às aprendizagens. Explorar a arquitetura do portal, localizando os conteúdos disponibilizados. 4º sessão - Sessões Teórico / Praticas Explorar a organização das secções específicas do portal RBE: Projetos / Recursos Cidadania e biblioteca escolar | pensar e intervir - Propostas de atividades. 5º sessão -Aprender com a Biblioteca Escolar Crescer com a leitura - propostas de atividades para desenvolvimento da literacia da leitura. Saber usar os media - propostas de atividades para desenvolvimento da literacia dos media. 6º sessão - Aprender com a Biblioteca Escolar Dominar a informação - propostas de atividades para desenvolvimento da literacia da informação. Tutoriais para apoio ao desenvolvimento da literacia da informação e media. 7.ª Sessão- Sessões Teórico / Prática Biblioteca Escolar Digital: estratégias e instrumentos Exploração de algumas ferramentas digitais e recursos online. Promoção da literacia digital. 8.º Sessão: Apresentação e discussão do portefólio dos formandos; Reflexão sobre as repercussões da formação na prática pedagógica.

Metodologias

Na primeira sessão, serão apresentados os objetivos da ação, conteúdos, metodologias, calendarização, critérios de avaliação orientações para a criação de um portfólio digital. Ao longo das sessões, centradas na metodologia de aprendizagem por execução de tarefas, fomentar-se-á o trabalho individual e em grupo. As propostas de trabalho serão realizadas, na lógica do trabalho colaborativo entre a biblioteca escolar e os docentes, privilegiando-se atividades integradoras, numa disciplina/ área disciplinar e área transversal, e sempre articuladas com os contextos e as experiências profissionais dos formandos, perspetivando novos rumos e metodologias que se traduzam em práticas inovadoras. Na abordagem das ferramentas digitais, a formadora iniciará com um momento expositivo/demonstrativo, em interação com os formandos. Seguidamente, os formandos, de forma individual e, em alguns casos, em grupos e ou a pares, passarão à exploração das ferramentas e à reflexão sobre as suas potencialidades educativas.

Avaliação

Avaliação contínua. Participação dos formandos nas atividades a desenvolver ao longo das sessões. Avaliação dos trabalhos produzidos pelos formandos individualmente ou em grupo. Relatórios individuais dos formandos. - Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação nas sessões de formação (30%) - Realização das atividades práticas (40%) - Relatório final de reflexão crítica (30%) A avaliação expressa-se de acordo com a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado na Carta Circular CCPFC-3/2007, de 26 de setembro, respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua de professores

Bibliografia

Portal da RBE. Biblioteca Escolar Digital: curadoria de conteúdos. Disponível em https://www.rbe.mec.pt/np4/bed.html. Rede de Bibliotecas Escolares. (2021). A Biblioteca Escolar no Plano de Ação para o Desenvolvimento Digital da Escola. Disponível em https://www.rbe.mec.pt/np4/file/635/padde_be.pdf ; Rede Bibliotecas Escolares (2017). Aprender com a Biblioteca Escolar. Disponível em https://www.rbe.mec.pt/np4/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=99&fileName=referencial_2017;Rede de Bibliotecas Escolares. Bibliotecas Escolares: presentes para o futuro. Programa Rede de Bibliotecas Escolares: Quadro estratégico: 2021-2027 ISBN 978-989-8795-12-0. Disponível em https://rbe.mec.pt/np4/?newsId=890&fileName=qe__21.27.pdf; Rede de Bibliotecas Escolares. Serviço de referência nas bibliotecas escolares: orientações. Disponível em https://www.rbe.mec.pt/np4/file/598/servico_referencia.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 02-05-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
2 09-05-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 20:30 2:00 Online síncrona
3 15-05-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 22-05-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 29-05-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 05-06-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 11-06-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 18-06-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
9 25-06-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 153T1- 23/24 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116929/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 03-05-2024

Fim: 28-05-2024

Regime: e-learning

Local: Plataforma Zoom

Formador

Ana Maria Lopes dos Reis Ferreira

Maria da Conceição do Carmo Farinha Rodrigues Henriques

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

As mudanças e desafios que se colocam aos sistemas educativos na procura sistemática de uma educação de qualidade inclusiva, equitativa e à educação (UNESCO, 2015) em convergência com o Perfil do Alunos, a autonomia e flexibilização curricular, e as aprendizagens Essenciais, o DL. n.º 54/2018, de 6/7 que no seu conjunto pretendem a mudança de paradigma e define as normas que garantem a inclusão, enquanto processo que visa responder à diversidade das necessidades e potencialidades de todos e de cada um dos alunos. Assente no DUA e na abordagem multinível, baseia-se em modelos curriculares flexíveis, no acompanhamento e monitorização sistemática da eficácia do contínuo das intervenções. Em todo este processo, as Equipas Multidisciplinares de apoio a Educação Inclusiva assumem a centralidade pelo que, a capacitação dos docentes e dos elementos permanentes é fundamental, imprescindível e prioritária para a transformação das praticas escolares .

Objetivos

Enquadrar concetualmente a educação inclusiva (EI): Conceitos, princípios-chave e definições - Articular a EI com os documentos curriculares de referência: Perfil do Aluno e Aprendizagens Essenciais - Conhecer e aplicar os modelos DUA e IM; - Dominar o disposto no DL nº54/2018 e no Manual de Apoio à Prática (DGE, 2018) ; - Acompanhar e monitorizar a eficácia das medidas, regulação do seu trabalho e do funcionamento dos CAA.

Conteúdos

1 - Desafios e perspetivas da Educação Inclusiva - 2 sessões - A Escola e as competências para o Século XXI; - Referenciais Internacionais, Perfil do Aluno à saída da escolaridade obrigatória e Aprendizagens essenciais; - Enquadramento legal da Educação Inclusiva (D.L. 54, de 6 de julho): c. 2 - Abordagem multinível e medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão - Níveis de intervenção e medidas de suporte à aprendizagem: universais, seletivas e adicionais. 3 - Desenho Universal para Aprendizagem DUA: objetivos, estratégias de ensino, materiais e recursos e avaliação. 4- Operacionalização do enquadramento legal da Educação Inclusiva, D.L. 54, de 6 de julho. 4.1. Recursos específicos de apoio à aprendizagem e à inclusão -Recursos organizacionais: Equipa multidisciplinar de apoio à Educação inclusiva; Centros de apoio aprendizagem; 4.2. A Equipa Multidisciplinar em ação: funções e responsabilidades; 4.2.1. Que organização e funcionamento interno da Equipa? Que estratégias/mecanismos de comunicação e envolvimento entre elementos permanentes, variáveis, EE, alunos e serviços da comunidade? 4.2.2. Sensibilizar a comunidade educativa para a educação inclusiva: que estratégia? 4.2.3. Determinação da necessidade de medidas de suporte à aprendizagem e à inclusão: Processo, procedimentos e intervenientes. Documentos curriculares de referência 4.2.3. Identificação e proposta de medidas de suporte à aprendizagem e inclusão e documentos de suporte/0peracionais: Relatório Técnico Pedagógico, Programa Educativo Individual e Plano de Individual de Transição. 4.2.4. Acompanhamento e monitorização da eficácia da aplicação de medidas de suporte à aprendizagem: Quem? Como? Quando? O que fazer depois? 4.2.5. Aconselhamento aos docentes na implementação de práticas pedagógicas inclusivas; que referenciais? Em que contextos? Como se operacionaliza na prática? 4.2.6. Regulação do funcionamento do Centros de Apoio à Aprendizagem: Como? Com que instrumentos? Que indicadores? Quando e para quê? 5. Apresentação trabalhos de cada equipa à turma (auto e heteroavaliação)

Metodologias

Durante as sessões presenciais serão explorados os conteúdos através: -Apresentação estruturada de conteúdos suportada por meios audiovisuais; Visualização documentários, vídeos com reflexão e debate; - Discussão em grupo de textos, documentos, legislação e recurso indicativos do Manual; - Realização de trabalhos práticos de aplicação de conhecimentos e de procedimentos previstos no Decreto-lei nº54/2018 partindo de situações problema e de casos reais da experiência dos participantes. - Apresentação ao grande grupo, reflexão e debate.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. Escala de avaliação: Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8,9 valores; Bom - de 6,5 a 7,9 valores; Regular - de 5 a 6,4 valores; Insuficiente - de 1 a 4,9 valores. Considera-se classificação positiva toda e qualquer avaliação igual ou superior a 5, implicando atribuição de créditos de formação. As avaliações inferiores a 5 implicam reprovação do formando. Nessa avaliação serão tidos em conta alguns indicadores: - Participação na ação (contributos, pontualidade), realizada com base na observação direta feita pelo formador tendo como base a participação e desempenho dos formandos na realização dos trabalhos; - Trabalho autónomo realizado na ação, em grupo. - Reflexão individual critica do percurso formativo com a indicação dos impactos no desenvolvimento profissional e organizacional, com especial na ação da EMAE

Bibliografia

Azevedo, Joaquim. (2015). Nenhum aluno pode ser deixado para trás! É preciso renovar os processos pedagógicos e a organização das escolas. Comunicação apresentada na Conferência EPIS-Empresários pela Inclusão Social, sob o tema "Escolas de futuro", realizada na Fundação Calouste Gulbenkian, a 17 de março de 2015. Disponível em http://www.joaquimazevedo.com/Images/BibTex/Nenhum_aluno_pode_ser%20deixado_para_tr%C3 %A1s.pdfBooth, Tony & Ainscow, Mel (2002). Index for Inclusion: Developing Learning and Participation in Schools. CSIE.CAST (2011). Universal Design for Learning guidelines version 2.0. Wakefield, MA: Author. Cosme, Ariana (2017). Escolas e Professores no Séc. XXI: Exigências, desafios, compromissos e respostas. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 17, n. 53, p. 757-776, 2017Fernandes, D. (2014). Avaliação das aprendizagens e políticas educativas: o difícil percurso da inclusão e da melhoria. In M. L. Rodrigues (Org.), Quarenta anos de políticas de educação em Portugal: A construção do sistema democrático de ensino (Volume I, pp. 231-268). Coimbra: Almedina. Disponível em: http://hdl.handle.net/10451/16010UNESCO, A Guide for Ensuring Inclusion and Equity in Education. Paris: UNESCO, 2017.


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível na sua área pessoal.Caso pretenda envio, por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 03-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 07-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 10-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 14-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
5 17-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 21-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 24-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
8 28-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona

Ref. 150T1 23/24 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116980/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 07-05-2024

Fim: 06-06-2024

Regime: e-learning

Local: online-zoom

Formador

Marta Gomes

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

As Bibliotecas Escolares deparam-se com novos recursos humanos, professores bibliotecários, professores com algumas horas na equipa e assistentes operacionais ou técnicos, sem conhecimentos na área da biblioteconomia. A análise de conteúdo de um recurso bibliográfico é essencial para a recuperação de informação numa biblioteca escolar, cujo papel principal é apoiar a comunidade escolar. Com os catálogos online em rede nos agrupamentos e concelhios torna-se prioritário a uniformização de dados. Esta formação é primordial para os recursos humanos das Bibliotecas Escolares porque necessitam de técnicas de análise de conteúdos para aplicar a classificação e indexação nos vários tipos de documentos.

Objetivos

No final da ação os formandos serão capazes de aplicar os princípios e técnicas necessárias à análise de conteúdo, indexação e classificação de documentos. Específicos: - Identificar os assuntos principais de um documento; - Compreender o papel da indexação nos catálogos: o acesso por assunto; - Definir Indexação e reconhecer as suas etapas; - Conhecer os diferentes sistemas e linguagens de indexação; - Proceder à indexação de documentos utilizando linguagens controladas; - Conhecer os princípios teóricos da classificação documental: classificar documentos utilizando a CDU (Classificação Decimal Universal), a FIAF (Federação Internacional de Arquivo de Filmes) e a BDVP (Bibliotecas e Discotecas da Cidade de Paris).

Conteúdos

-Organização e representação do conhecimento através de linguagens documentais controladas e específica - Indexação Operação destinada a representar através de uma linguagem documental, o resultado da análise do conteúdo de um documento, de modo a que possa ser recuperado no OPAC (catálogos informatizados). . Análise documental e análise de conteúdo . A indexação por assuntos . Linguagens controladas - Classificação . A classificação de um documento consiste na codificação por assunto através de um sistema de classificação que pode ser numérico ou alfanumérico. . A CDU (Classificação Decimal Universal) é um sistema de classificação que se baseia no conceito de que o conhecimento pode ser dividido em 10 classes principais, e estas podem ser subdivididas em subclasses, numa hierarquia decimal. . A FIAF (Federação Internacional de Arquivo de Filmes) - Tabela de Classificação de Documentos de Vídeo, de ficção e não ficção . A BDVP (Bibliotecas e Discotecas da Cidade de Paris) – Tabela de Classificação de Documentos Sonoros, por género musical. - Exercícios práticos Resolução de exercícios práticos de indexação e classificação de recursos bibliográficos.

Metodologias

- Organização e representação do conhecimento - sessão teórica - Indexação- Sessões teórico/práticas - Classificação - Sessões teórico/práticas - Exercícios Práticos - Sessões práticas

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação/realização das atividades práticas (30%) - Relatório final de reflexão crítica (70%) - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

-ALMEIDA, Ana Cristina e SANTOS, Manuela (org.)- CDU: Classificação Decimal Universal. Lisboa: Biblioteca Nacional, 2005. 891, [2] p. ISBN 972-565-353-5 -BLANC-MONTMAYEUR, Martine e DANSET, Françoise- Lista de Cabeçalhos de Assunto para Bibliotecas. Lisboa: Caminho, 1999. 311 p. ISBN 972-21-1289-9. IFLA - Manual Unimarc : formato bibliográfico. Lisboa : Biblioteca Nacional, 2008, 910 p. ISBN 978-972-565-439-2


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 07-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 09-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 14-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 21-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
5 23-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 28-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
7 06-06-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 11-06-2024 (Terça-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Online síncrona

Ref. 175t1-23/24 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120977/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 07-05-2024

Fim: 28-05-2024

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Vanessa Esmeralda Rodrigues Pereira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Como referido por Rosário (2005), a motivação tem um papel determinante na qualidade da aprendizagem das crianças e jovens no contexto educativo. Apesar da motivação ser um processo idiossincrático, a/os educadora/es podem influenciar positivamente os padrões motivacionais da/os mesma/os e, consequentemente, os seus comportamentos e desempenho escolar. Neste sentido, é fundamental explorar o conceito de motivação, as teorias associadas e as estratégias de autorredução da aprendizagem, a fim de desenvolver competências para entusiasmar as crianças e jovens a interessarem-se, envolverem-se e acreditarem no seu próprio percurso/caminho, sentido e propósito de vida. De facto, conseguindo direcionar a sua intenção para a ação no sentido de alcançar um determinado objetivo, as crianças e jovens apresentarão maior envolvimento escolar, sucesso e bem-estar. A exploração das abordagens cognitivas da motivação permite compreender os processos cognitivos e as variáveis de natureza cognitivo-afetiva envolvidas no processo motivacional (expetativas, atribuições, autoestima, perceções da autoeficácia, autonomia percebida, locus de causalidade, tipos de objetivos motivacionais, etc.), que determinam o comportamento motivado das pessoas nas situações de desempenho. É essencial promover processos de aprendizagem mais autónomos e autorregulados, proporcionando desta forma ainda maior escolha/autonomia, perceção de autoeficácia, envolvimento e aprendizagens mais significativas e de qualidade.

Objetivos

Caracterizar os conceitos de motivação, metacognição, autorregulação da aprendizagem e procrastinação; Explorar estratégias promotoras de comportamentos motivacionais no contexto educativo; Caracterizar a Teoria da motivação para a realização, a da atribucional da motivação e emoção, e a da Autodeterminação; Reconhecer o impacto da forma de antecipação emocional e atribuição causal, e das necessidades psicológicas na motivação intrínseca e no envolvimento escolar; Reconhecer a importância do estilo motivacional de autonomia da/os educadora/es, das competências de ajuda/comunicacionais e do feedback positivo e informativo; Valorizar a definição de objetivos orientados para aprendizagem e Concretos, Realistas e Avaliáveis no Modelo Planificação, Execução e Avaliação, e do enfoque no processo; Distinguir os tipos de conhecimento e instrução; Reconhecer a importância da modelação e da prática guiada e autónoma; Associar estratégias de autorregulação da aprendizagem e motivacionais;

Conteúdos

Sessão síncrona - Apresentação da ação de formação, dos parâmetros de avaliação, dos objetivos gerais e específicos, e do grupo de formação; Caracterização dos conceitos de motivação, metacognição, autorregulação da aprendizagem e proscratinação; Formas de aferir a motivação (escolha, persistência, esforço e rendimento); Sessão assíncrona - Questões-problemas para refletir os conteúdos; Sessão síncrona- Estratégias promotoras de comportamentos motivacionais no contexto educativo; Teoria da motivação para a realização; Impacto da forma de antecipação emocional na motivação; Teoria atribucional da motivação e emoção; Impacto da forma de atribuição causal na motivação; Sessão assíncrona - Questões-problemas para refletir os conteúdos; Sessão síncrona -Teoria da autodeterminação (Teorias das necessidades básicas e da avaliação cognitiva); Motivações intrínseca e extrínseca; Impacto das necessidades psicológicas (autonomia percebida, competência percebida e relacionamento) na motivação intrínseca; Impacto da motivação no envolvimento escolar (comportamental, cognitivo e emocional); Sessão assíncrona -Questões-problemas para refletir os conteúdos; Sessão síncrona - Importância do estilo motivacional de autonomia adotado pela/os educadora/es; Repercussões do mesmo na motivação intrínseca; Importância das competências de ajuda e comunicação facilitadoras (Respeito, afetividade, especificidade, autenticidade, autorrevelação do/a educador/a, confrontação e imediaticidade); Valorização dum relacionamento de qualidade e da adaptação às necessidades do contexto; Sessão assíncrona- Prática dos conteúdos explorados; Sessão síncrona- Impacto do feedback positivo e informativo na perceção de autoeficácia e motivação intrínseca; Importância da definição de objetivos orientados para aprendizagem e Concretos, Realistas e Avaliáveis (CRAVA) na motivação; Modelo PLEA - Planificação, Execução e Avaliação; Importância do enfoque no processo e não no resultado; Sessão assíncrona -Prática dos conteúdos explorados; Sessão síncrona - Tipos de conhecimento (declarativo, procedimental e condicional); Tipos de instrução associadas (instrução direta, modelação e prática guiada com feedback); Importância da sequência para promover a prática autónoma e a autorregulação da aprendizagem; Estádios de desenvolvimento (observação, imitação, autocontrolo e autorregulação); Sessão síncrona-Estratégias de autorregulação da aprendizagem; Associação com estratégias motivacionais; Síntese; Esclarecimento de dúvida; Avaliação do curso de formação; Conclusão da formação; Abertura em relação à próximas ações.

Metodologias

Ao longo das diferentes sessões da ação de formação de tipologia teórico-prática e principalmente prática, serão valorizadas as interações e partilhas, recorrendo aos diferentes métodos e técnicas pedagógicas, nomeadamente aos métodos interrogativo (formulação de perguntas) e ativo (tempestade de ideias, estudo de casos, jogo de papéis, trabalhos individuais e de grupo, etc.), na sala principal e nas salas em simultâneo. As reflexões de grupo também serão registadas, recorrendo à ferramentas digitais e plataformas. O recurso à vídeos facilitará, igualmente, a reflexão e a partilha no seio do grupo.

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação ativa na discussão /reflexão (30%) - realização das atividades práticas (30%) - Relatório final de reflexão crítica (40%) - Participação na apresentação/discussão/debate dos trabalhos realizados ao longo das sessões; - Elaboração de relatório final individual reflexivo. - De acordo com o Art. 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC- 1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

Almeida, L., Miranda, L & Guisande, M. (2008). Atribuições causais para o sucesso e fracasso escolares. Estudos de Psicologia /Campinas, 169-176;Niemiec, C. & Ryan, R. (2009). Autonomy, competence and relatedness in the classroom: Applying self-determination theory to educational practice. 7: 133. Theory and Research in Education;Reeve, J. (2013). Why teachers adopt a controlling motivating style toward students and how they can become more autonomy supportive. 44:3, 159-175. Educational Psychologist;• Rosário P. (2005). Motivação e aprendizagem – Uma rota de leitura;Fonte: Rosário et al. (2017). Manuais do Projeto MENTOR – Tutorias autorregulatórias. Grupo Universitário de Investigação em Autorregulação. Escola de Psicologia. Universidade do Minho.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 07-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 10-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 14-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 17-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 21-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 24-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 28-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 31-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 187t1-23/24 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122456/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 08-05-2024

Fim: 31-05-2024

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Niki Paterianaki

Destinatários

Professores dos Grupos 320, 330 e 350

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 320, 330 e 350. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 320, 330 e 350.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A educação cinematográfica nas escolas está a aumentar o envolvimento dos alunos, inspirando a criatividade e a inteligência socio emocional, melhorando o nível de instrução e comportamento. Os jovens recebem grande parte da sua educação, informação e entretenimento através de imagens e movimento nos ecrãs. Assim, é cada vez mais pertinente que os próprios docentes adquiram conhecimentos sobre a educação cinematográfica. A Comissão Europeia, em 2011, referindo-se à Screening Literacy- educação cinematográfica, definiu a literacia cinematográfica como: "O nível de compreensão de um filme, a capacidade de ser consciente e curioso na escolha de filmes; a competência para ver criticamente um filme e analisar o seu conteúdo, cinematografia e aspetos técnicos; a capacidade de manipular a sua linguagem e recursos técnicos na criação de produção de imagens em movimento".

Objetivos

- Promover atitudes reflexivas, e relacionar a aprendizagem com experiências próprias dos alunos; - Criar novos processos de aprendizagem através da arte cinematográfica: uma experiência de ensino que atua como memória emocional para o desenvolvimento de atitudes dos alunos; - Utilizar a narração digital como andaime para o estudo de qualquer tema académico; - Criar materiais para a exploração didática: guiões, ferramentas digitais, trabalhar com film clips; - Concretizar a planificação curricular (syllabus) que contemple o uso de filmes; - Aumentar a experiência educativa integrando arte e tecnologia no ambiente de aprendizagem.

Conteúdos

- Breve história da arte cinematográfica, origens, terminologia; - O papel do professor como facilitador, mediador e instrutor do processo de reflexão e análise- técnicas e planos de aula; - Como criar e explorar guiões (atividades pré-, durante e pós- visionamento) usando também ferramentas digitais (p.ex. Edpuzzle); - Ferramentas e técnicas para orientar os jovens a escrever, dirigir, atuar e editar os seus próprios filmes digitais curtos. Tornar a magia do cinema acessível aos jovens para envolver e enriquecer a vida de crianças e jovens desde o nível pré-escolar. - Instrução para levar os alunos à criação de uma animação em stop motion. - Passos de criação: Investigação do tema, envolvendo uma história convincente; Mapeá-lo num storyboard; Identificar conjuntos; Escrever um guião; Iluminação; Filmar; Editar as suas obras-primas. Utilizar a narração digital como andaime para o estudo de qualquer tema académico. - Processo de produção: tarefas de pré-produção de moldagem da história, aprendizagem de iluminação e técnicas de som, escrita do guião, e criação de uma lista de filmagens, a filmagem, produção e edição. - Realização de curtas, DOC filmes e diários digitais. Lista de verificação

Metodologias

A metodologia a utilizar será Teórico/Prática, sustentada em atividades práticas individuais e/ou em pequenos grupos de trabalho, com apresentação ao grande grupo dos resultados obtidos. Utilizar-se-ão apresentações em diversos suportes e privilegiar-se-á a reflexão, o debate e a discussão de ideias. Valorizar-se-á a emergência de processos de investigação-ação assentes numa lógica de relação entre teoria e prática ao longo de ciclos sucessivos (observar-refletir-planear-agir) no desenvolvimento do trabalho de construção de recursos a serem utilizados em sala de aula. Este curso pretende cobrir os aspetos práticos essenciais na utilização de métodos e técnicas de produção de filmes- Analisar várias abordagens: análise de filme baseada em texto (abordagem estrutural); análise baseada em tópicos (abordagem narrativa); abordagem de imagem e som (análise icónica); abordagem psicanalítica; abordagem histórica.

Avaliação

Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação /Contributos: - Participação nas sessões- 30% - Realização/Trabalho de aplicação de conteúdos: - Conceção, desenvolvimento e avaliação de recursos educativos- 30% - Relatório final de reflexão crítica (40%) - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

Alexander, R. (2008). Towards Dialogic Teaching. York: Dialogos.Alexander, R. (2010). Dialogic Teaching Essentials. Singapore: National Institute of Education.Framework for Film Education in Europe | BFI https://www2.bfi.org.uk/screening-literacy-film-education-europe Mc Givern, Alicia (2006). Transition Year Module in Moving Image Education Pilot Review: Dublin: Irish Film Institute. (http://www.ifco.ie/ifco/ifcoweb.nsf/lookupreports2/273FE266B2561440802572 EA00439554/$File/Pilot%20Review.pdf?openelement)O'Neill, B. and Howley, H. (2002). Teaching the Media in Ireland. In A. Hart & D. Süss (Eds.), Media Education in 12 European Countries A Comparative Study of Teaching Media in Mother Tongue Education in Secondary Schools. Zurich: Swiss Federal Institute of Technology.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-05-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 10-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 15-05-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 17-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
5 22-05-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 24-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
7 29-05-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 31-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona

Ref. 183t1-23/24 Inscrições abertas até 13-05-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122005/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 14-05-2024

Fim: 06-06-2024

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Paula Alexandrina Ribeiro Allen

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Embora os conceitos de igualdade de género, identidade e expressão de género sejam comuns no discurso atual em contexto escolar e junto de jovens, parece existir ainda a necessidade de clarificar conceitos e práticas, no sentido de promover o direito à autodeterminação da IG, e combater a discriminação OIEC. Apesar dos avanços legislativos e das medidas em curso, a violência e a discriminação persistem, em diversas etapas e contextos da vida das pessoas, com riscos e ameaças ao exercício dos seus direitos fundamentais. Assim, a discriminação- OIEC faz parte dos problemas que devemos combater coletivamente e de forma ativa, nomeadamente em contexto escolar. A Lei n.º 60/2009, de 6 de agosto, que estabelece o regime de aplicação da educação sexual em meio escolar, aponta, entre as suas finalidades, a valorização da sexualidade e afetividade entre as pessoas no desenvolvimento individual, respeitando o pluralismo das conceções existentes na sociedade portuguesa; a melhoria dos relacionamentos afetivo-sexuais de jovens; o respeito pela diferença entre as pessoas e pelas diferentes orientações sexuais; a eliminação de comportamentos baseados na discriminação sexual ou na violência em função do sexo ou orientação sexual, aspetos a ser trabalhados ao longo da escolaridade e que contribuem para a promoção da vivência segura e saudável da sexualidade, combatendo a violência e a discriminação. Por seu lado, a Lei n.º 38/2018, de 7 de agosto, que estabelece o direito à autodeterminação da IG e expressão de género e o direito à proteção das características sexuais de cada pessoa, expresso no nº 1, do artigo 12.º.

Objetivos

São objetivos gerais desta formação: - Aquisição ou reforço da sensibilidade e do conhecimento sobre as pessoas LGBTI +; - Aquisição ou reforço do conhecimento e da qualificação dos/as profissionais da educação para as especificidades da intervenção junto de pessoas LGBTI+; - Aquisição ou reforço de um conjunto de conhecimentos e de competências que permita realizar o trabalho, na área da educação, com pessoas LGBTI+, de forma rigorosa, dinâmica e crítica.

Conteúdos

Módulo 1 CONHECIMENTO . Conceitos específicos sobre orientação sexual e identidade e expressão de género; Insulto, invisibilidade e isolamento com base na orientação sexual; . Pessoas trans e identidade de género; . Definição da discriminação em função da orientação sexual da identidade de género e das caraterísticas sexuais à nascença; . A importância da terminologia; . Sinais sociais evidentes de discriminação; . Discriminação direta v. indireta; . Saber identificar a discriminação; . Desconstrução de estereótipos baseados no género e na orientação sexual. Módulo 2 CONSCIÊNCIA . Atividades de ampliação da consciência de si (enquanto profissional) e desconstrução de estereótipos baseados no género e na orientação sexual; . Atividades de ampliação da consciência do/a outro/a (discussão de vídeos e testemunhos); . Contextualização sobre a população LGBTI+ em Portugal: legislação e discriminação; . O quadro jurídico em Portugal; . A importância dos Direitos Humanos e o enquadramento internacional; . Conceito de crimes de ódio; . Impacto nas vítimas e sociedade; . Conceito e enquadramento da violência doméstica; . Mitos sobre a violência doméstica entre pessoas do mesmo sexo. Módulo 3 COMPETÊNCIAS . Micro-agressões com base na orientação sexual e identidade e expressão de género; . Boas práticas no trabalho com pessoas LGBTI+; . Guidelines nacionais e internacionais; . Materiais de apoio; . Especificidades e recursos para vítimas de violência doméstica LGBTI; . Competências e instrumentos para combater a discriminação; . Produtos transferíveis (ex: manuais de boas práticas, códigos de conduta); . Parcerias com outros setores e trabalho em rede com ONGs.

Metodologias

As sessões serão teórico-prática e serão utilizadas metodologias expositivas, interrogativas e ativas (tempestade de ideias, estudo de casos, jogo de papéis, trabalhos individuais e de grupo, etc.)

Avaliação

- Participação nas atividades(30%) - Realização das atividades práticas (30%) - Relatório final de reflexão crítica (40%) - De acordo com o Art. 46.º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC- os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

Coleman, E., Bockting, W., Botzer, M., ... & Monstrey, S. (2012). Standards of Care for the Heatlh of Transsexual, Transgender, Gender-nonconforming people. International Journal of Transgenderism;Moleiro, C., Pinto, N., Oliveira, J. M. D., & Santos, M. H. (2016). Violência doméstica: boas práticas no apoio a vítimas LGBT: Boas práticas para profissionais de estruturas de apoio a vítimas. Lisboa: Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género; OPP (2017). Guia Orientador da Intervenção Psicológica Com Pessoas Lésbicas, Gays, Bissexuais e Trans (LGBT); American Psychological Association. (2012). Guidelines for psychological practice with lesbian, gay, and bisexual clients. Ameri Psychologist;BUTLER, Judith. Críticamente subversiva. In: JIMÉNEZ, Rafael M. Mérida. Sexualidades transgresoras. Una antología de estudio queer. Barcelona: Icária editorial, 2002;BUTLER, Judith. Problemas de Gênero. Feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008; MISKOLCI, Richard. A teoria queer e a sociologia: o desafio de uma analítica da normalização. Sociologias. Porto Alegre, ano 11 1, n. 29, 2009.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 14-05-2024 (Terça-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Online síncrona
2 16-05-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Online síncrona
3 21-05-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 23-05-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Online síncrona
5 27-05-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Online síncrona
6 29-05-2024 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 04-06-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
8 06-06-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona

INSCREVER-ME

Ref. 195t1-23/24 Inscrições abertas até 10-05-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: ACD14

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 18-05-2024

Fim: 25-05-2024

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CDCP - Conselho de Diretores da Comissão Pedagógica

Enquadramento

É conhecida a grande relevância das operações cognitivas no processo criativo e como o estímulo da criatividade leva a um bom nível de desenvolvimento intelectual e à possibilidade de usar estratégias de pensamento que impactam positivamente no desenvolvimento de competências comunicativas, designadamente de escrita e da leitura. O formador orientará os participantes através da aplicação de estratégias pedagógicas e métodos de criação potenciadores de uma escrita original e de qualidade sobre a prática da escrita criativa, a construção de ambientes estimulantes e o desbloqueio para a escrita, desenvolvendo, assim, melhores competências comunicativas.

Objetivos

Escrever bem e de forma criativa é, mais do que nunca, uma ferramenta fundamental em todas as áreas, quer pessoais, quer profissionais. Esta ação formativa sobre Escrita Criativa tem como objetivos fundamentais: - Fazer de cada um dos participantes alguém capaz de escrever textos originais e ter flexibilidade criativa para se adaptar a qualquer tipo de composição escrita. - Estimular a aplicação dos princípios de geração de ideias. - Estimular a criatividade, a imaginação e sensibilidade. - Desenvolver a competência linguística.

Conteúdos

-Esta ação pretende estabelecer orientações sobre a prática da escrita criativa, a construção do ambiente estimulante, o desbloqueio para a escrita. -Serão realizadas abordagens ativas e métodos de criação potenciadores de uma escrita original e de qualidade. Mas, afinal, o que é a Escrita Criativa? Para que serve? Como poderei escrever melhor? Como poderei comunicar melhor por escrito? O que conquista um leitor? A resposta a estas e a muitas outras perguntas será dada nesta ação formativa, dinamizada por um escritor que já vendeu mais de um milhão de livros em todo o mundo.

Metodologias

Teórica-Prática

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos: - Registo da assiduidade - Participação dos formandos

Modelo

Questionário de avaliação aplicado aos participantes na ACD

Bibliografia

BARBEIRO, Luís F. T. (1994). Consciência Metalinguística e Expressão Escrita. Porto, Edições Asa FREITAS, Pedro Chagas(2022). A Raridade das Coisas Banais. Oficina do Livro. MORAIS, M. F. (2001) – Definição e Avaliação da Criatividade. Braga Instituto de Educação e Psicologia, Universidade do Minho NORTON, C. (2001) - Os Mecanismos da Escrita Criativa Lisboa, Temas e Debates


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-05-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
2 25-05-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona

INSCREVER-ME

Ref. 124T2-23-24 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120595/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 20-05-2024

Fim: 07-06-2024

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Sónia Pereira Camba

Olga Margarida Paulo de Sá

Destinatários

Professores dos Grupos 910, 920, 930

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 910, 920, 930. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 910, 920, 930.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A formação procura dotar os formandos com conhecimento princípios e valores da Educação Inclusiva e Equitativa, estratégias de diferenciação pedagógica, medidas educativas, metodologias de avaliação e monitorização das aprendizagens, para que cada aluno possa intervir, participar, adquirir saber e desenvolver competências essenciais para a sua vida quotidiana, autodeterminação e autonomia. A legislação sobre Educação Inclusiva, em Portugal foi implementada há quatro anos atrás, ainda surgem muitas dúvidas na sua operacionalização, por isso considera-se que será importante para os profissionais a oportunidade de terem acesso a conteúdos formativos atualizados, numa perspetiva universal, de refletirem conjuntamente, de produzirem conhecimento, e de terem acesso à partilha de experiências profissionais, que possam contribuir para uma prática educativa mais eficaz e coesa.

Objetivos

1- Reconhecer os princípios e valores que estão na base da Educação Inclusiva e Equitativa. 2- Reconhecer a importância da Intervenção Precoce como mais valia na articulação e intervenção em contexto escolar. 3- Conhecer o processo de desenvolvimento da transição entre ciclos. 4- Conhecer o conceito de Perturbação do Espectro do Autismo e proposta de metodologias de intervenção. 5- Correlacionar o processo de ensino-aprendizagem, atendendo ao Desenho Universal de Aprendizagem e o Perfil do Aluno à Saída da Escolaridade Obrigatória. 6- Refletir sobre as medidas educativas a aplicar atendendo às necessidades do aluno com PEA. 7- Delinear propostas de intervenção pedagógica/definição de estratégias pelo docente, de acordo com o perfil do aluno do Perturbação do Espectro do Autismo (PEA). 8- Implementar mecanismos de avaliação e monitorização do processo educativo do aluno com PEA. 9- Refletir sobre o envolvimento da família no percurso educativo do aluno e sobre a continuidade do reforço da participação e aprendizagem em contexto familiar.

Conteúdos

1. Educação inclusiva 1.1 Princípios e valores da Educação Inclusiva e Equitativa 1.3 Equidade no acesso a uma Educação de Qualidade 1.4 Oportunidades Educativas 1.5 Valorização da diversidade 1.6 Princípio da não discriminação 2. Políticas Educativas para a Inclusão: legislação em Portugal. 3. Perturbação do Espectro do Autismo 3.1 Caraterísticas da Perturbação do Espectro do Autismo. 4. A Aprendizagem e a Participação 4.1 Aplicação de medidas de apoio integrado centrado na criança e na família; a aplicação de medidas educativas, tendo por base a legislação como suporte à aprendizagem e à inclusão: Decreto-Lei 281/2009, de 6 de outubro; Decreto-Lei 54/2018, de 6 de julho, na sua redação atual. 4.2 Abordagem Multinível e o Desenho Universal para a Aprendizagem; 4.3 Estratégias de diferenciação pedagógica e intervenção nos diversos contextos de aprendizagem; 4.4 A avaliação e a monitorização do processo educativo; 4.5 O envolvimento da Família no percurso educativo do aluno.

Metodologias

As sessões síncronas terão na sua base metodológica a apresentação científica de conceitos e desenvolvimento de conteúdos, fomentando o diálogo construtivo e a partilha de experiências profissionais. O formando terá oportunidade de participar ativamente através de dinâmicas de brainstorming, quizz, visualização de vídeos/músicas, análise de documentos/casos-exemplo e trabalhos de grupo. Nas sessões assíncronas privilegiar-se-á a pesquisa orientada, a reflexão e a elaboração de trabalhos individuais práticos (análise de casos e propostas de estratégias de intervenção, de acordo com o partilhado nas sessões síncronas). Em suma, a metodologia seguirá uma vertente teórico-prática.

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação ativa na discussão /reflexão-30% -Realização das atividades práticas-30% - Relatório final de reflexão crítica-40% - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

1.American Psychiatric Association. Diagnostic and statistical manual of mental disorders: DSM 5. American Psychiatric Publishing Inc, Washington DC, abril de 2013. 2.Claparède, Edouard (1920). L`école sur mesure. Genève: Payot. 3.Colôa, Joaquim (2014). Avaliação para as aprendizagens de alunos com necessidades educativas especiais no 1º ciclo de ensino básico: da diversidade da avaliação à avaliação da diversidade. Universidade de Lisboa. Lisboa. 4.Habermas, Jürgen (1989). The structural transformation of the public sphere. Cambridge: Polity. 5. Nóvoa, António (2009). Professores, Imagem do Futuro Presente. Educa. Instituto de Educação, Universidade de Lisboa. Lisboa.


Observações

A aguardar confirmação de cronograma

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 20-05-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
2 23-05-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
3 24-05-2024 (Sexta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online assíncrona
4 27-05-2024 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
5 28-05-2024 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
6 31-05-2024 (Sexta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online assíncrona
7 04-06-2024 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
8 07-06-2024 (Sexta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona

Ref. 179T2 23/24 Inscrições abertas até 24-05-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121205/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 28-05-2024

Fim: 26-06-2024

Regime: e-learning

Local: online-zoom

Formador

Francesco Luciani

Destinatários

Professores de Grupos de recrutamento 250, 610, M01 a M32.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Grupos de recrutamento 250, 610, M01 a M32.. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Grupos de recrutamento 250, 610, M01 a M32..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A Inteligência Artificial já existe há alguns anos, mas desde o início de 2023 houve uma explosão na utilização desta tecnologia, que tem sido transversal a todas as áreas sociais, incluindo a cultura, a música e a educação. Esta realidade afeta potencialmente a forma como os músicos iniciantes abordam a aprendizagem da música e de um instrumento musical, e irá, inevitavelmente, ter impacto na forma como a educação musical e o ensino da música serão ministrados num futuro que talvez pode não estar assim tão distante. Atualmente já é possível usar a Inteligência Artificial (IA) para pesquisar músicas através de acordes, visualizar diagramas de acordes e partituras e separar fontes de som em diferentes músicas. Portanto, podemos dizer que a IA está a abrir novas possibilidades para o ensino musical. De facto, a nível internacional os estudos mais recentes já começam a evidenciar que pode já não existir uma abordagem uniforme e padronizada às aulas de música. Por outro lado, os investigadores sublinham que a evolução tecnológica proporciona mais oportunidades para personalizar as metodologias e criar novas formas e paradigmas de aprendizagem musical. O curso "A utilização da Inteligência Artificial no Ensino da Música" tem por objetivo principal ajudar os professores de música, educação musical e do ensino artístico especializado, a refletir sobre esta nova realidade e sobre a forma como podem adotar e adaptar as tecnologias ligadas à IA à sua forma de ensinar e trabalhar diferentes músicas e estilos musicais com os seus alunos.

Objetivos

No final da ação de formação, os formandos serão capazes de: 1. Refletir sobre o papel da Inteligência Artificial (IA) na Educação e as mudanças que esta nova realidade pode implicar ao nível do ensino-aprendizagem. 2. Compreender como é que a crescente utilização da IA na criação e produção musical em geral pode influenciar a perceção que os alunos de música e instrumento têm sobre a música e a aprendizagem musical. 3. Perceber como é que a IA pode ser utilizada no âmbito do ensino da música. 4. Ser capazes de entender como podem utilizar ferramentas de IA básicas para criar recursos didáticos musicais simples de apoio às suas aulas.

Conteúdos

Módulo 1 | A Inteligência Artificial no Ensino e Aprendizagem Possibilidades da IA para o Ensino; A ética da utilização da IA no Ensino; O presente e o futuro da IA na Aprendizagem; O impacto da IA nos modelos de Ensino-Aprendizagem; Exemplos internacionais de utilização da IA na Educação Módulo 2 | A Inteligência Artificial na Música O impacto da IA na criação musical vs o impacto da IA na performance musical; Os desafios da IA para a criatividade e criação musical; Perspetivas de futuro: a IA e o mundo da Música Módulo 3 | A Inteligência Artificial e o Ensino da Música O contributo da IA para o Ensino e aprendizagem da música Ferramentas IA para o Ensino da Música Exemplos da utilização da IA para a criação de recursos didáticos musicais

Metodologias

O curso tem caráter teórico-prático, desenvolvendo-se em ambiente e-Learning. Plataformas a utilizar ao longo da formação: · Moodle (sessões assíncronas); · Zoom (sessões síncronas). SESSÕES ASSÍNCRONAS Ferramentas didáticas a utilizar: · Recursos multimédia (som e vídeo), · e-Manuais digitais (material escrito sob a forma de manual digital), · Perguntas de resposta aberta, · Fóruns, · Glossários, · Salas de discussão, · Formulários, · Email. Tutoria do formador: · Intervenções nos fóruns e salas de conversação, · Resposta a mensagens com dúvidas e outras solicitações sobre o curso. SESSÕES SÍNCRONAS Metodologia: · Dinâmicas de grupo; · Pequenos debates que visam sedimentar conhecimentos e esclarecer quaisquer dúvidas que os formandos tenham acerca dos conteúdos do curso; · Métodos expositivo e demonstrativo (demonstração, experimentação e utilização acompanhada de programas e ferramentas de Inteligência Artificial aplicadas à Música e Didática Musical

Avaliação

Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 CCPFC- «Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8.9 valores; Bom - de 6.5 a 7.9 valores; Regular - de 5 a 6.4 valores; Insuficiente - de 1 a 4.9 valores.» Os formandos serão avaliados de acordo com os seguintes critérios: 30% - Saber-estar: netiqueta, participação, pertinência e qualidade das intervenções realizadas (síncronas e assíncronas). 30% - Realização das atividades propostas (exercícios e atividades ao longo do curso com vista à exploração de ferramentas simples de IA ligadas à Música e ao Ensino da Música + trabalho final de reflexão escrita sobre o tema da inteligência artificial). 40% - Reflexão crítica final.

Bibliografia

AGRAWAL, Ajay (2020). Inteligência artificial (Harvard Business Review). Actual Editores. Lisboa.OLIVEIRA, Arlindo (2019). Inteligência Artificial. Fundação Francisco Manuel dos Santos. Lisboa.GONÇALVES, Vitor, MOREIRA, José António e CORRÊA, Ygor (2019). Educação e Tecnologias na Sociedade Digital. Whitebookss. Santo Tirso.SILVA, Séfora (2016). Ensinar e Aprender com Tecnologias na Era Digital: Um script de aportes teórico-práticos. Whitebookss. Santo Tirso.GORDON, Edwin E. (2015). Teoria de aprendizagem musical: competências, conteúdos e padrões. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-05-2024 (Terça-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
2 31-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online assíncrona
3 03-06-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online assíncrona
4 05-06-2024 (Quarta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
5 06-06-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online assíncrona
6 07-06-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online assíncrona
7 12-06-2024 (Quarta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
8 13-06-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online assíncrona
9 17-06-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online assíncrona
10 19-06-2024 (Quarta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
11 20-06-2024 (Quinta-feira) 17:00 - 20:00 3:00 Online assíncrona
12 26-06-2024 (Quarta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona

INSCREVER-ME

Ref. 179t1-23/24 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121205/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 29-05-2024

Fim: 25-06-2024

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Francesco Luciani

Destinatários

Professores de Grupos de recrutamento 250, 610, M01 a M32.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Grupos de recrutamento 250, 610, M01 a M32.. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Grupos de recrutamento 250, 610, M01 a M32..

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A Inteligência Artificial já existe há alguns anos, mas desde o início de 2023 houve uma explosão na utilização desta tecnologia, que tem sido transversal a todas as áreas sociais, incluindo a cultura, a música e a educação. Esta realidade afeta potencialmente a forma como os músicos iniciantes abordam a aprendizagem da música e de um instrumento musical, e irá, inevitavelmente, ter impacto na forma como a educação musical e o ensino da música serão ministrados num futuro que talvez pode não estar assim tão distante. Atualmente já é possível usar a Inteligência Artificial (IA) para pesquisar músicas através de acordes, visualizar diagramas de acordes e partituras e separar fontes de som em diferentes músicas. Portanto, podemos dizer que a IA está a abrir novas possibilidades para o ensino musical. De facto, a nível internacional os estudos mais recentes já começam a evidenciar que pode já não existir uma abordagem uniforme e padronizada às aulas de música. Por outro lado, os investigadores sublinham que a evolução tecnológica proporciona mais oportunidades para personalizar as metodologias e criar novas formas e paradigmas de aprendizagem musical. O curso "A utilização da Inteligência Artificial no Ensino da Música" tem por objetivo principal ajudar os professores de música, educação musical e do ensino artístico especializado, a refletir sobre esta nova realidade e sobre a forma como podem adotar e adaptar as tecnologias ligadas à IA à sua forma de ensinar e trabalhar diferentes músicas e estilos musicais com os seus alunos.

Objetivos

No final da ação de formação, os formandos serão capazes de: 1. Refletir sobre o papel da Inteligência Artificial (IA) na Educação e as mudanças que esta nova realidade pode implicar ao nível do ensino-aprendizagem. 2. Compreender como é que a crescente utilização da IA na criação e produção musical em geral pode influenciar a perceção que os alunos de música e instrumento têm sobre a música e a aprendizagem musical. 3. Perceber como é que a IA pode ser utilizada no âmbito do ensino da música. 4. Ser capazes de entender como podem utilizar ferramentas de IA básicas para criar recursos didáticos musicais simples de apoio às suas aulas.

Conteúdos

Módulo 1 | A Inteligência Artificial no Ensino e Aprendizagem Possibilidades da IA para o Ensino; A ética da utilização da IA no Ensino; O presente e o futuro da IA na Aprendizagem; O impacto da IA nos modelos de Ensino-Aprendizagem; Exemplos internacionais de utilização da IA na Educação Módulo 2 | A Inteligência Artificial na Música O impacto da IA na criação musical vs o impacto da IA na performance musical; Os desafios da IA para a criatividade e criação musical; Perspetivas de futuro: a IA e o mundo da Música Módulo 3 | A Inteligência Artificial e o Ensino da Música O contributo da IA para o Ensino e aprendizagem da música Ferramentas IA para o Ensino da Música Exemplos da utilização da IA para a criação de recursos didáticos musicais

Metodologias

O curso tem caráter teórico-prático, desenvolvendo-se em ambiente e-Learning. Plataformas a utilizar ao longo da formação: · Moodle (sessões assíncronas); · Zoom (sessões síncronas). SESSÕES ASSÍNCRONAS Ferramentas didáticas a utilizar: · Recursos multimédia (som e vídeo), · e-Manuais digitais (material escrito sob a forma de manual digital), · Perguntas de resposta aberta, · Fóruns, · Glossários, · Salas de discussão, · Formulários, · Email. Tutoria do formador: · Intervenções nos fóruns e salas de conversação, · Resposta a mensagens com dúvidas e outras solicitações sobre o curso. SESSÕES SÍNCRONAS Metodologia: · Dinâmicas de grupo; · Pequenos debates que visam sedimentar conhecimentos e esclarecer quaisquer dúvidas que os formandos tenham acerca dos conteúdos do curso; · Métodos expositivo e demonstrativo (demonstração, experimentação e utilização acompanhada de programas e ferramentas de Inteligência Artificial aplicadas à Música e Didática Musical

Avaliação

Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 CCPFC- «Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8.9 valores; Bom - de 6.5 a 7.9 valores; Regular - de 5 a 6.4 valores; Insuficiente - de 1 a 4.9 valores.» Os formandos serão avaliados de acordo com os seguintes critérios: 30% - Saber-estar: netiqueta, participação, pertinência e qualidade das intervenções realizadas (síncronas e assíncronas). 30% - Realização das atividades propostas (exercícios e atividades ao longo do curso com vista à exploração de ferramentas simples de IA ligadas à Música e ao Ensino da Música + trabalho final de reflexão escrita sobre o tema da inteligência artificial). 40% - Reflexão crítica final.

Bibliografia

AGRAWAL, Ajay (2020). Inteligência artificial (Harvard Business Review). Actual Editores. Lisboa.OLIVEIRA, Arlindo (2019). Inteligência Artificial. Fundação Francisco Manuel dos Santos. Lisboa.GONÇALVES, Vitor, MOREIRA, José António e CORRÊA, Ygor (2019). Educação e Tecnologias na Sociedade Digital. Whitebookss. Santo Tirso.SILVA, Séfora (2016). Ensinar e Aprender com Tecnologias na Era Digital: Um script de aportes teórico-práticos. Whitebookss. Santo Tirso.GORDON, Edwin E. (2015). Teoria de aprendizagem musical: competências, conteúdos e padrões. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 29-05-2024 (Quarta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
2 31-05-2024 (Sexta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
3 03-06-2024 (Segunda-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
4 04-06-2024 (Terça-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
5 06-06-2024 (Quinta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
6 07-06-2024 (Sexta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
7 11-06-2024 (Terça-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
8 13-06-2024 (Quinta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
9 17-06-2024 (Segunda-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
10 18-06-2024 (Terça-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
11 20-06-2024 (Quinta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
12 25-06-2024 (Terça-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona

Ref. 190T1 23/24 Inscrições Fechadas

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-123042/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 03-06-2024

Fim: 27-06-2024

Regime: e-learning

Local: None

Formador

Joana Rita Sousa

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A presente ação pretende dar resposta à necessidade da população docente em identificar e criar momentos de escuta. Enquadra-se na recomendação 2/2021 do Conselho Nacional de Educação sobre a Voz das Crianças e dos Jovens na Educação Escolar e visa proporcionar estratégias para que a escuta tenha lugar nas dinâmicas da sala de aula. A escuta tem vindo a ser matéria de investigação por parte de educadores. Por se estruturar numa dinâmica de diálogo, a Filosofia para/com Crianças e Jovens tem prestado atenção a este tópico. Como podemos dialogar sem nos escutarmos? Será a escuta uma condição necessária para o diálogo? Como fazer acontecer a escuta em sala de aula? Esta última pergunta norteia os conteúdos propostos nesta ação: há um consenso evidente no que respeita à importância da escuta e, ao mesmo tempo, há dificuldades na sua prática. Surge outra pergunta: como praticar a escuta? Apoiada em nos referenciais teóricos da Filosofia para/com Crianças e Jovens, a presente ação surge como uma possibilidade de resposta a essa pergunta.

Objetivos

O curso de formação apresenta os seguintes objetivos específicos: . Refletir sobre a importância da escuta na sala de aula; . Reconhecer o papel do diálogo na prática da escuta; . Refletir sobre os contributos das propostas da Filosofia para/com Crianças e Jovens na prática da escuta em sala de aula; . Identificar práticas que possibilitam a escuta entre docentes e discentes e entre discentes, em contexto de sala de aula; . Contribuir para o desenvolvimento profissional e pessoal dos professores.

Conteúdos

Apresentação. (1h, síncronas) Módulo 1: Escutar as crianças e os jovens: um enquadramento (2h síncronas, 2h assíncronas) - A recomendação 2/2021 do CNE - A importância da escuta e o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória Módulo 2: O papel da escuta na prática do pensamento crítico (2,5h síncronas, 2h assíncronas) - A conversa, o debate, o diálogo e a discussão: semelhanças e diferenças. - O diálogo como espaço e tempo para dar a voz, ter voz e escutar as vozes - O pensamento crítico e o exercício do diálogo - Exercícios Módulo 3: O papel da escuta na prática do pensamento criativo (2,5h síncronas, 2h assíncronas) - A pergunta como elemento criativo no diálogo - O diálogo como terreno fértil para a geração de ideias - O pensamento criativo e o exercício do diálogo - Exercícios Módulo 4: A Filosofia para/com Crianças e Jovens e os seus contributos para a prática da escuta (2,5h síncronas, 2,5h assíncronas) - Filosofia para/com Crianças e Jovens: de Lipman/Sharp aos dias de hoje - A comunidade de investigação filosófica e o papel do diálogo Módulo 5: Exercícios de escuta (2,5h síncronas, 2,5h assíncronas) - Prática de diálogo e de escuta

Metodologias

Metodologias teóricas e práticas. Metodologias ativas nas sessões síncronas e assíncronas. A ação contempla a prática de exercícios visando a consolidação e a prática dos conteúdos programáticos.

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação /Contributos- 30% - Realização/Trabalho de aplicação de conteúdos- 30% - Reflexão Crítica- 40% - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

Anderson, A. (2020) P4C and Voice: Does the Community of Philosophical Inquiry Provide Space for Childrens Free Expression? In Analytic Teaching and Philosophical Praxis, vol. 40, n.º 2, pp. 17-31Expression? In Analytic Teaching and Philosophical Praxis, vol. 40, n.º 2, pp. 17-31 Clark, A. (2017) Listening to Young Children, London and Philadelphia: Jessica Kingsley Publishers Lone, J. M (2021) Seen and not heard: Why Childrens Voices Matter. United Kingdom: Rowman & Littlefield Roseiro, S. Z., Gonçalves, N. T. L. P., Rodrigues, A. (2019) Escola, problemas de escuta? In Childhood & Philosophy, vol. 15, pp. 01-21


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 03-06-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 05-06-2024 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 12-06-2024 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online assíncrona
4 17-06-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 18-06-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online assíncrona
6 19-06-2024 (Quarta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 24-06-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online assíncrona
8 27-06-2024 (Quinta-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Online síncrona

Ref. 175T2-23-24 Inscrições abertas até 31-05-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120977/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 04-06-2024

Fim: 28-06-2024

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Vanessa Esmeralda Rodrigues Pereira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Como referido por Rosário (2005), a motivação tem um papel determinante na qualidade da aprendizagem das crianças e jovens no contexto educativo. Apesar da motivação ser um processo idiossincrático, a/os educadora/es podem influenciar positivamente os padrões motivacionais da/os mesma/os e, consequentemente, os seus comportamentos e desempenho escolar. Neste sentido, é fundamental explorar o conceito de motivação, as teorias associadas e as estratégias de autorredução da aprendizagem, a fim de desenvolver competências para entusiasmar as crianças e jovens a interessarem-se, envolverem-se e acreditarem no seu próprio percurso/caminho, sentido e propósito de vida. De facto, conseguindo direcionar a sua intenção para a ação no sentido de alcançar um determinado objetivo, as crianças e jovens apresentarão maior envolvimento escolar, sucesso e bem-estar. A exploração das abordagens cognitivas da motivação permite compreender os processos cognitivos e as variáveis de natureza cognitivo-afetiva envolvidas no processo motivacional (expetativas, atribuições, autoestima, perceções da autoeficácia, autonomia percebida, locus de causalidade, tipos de objetivos motivacionais, etc.), que determinam o comportamento motivado das pessoas nas situações de desempenho. É essencial promover processos de aprendizagem mais autónomos e autorregulados, proporcionando desta forma ainda maior escolha/autonomia, perceção de autoeficácia, envolvimento e aprendizagens mais significativas e de qualidade.

Objetivos

Caracterizar os conceitos de motivação, metacognição, autorregulação da aprendizagem e procrastinação; Explorar estratégias promotoras de comportamentos motivacionais no contexto educativo; Caracterizar a Teoria da motivação para a realização, a da atribucional da motivação e emoção, e a da Autodeterminação; Reconhecer o impacto da forma de antecipação emocional e atribuição causal, e das necessidades psicológicas na motivação intrínseca e no envolvimento escolar; Reconhecer a importância do estilo motivacional de autonomia da/os educadora/es, das competências de ajuda/comunicacionais e do feedback positivo e informativo; Valorizar a definição de objetivos orientados para aprendizagem e Concretos, Realistas e Avaliáveis no Modelo Planificação, Execução e Avaliação, e do enfoque no processo; Distinguir os tipos de conhecimento e instrução; Reconhecer a importância da modelação e da prática guiada e autónoma; Associar estratégias de autorregulação da aprendizagem e motivacionais;

Conteúdos

Sessão síncrona - Apresentação da ação de formação, dos parâmetros de avaliação, dos objetivos gerais e específicos, e do grupo de formação; Caracterização dos conceitos de motivação, metacognição, autorregulação da aprendizagem e proscratinação; Formas de aferir a motivação (escolha, persistência, esforço e rendimento); Sessão assíncrona - Questões-problemas para refletir os conteúdos; Sessão síncrona- Estratégias promotoras de comportamentos motivacionais no contexto educativo; Teoria da motivação para a realização; Impacto da forma de antecipação emocional na motivação; Teoria atribucional da motivação e emoção; Impacto da forma de atribuição causal na motivação; Sessão assíncrona - Questões-problemas para refletir os conteúdos; Sessão síncrona -Teoria da autodeterminação (Teorias das necessidades básicas e da avaliação cognitiva); Motivações intrínseca e extrínseca; Impacto das necessidades psicológicas (autonomia percebida, competência percebida e relacionamento) na motivação intrínseca; Impacto da motivação no envolvimento escolar (comportamental, cognitivo e emocional); Sessão assíncrona -Questões-problemas para refletir os conteúdos; Sessão síncrona - Importância do estilo motivacional de autonomia adotado pela/os educadora/es; Repercussões do mesmo na motivação intrínseca; Importância das competências de ajuda e comunicação facilitadoras (Respeito, afetividade, especificidade, autenticidade, autorrevelação do/a educador/a, confrontação e imediaticidade); Valorização dum relacionamento de qualidade e da adaptação às necessidades do contexto; Sessão assíncrona- Prática dos conteúdos explorados; Sessão síncrona- Impacto do feedback positivo e informativo na perceção de autoeficácia e motivação intrínseca; Importância da definição de objetivos orientados para aprendizagem e Concretos, Realistas e Avaliáveis (CRAVA) na motivação; Modelo PLEA - Planificação, Execução e Avaliação; Importância do enfoque no processo e não no resultado; Sessão assíncrona -Prática dos conteúdos explorados; Sessão síncrona - Tipos de conhecimento (declarativo, procedimental e condicional); Tipos de instrução associadas (instrução direta, modelação e prática guiada com feedback); Importância da sequência para promover a prática autónoma e a autorregulação da aprendizagem; Estádios de desenvolvimento (observação, imitação, autocontrolo e autorregulação); Sessão síncrona-Estratégias de autorregulação da aprendizagem; Associação com estratégias motivacionais; Síntese; Esclarecimento de dúvida; Avaliação do curso de formação; Conclusão da formação; Abertura em relação à próximas ações.

Metodologias

Ao longo das diferentes sessões da ação de formação de tipologia teórico-prática e principalmente prática, serão valorizadas as interações e partilhas, recorrendo aos diferentes métodos e técnicas pedagógicas, nomeadamente aos métodos interrogativo (formulação de perguntas) e ativo (tempestade de ideias, estudo de casos, jogo de papéis, trabalhos individuais e de grupo, etc.), na sala principal e nas salas em simultâneo. As reflexões de grupo também serão registadas, recorrendo à ferramentas digitais e plataformas. O recurso à vídeos facilitará, igualmente, a reflexão e a partilha no seio do grupo.

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação ativa na discussão /reflexão (30%) - realização das atividades práticas (30%) - Relatório final de reflexão crítica (40%) - Participação na apresentação/discussão/debate dos trabalhos realizados ao longo das sessões; - Elaboração de relatório final individual reflexivo. - De acordo com o Art. 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC- 1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

Almeida, L., Miranda, L & Guisande, M. (2008). Atribuições causais para o sucesso e fracasso escolares. Estudos de Psicologia /Campinas, 169-176;Niemiec, C. & Ryan, R. (2009). Autonomy, competence and relatedness in the classroom: Applying self-determination theory to educational practice. 7: 133. Theory and Research in Education;Reeve, J. (2013). Why teachers adopt a controlling motivating style toward students and how they can become more autonomy supportive. 44:3, 159-175. Educational Psychologist;• Rosário P. (2005). Motivação e aprendizagem – Uma rota de leitura;Fonte: Rosário et al. (2017). Manuais do Projeto MENTOR – Tutorias autorregulatórias. Grupo Universitário de Investigação em Autorregulação. Escola de Psicologia. Universidade do Minho.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-06-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 07-06-2024 (Sexta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 11-06-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 14-06-2024 (Sexta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 18-06-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 21-06-2024 (Sexta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
7 25-06-2024 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 28-06-2024 (Sexta-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Online síncrona

INSCREVER-ME

Ref. 144T2-23-24 Inscrições abertas até 20-06-2024 INSCREVER-ME

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-113439/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 21-06-2024

Fim: 16-07-2024

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Virginia Alberta Meira Ferreira Martins

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Nos últimos 20 anos, o nº de alunos/as com dificuldades de aprendizagem específicas (DAE) aumentou consideravelmente (Correia, 1997). Em Portugal passou de umas dezenas de milhar para mais de uma centena de milhar. Constituem mais de metade da população estudantil com NEE. No entanto, tendo em conta um conjunto muito variado de fatores, continuam a ser alvo de uma grande ambiguidade, entregando ao insucesso vários/as milhares de alunos/as. A expressão DAE surgiu da necessidade de identificar um vasto grupo de crianças que embora não apresentasse qualquer tipo de deficiência, apresentava problemas de aprendizagem em algumas áreas específicas. A escola e concretamente o/a professor/a, tem um papel fundamental no processo de intervenção, pois os meios privilegiados para reeducar estes/as alunos/as, passam por fornecer-lhe instrumentos diversos e alternativos na aquisição da linguagem e conhecimentos. Esta formação está pensada para ajudar o/a professor/a a adquirir os conhecimentos necessários para diferenciar uma DAE de outros problemas de aprendizagem e, ainda, dar resposta adequada ao desafio de diversificar as estratégias educativas de forma a abranger as diferentes necessidades do/as s seus/suas alunos/as.

Objetivos

Dotar os/as formandos/as das competências necessárias para: a) Caracterizar as principais características e os fundamentos neuropsicológicos e psicolinguísticos associadas às Dificuldades de Aprendizagem Específicas; b) Compreender a problemática emocional às Dificuldades de Aprendizagem Específicas e suas repercussões; c) Distinguir os principais sinais de alerta para as Dificuldades de Aprendizagem Específicas; d) Conhecer instrumentos de avaliação; d) Identificar algumas estratégias de intervenção no contexto de sala-de-aula; e) Refletir e reformular práticas pedagógicas.

Conteúdos

Apresentação 1. Introdução às Dificuldades de Aprendizagem Específicas; 2. Dislexia; 3. Disortografia, Disgrafia e Discalculia; 4. Problemática emocional; 5. Intervenção nas Dificuldades de Aprendizagem Específicas; Avaliação

Metodologias

A metodologia de trabalho privilegia um caráter teórico-prático. Ao longo das sessões, serão utilizados os métodos expositivo, interrogativo e ativo. A metodologia de trabalho é de cariz teórico-prático. A dinâmica da sessão está pensada para se partir dos conhecimentos prévios e da prática dos/as formandos/as para uma análise e exploração pormenorizada de cada tema, por forma a valorizar a aprendizagem por autodescoberta, e facilitar a aquisição e assimilação dos novos conhecimentos no processo de ensino-aprendizagem. Paralelamente à formulação de perguntas orais e escritas, e à exposição de conteúdos, haverá sempre lugar à realização de exercícios/trabalhos em grupo ou individuais, dinâmicas de grupo e discussão de casos. Assim, iremos fomentar o trabalho e crescimento individual, mas também o trabalho colaborativo e cooperante, com o propósito de partilhar e ampliar conhecimentos, adquirir competências e desenvolver atitudes positivas face às temáticas abordadas.

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação das atividades práticas (30%) - Realização das atividades (30%) - Relatório final de reflexão crítica (40%) - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

Alegria, J., Leybaert, J. & Mousty, P. (1997). Aquisição de leitura e distúrbios associados. Avaliação, tratamento e teoria. In. Grégoire, J. & Piérat, B. (Eds.). Avaliação dos problemas de leitura: Os novos modelos teóricos e as suas implicações diagnósticas (pp. 105-124). Porto Alegre, RS: Artes Médicas.Antunes, N. L. (2009). Mal-entendidos. Lisboa: Verso de Kapa.Ribeiro, F. (2008). A Criança Disléxica e a Escola. Porto: Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti.- Correia, L. M. (1997). Alunos com Necessidades Educativas Especiais nas Classes Regulares. Porto: Porto Editora.Correia, L. M. (2004). Problematização das dificuldades de aprendizagem nas necessidades educativas especiais, Análise Psicológica, 22 (2).


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 21-06-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 26-06-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 27-06-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
4 02-07-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 09-07-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 15-07-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
7 16-07-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

INSCREVER-ME

Ref. 185t1-23/24 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122736/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 18-04-2024

Fim: 12-06-2024

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Maria Manuela Silvério Candeias

Destinatários

100,110

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de 100,110. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de 100,110.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A formadora possui larga experiência na formação de professores do ensino básico. Por outro lado, são reconhecidas as enormes carências/dificuldades que os professores do 1º ciclo apresentam no modo de planear e intervir nestas idades, ao mesmo tempo que se assiste ao incremento do processo de intervenção nestes domínios, quer pela sua importância, quer pelo contexto próprio deste público-alvo

Objetivos

- Aprofundar os conhecimentos sobre as características das aprendizagens essenciais; - Compreender a especificidade das propostas de atividades dirigidas às crianças 1º ciclo; - Analisar as características da natureza das atividades a propor, dos materiais e espaços ; - Incitar contextos para os formandos atuarem, com eficácia, ao nível da Educação Física, tendo em conta as necessidades e características dos alunos e variáveis externas.

Conteúdos

- Operacionalização das Aprendizagens Essenciais de Educação Física num contexto de Flexibilidade Curricular; - Modelos de intervenção em Educação Física nas primeiras idades; - Características das atividades e materiais; - Organização e aplicação de plano(os) de aula de Educação Física no contexto onde está inserido, tendo em conta as particularidades do grupo/turma

Metodologias

As sessões dividir-se-ão em teóricas e técnico - práticas com recurso a metodologias de intervenção com crianças (1º ciclo) no contexto laboral de cada formando e consequente reflexão. As tarefas solicitadas aos formandos serão de caráter individual e/ou de grupo

Avaliação

- Pelos formandos: Resposta a um inquérito elaborado para o efeito, centrado em: Adequação dos objetivos estabelecidos Nível de adequação às necessidades formativas Pertinência da informação teórica Organização e dinamização Pela formadora: Elaboração de um relatório crítico sobre atividades desenvolvidas, participação e empenhamento dos formandos. Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Trabalho Individual - Participação/realização das atividades práticas (intervenção com crianças) (40%) - Trabalho de grupo Realizar nas sessões síncronas (30%) - Relatório final de reflexão crítica (30%) - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

Educação Física no 1.º ciclo do ensino básico: Um manual para professores. Livro, Ano 2023. Maia, José. (Editor). FADEUP.Expressão e Educação Físico Motora .Programa Ilustrado do 1.º Ciclo do Ensino Básico, Editorial do Ministério da Educação.Ministério da Educação-Direção Geral do Ensino Básico e Secundário (1992): A educação Física no 1º ciclo do Ensino Básicohttps://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Curriculo/Aprendizagens_Essenciais/1_ciclo/1_educacao_fisica.pdf


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-04-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 29-04-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 06-05-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 09-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
5 16-05-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 24-05-2024 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online assíncrona
7 07-06-2024 (Sexta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online assíncrona
8 12-06-2024 (Quarta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona

Ref. 189t1-23/24 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122971/24

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 17-04-2024

Fim: 15-05-2024

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Alexandra Carla Nunes Gomes

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Criar experiências de jornalismo escolar é uma forma para as Escolas promoverem uma formação integral dos seus alunos, oferecendo novas formas e oportunidades para ampliarem os seus conhecimentos e competências, dentro e fora da sala de aula. O envolvimento dos alunos na construção de um jornal ou blog escolar, não só é uma forma de treinar e melhorar as suas competências de escrita, leitura e comunicação, mas também o desenvolvimento de um sentido de responsabilidade, organização, disciplina e compromisso. O jornalismo escolar permite a alunos e professores colaborar num projeto comum, que vai além da normal rotina escolar, proporcionando a oportunidade de trabalhar em equipas multidisciplinares, melhorando competências sociais, de gestão do tempo e cumprimento de prazos. Para a Escola, este tipo de projeto aumenta a interação entre os membros da sua comunidade, incluindo os pais e corpo não docente, e a oportunidade de criar uma maior abertura e ligação com a sociedade em geral. Atualmente, o tradicional jornal escolar em papel, começa a dar lugar a novas formas de jornalismo escolar, incluindo jornais digitais e blogs, o que exige aos professores que coordenam este tipo de projeto, novos conhecimentos e habilidades, incluindo competências digitais. Esta formação visa apoiar os professores na renovação de competências para a criação, gestão e desenvolvimento de projetos de jornalismo escolar, como jornais e blogs, seja em formato tradicional, seja em formato digital.

Objetivos

1. Compreender a importância da dinamização de um projeto de jornalismo escolar para os alunos e para a comunidade escolar. 2. Planear um projeto de jornalismo escolar, tendo em conta as suas caraterísticas, intervenientes e meios disponíveis. 3. Envolver diferentes atores escolares na criação, produção e gestão de um projeto de jornalismo escolar. 4. Aplicar diferentes técnicas e estratégias de escrita adequadas ao projeto de jornalismo escolar em que estão a trabalhar. 5. Saber divulgar e distribuir os conteúdos e produtos jornalísticos criados, tendo em conta o público-alvo a que se destinam e os meios disponíveis para o efeito.

Conteúdos

Módulo 1 Os fundamentos do Jornalismo Escolar (2h síncronas + 2h assíncronas_Total: 4h) A comunicação e o jornalismo | Tipos e formas de jornalismo escolar | As figuras do jornalismo escolar | A importância do jornalismo escolar para a Escola e a sua Comunidade | O jornal/blog como ferramenta didática Módulo 2 A construção e gestão de um projeto de jornalismo Escolar (2h síncronas + 4h assíncronas_Total: 6h) O planeamento de um projeto de jornalismo escolar | Estrutura: semelhanças e diferenças entre jornais e blogs | A criação e gestão da equipa multidisciplinar: alunos, professores e outros intervenientes | Jornalismo escolar: como promover o envolvimento da comunidade escolar Módulo 3 Estratégias e técnicas básicas de escrita para jornais e blogs (2h síncronas + 4h assíncronas_Total: 6h) A criação de um processo de escrita | A arte de entrevistar | Técnicas básicas de escrita online | Técnicas básicas de escrita jornalística | Técnicas básicas de Storytelling Módulo 4 A divulgação e distribuição do jornal/blog escolar (5h síncronas + 4h assíncronas_Total: 9h) Formas de disponibilização e distribuição de conteúdos e produtos jornalísticos | Ferramentas básicas de divulgação: comunicação clássica e digital | As linhas gerais do plano de divulgação e de distribuição de um jornal/blog escolar

Metodologias

6. METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA AÇÃO (Discriminando a tipologia das sessões: Teóricas, Teórico/Práticas, Práticas, de Seminário/Projeto/Estágio, ) O curso tem carácter teórico-prático, desenvolvendo-se em ambiente e-Learning. Plataformas a utilizar ao longo da formação: Moodle (sessões assíncronas); Zoom (sessões síncronas). Em geral, ao longo das sessões do curso, serão usados os métodos expositivo, interrogativo e demonstrativo. SESSÕES ASSÍNCRONAS Ferramentas didáticas a utilizar: Recursos multimédia; Manuais digitais; Exercícios escritos; Fóruns; Formulários; Email. Tutoria da formadora: Intervenções nos fóruns; Resposta a mensagens com dúvidas e outras solicitações sobre o curso. SESSÕES SÍNCRONAS Metodologia: Dinâmicas de grupo; Debates; Flipped classroom; Apresentação de ferramentas e técnicas de escrita e jornalismo.

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: 20% saber-estar (netiqueta, participação/contributos, dinâmica de participação, pertinência e qualidade das intervenções realizadas nas sessões síncronas e assíncronas). 50% realização das tarefas/atividades propostas e aplicação de conteúdos (conceção, desenvolvimento e avaliação de recursos educativos, qualidade dos materiais produzidos e evidências do trabalho desenvolvido ao longo do curso, iniciativa e espírito crítico). 30% reflexão crítica final (aquisição e aplicação dos conhecimentos adquiridos, demonstrados na elaboração de uma reflexão crítica escrita individual). - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

Afonso, Carolina e Alvarez, Sandra (2017). Como criar, comunicar e rentabilizar um blog. Marcador. Barcarena Gonçalves, João Carlos Brandão (2007). Jornal Escolar: da periferia ao centro do processo educativo. Universidade do Minho .Instituto de Ciências Sociais. Braga.Mariano, Martim (2023). Dar a volta ao texto. Ideias de Ler. Porto.Pinto, Manuel (1995). O jornal escolar: porquê e como fazê-lo. Edições Asa. Porto.Raimundo, Orlando (2005). A entrevista no jornalismo contemporâneo. Edições Minerva. Coimbra.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 17-04-2024 (Quarta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online síncrona
2 18-04-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online assíncrona
3 23-04-2024 (Terça-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online síncrona
4 24-04-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online assíncrona
5 30-04-2024 (Terça-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online síncrona
6 02-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online assíncrona
7 03-05-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online assíncrona
8 07-05-2024 (Terça-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online síncrona
9 08-05-2024 (Quarta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
10 09-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online assíncrona
11 15-05-2024 (Quarta-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online síncrona

Ref. 174T1-23/24 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120976/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 15-04-2024

Fim: 30-05-2024

Regime: e-learning

Local: Plataforma Zoom

Formador

Carina Lobato Faria

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Numa escola que visa a inclusão de todos os alunos numa via comum de ensino, garantido para tal o acesso, a participação e progresso dos mesmos; é incontornável o comprometimento de toda a comunidade educativa com este propósito. Visando tornar a educação um veículo concreto de desenvolvimento de competências no aluno, é determinante repensar os diferentes pilares de ação pedagógica orientados para que a atividade pedagógica seja um motor efetivo dessas mesmas competências. O novo enquadramento legal da educação inclusiva e as orientação nacionais e internacionais são efetivamente um desafio para a formulação e/ou reformulação das práticas, tanto na análise e gestão da diversidade nas comunidades de aprendizagem, como na formulação do objetivos pedagógicos orientados para a tríade da competência e no casamento entre o currículo e os PASEO, na seleção das metodologias pedagógicas que deem corpo e ação aos objetivos propostos, como por fim, às práticas de avaliação. É assim objetivo da presente formação direcionar a reflexão critica dos professores para a compreensão das necessidades de transformação nesses mesmo pilares, à luz de um melhor entendimento dos objetivos, missão e visão da educação inclusiva.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas. Consolidar o entendimento da narrativa da educação inclusiva como uma escola promotora do neurodesenvolvimento holístico de todos os alunos. · Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. · Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras. · . Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar- Planear- Agir- Rever para a inclusão. · Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens. · Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais.

Conteúdos

Módulo 1: -Enquadramento legislativo e consequências na organização das práticas pedagógicas. Reflexão e exploração dos documentos legislativos na base do enquadramento da educação inclusiva. Reflexão e consolidação da missão, visão e objetivos da educação inclusiva. -Reflexão sobre o impacto das suas propostas sobre os quatro pilares de ação educativa: Analisar, conhecer | Planear, conceber, prever | Agir, fazer agir e apoiar | Avaliar, regular melhorar. Módulo 2: -Analisar e Conhecer a diversidade das comunidades de aprendizagem. -Reflexão sobre a relevância da diversidade nos processos de aprendizagem por modulação comportamental no ser humano. - Apresentação e aplicação de ferramentas de análise intencional da diversidade. -Apresentação de uma proposta de construção de um perfil de funcionamento do aluno e um perfil de heterogeneidade da turma, como ferramentas concretas de gestão da diversidade. Módulo 3: Planear e conceber a prática pedagógica orientada para a tríade da competência. -Reflexão sobre a tríade das competências e a construção neurodinâmica das mesmas dependentes da experiência efetiva dos alunos no decorrer da aprendizagem (participação e progresso). - Reflexão sobre a construção de objetivos pedagógicos integrando conhecimento, capacidades e atitudes: casamento do currículo e do PASEO. -Análise e reflexão sobre diferentes metodologias pedagógicas compatíveis com a construção da experiência de aprendizagem necessária à estruturação neurodinâmica de competências, e em concordância com os objetivos pedagógicos orientados para a tríade da competência. Módulo 4: -Avaliar e regular o processo de desenvolvimento. -Reflexão do papel da avaliação como promotor da regulação do processo de desenvolvimento. -Reflexão sobre a pertinência do papel da avaliação como regulador da experiência de aprendizagem. -Reflexão sobre a diversificação os instrumentos de recolha de informação. - Reflexão sobre a natureza e relevância do feedback no processo de desenvolvimento contínuo dos alunos.

Metodologias

a) Sessões plenárias de formação em grande grupo destinadas à apresentação dos conteúdos pela formadora, análise e discussão dos mesmos, clarificação, sistematização e aprofundamento de conceitos, e reflexão sobre as práticas pedagógicas em articulação com as temáticas dos conteúdos. b) Sessões de trabalho em pequeno grupo destinadas à exploração de materiais, seleção e realização de tarefas relacionadas com os conteúdos, elaboração de propostas de construção de objetivos pedagógicos orientados para a tríade da competência, reflexão sobre metodologias pedagógicas condicentes com a aplicação dos objetivos propostos e ainda reflexão sobre práticas de avaliação compatíveis com as metodologias propostos. c) Sessões plenárias destinadas à discussão dos trabalhos e produtos de reflexão produzidos pelos formandos ao longo das horas de formação ou de trabalho prático de aplicação dos conhecimentos.

Avaliação

A avaliação consta de: Participação na apresentação/discussão/debate dos trabalhos realizados ao longo das sessões; - Elaboração de relatório final individual reflexivo. A avaliação é quantitativa, na escala de 1 a 10, seguindo o regime de avaliação em vigor. Deve-se aplicar a seguinte escala, na conversão da avaliação quantitativa (de 1 a 10 pontos) para a avaliação qualitativa de 5 níveis (entre Insuficiente e Excelente): · Insuficiente: 1 a 4,9 pontos · Regular: 5 a 6,4 pontos · Bom: 6,5 a 7,9 pontos · Muito Bom: 8 a 8,9 pontos · Excelente: 9 a 10 pontos

Bibliografia

Azevedo, Joaquim. (2015). Nenhum aluno pode ser deixado para trás! É preciso renovar os processos pedagógicos e a organização das escolas. Comunicação apresentada na Conferência EPIS-Empresários pela Inclusão Social, sob o tema "Escolas de futuro", realizada na Fundação Calouste Gulbenkian, a 17 de março de 2015. Disponível em http://www.joaquimazevedo.com/Images/BibTex/Nenhum_aluno_pode_ser%20deixado_para_tr%C3 %A1s.pdfBooth, Tony & Ainscow, Mel (2002). Index for Inclusion: Developing Learning and Participation in Schools. CSIE.CAST (2011). Universal Design for Learning guidelines version 2.0. Wakefield, MA: Author. Cosme, Ariana (2017). Escolas e Professores no Séc. XXI: Exigências, desafios, compromissos e respostas. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 17, n. 53, p. 757-776, 2017Fernandes, D. (2014). Avaliação das aprendizagens e políticas educativas: o difícil percurso da inclusão e da melhoria. In M. L. Rodrigues (Org.), Quarenta anos de políticas de educação em Portugal: A construção do sistema democrático de ensino (Volume I, pp. 231-268). Coimbra: Almedina. Disponível em: http://hdl.handle.net/10451/16010Decreto-Lei nº 54/2018 e Decreto-Lei nº 55/2018


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-04-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 22-04-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 29-04-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 06-05-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 21:00 3:30 Online síncrona
5 09-05-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 13-05-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 16-05-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 30-05-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona

Ref. 125T1- 23/24 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-113465/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 11-04-2024

Fim: 06-06-2024

Regime: e-learning

Local: Zoom

Formador

Ana Maria Fernandes Cláudio

Destinatários

Professores dos Grupos 240, 250, 600 e 610

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 240, 250, 600 e 610. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 240, 250, 600 e 610.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A arte é parte fulcral da vivência humana, como a história da humanidade bem atesta. Desde sempre que as expressões artísticas foram o mote para comunicar ideias, pensamentos, emoções. A partir do século XIX a arte começou a ser utilizada como técnica terapêutica e, desde então, têm-se desenvolvido múltiplas técnicas que se expandiram para diversas áreas, nomeadamente, para a educação. Através de diferentes mediadores artísticos desenho, pintura, objetos lúdicos, colagem, modelagem, música, fotografia, movimento, drama, marionetas, mitos, histórias, exprimimos os nossos bloqueios e emoções, e assim aumentamos a nossa clareza, acalmamos o stress, libertamos a nossa criatividade. As técnicas da arte terapia conduzem-nos a nós mesmos, à nossa essência, à descoberta da vida em nós. Em termos educativos e sociais o seu potencial é imenso, podendo cruzar-se com outras áreas do saber, potenciando a força da arte e dos conteúdos com que se cruza.

Objetivos

- Capacitar os participantes para a aplicação de técnicas envolvendo os mediadores artístico-expressivos; - Vivenciar a expressão artística, mediada e acompanhada; - Conhecer as valências da arte terapia; - Reconhecer a força criadora e transformadora das diferentes expressões artísticas e a sua aplicação na educação; - Habilitar os participantes a integrar as expressões artísticas na planificação das atividades letivas.

Conteúdos

-O que é a arte terapia: um pouco de história; Os mediadores mais utilizados: desenho e pintura; - A utilização da modelagem, o envolvimento do corpo na produção de um objeto; - Construção e colagem, a tridimensionalidade e a perceção do espaço; - Objetos lúdicos e a palavra dar voz ao que a não tem, tomando a palavra como construção artística; - Movimento e drama, a encenação e dramatização como consciência do corpo e da sua expressão coreográfica. -Reflexão conclusiva do caminho percorrido ao longo das sessões. -Apresentação e discussão das propostas pedagógicas dos formandos. - Avaliação da ação.

Metodologias

Sessões plenárias síncronas Sessões de trabalho de grupo assíncrono. Total da ação - 25 horas Sessões teóricas/práticas - Introdução teórica ao tema da sessão (exposição) - Experimentação dos mediadores artísticos selecionados para cada sessão - Elaboração teórica sobre o processo experimentado - Conceção de uma atividade pedagógica integrando os mediadores da sessão

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: Participação /Contributos: - Participação nas sessões- 30% Realização/Trabalho de aplicação de conteúdos -30% Reflexão Crítica -40% - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

Bettelheim, Bruno (1979) Feridas simbólicas. Moraes Editores. LisboaDecobert, Simone e Sacco, François coord. (2000). O desenho no trabalho psicanalítico com a criança. Climepsi Editores. LisboaRodrigez, J., e Troll, G. (1995) L' art therapie – pratiques, techniques et concept. Editions Ellebare


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-04-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 18-04-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 02-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 09-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 16-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 23-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 29-05-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 06-06-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona

Ref. 128T2-23-24 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120291/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 11-04-2024

Fim: 28-05-2024

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Francisco Solipa

Paula Cristina Nogueiro Mesquita

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A escola enquanto espaço de apropriação e construção de conhecimento tem o dever de apetrechar alunos e professores com competências e saberes adaptados à nova civilização cognitiva. Atualmente existe software com funcionalidades avançadas que podem ser instrumentos potenciadores da ação do professor, decorrente da diversidade e complexidade das suas funções. A utilização de folhas de cálculo e bases de dados assume-se como indispensável para o exercício da profissão docente. A utilização destes instrumentos de trabalho, simplifica e automatiza uma grande parte das tarefas que os professores têm de realizar, potencia o desenvolvimento do trabalho em equipa nas escolas e a aferição de procedimentos. Pretende-se com esta ação, sensibilizar os professores para a utilização de dispositivos (folhas de cálculo, bases de dados) de dinamização no âmbito do trabalho em equipa e repensar práticas docentes, numa escola e numa sociedade em transformação constante e rápida.

Objetivos

Este curso deformação tem por objetivo dotar os formandos de competências ao nível do tratamento e análise de dados numa folha de cálculo. No final os formandos deverão estar habilitados a analisar, conceber e implementar soluções de folha de cálculo, nos domínios de aplicação específicos do curso de formação. Este curso de formação tem como objetivo capacitar os formandos com as competências necessárias para o tratamento e análise de dados em folhas de cálculo. Ao final do curso, os formandos deverão estar aptos a analisar, conceber e implementar soluções em folhas de cálculo, dentro de domínios de aplicação específicos abordados durante a formação.

Conteúdos

1. Introdução à folha de cálculo; 2. Personalização da folha de cálculo; 3. Estrutura geral de uma folha de cálculo; 4. O ambiente de trabalho da folha de cálculo; 5. Criação de uma folha; 6. Conceitos de Livro e Folha de trabalho; 7. Seleção de Células e Intervalos; 8. Utilização de livros para organizar informação; 9. Introdução e manipulação da informação; 10. Edição de uma folha; 11. Inserção e eliminação de Colunas, Linhas e Células; 12. Modificação da largura das Colunas e da altura das Linhas; 13. Utilização de fórmulas e funções para processar números; 14. Impressão de uma folha de cálculo; 15. Formatação de uma folha; 16. Formatação de texto e números; 17. Aplicação de cores e padrões a células; 18. Formatação de células utilizando os limites; 19. Formatação Condicional; 20. Criação de gráficos; 21. Trabalho com Listas (bases de dados) - Formulários, Ordenação, Filtros, Subtotais, Tabelas e gráficos dinâmicos, Consolidação de dados; 22. Impressão em série.

Metodologias

As atividades a realizar no curso decorrem em sessões síncronas, teórico/práticas, num total de 25 horas. As sessões deverão ser de carácter predominantemente prático, com alguns momentos expositivos/demonstrativos. Sugere-se a metodologia de aprendizagem por execução de tarefas, salienta-se que as atividades integradoras devem ser desenvolvidas com a preocupação de ligação com os contextos e as vivências profissionais dos participantes. Propõe-se a utilização da metodologia de aprendizagem baseada na realização de tarefas, enfatizando que as atividades integradoras devem ser desenvolvidas com a preocupação de relacioná-las aos contextos e experiências profissionais dos participantes.

Avaliação

A avaliação da atividade desenvolvida por cada formando será realizada de modo continuado pelos formadores e tem como referência os objetivos e finalidades da ação. São tomados em consideração os seguintes aspetos, de acordo com a Carta Circular CCPFC 3/2007: - Elaboração dos trabalhos práticos e reflexões efetuadas durante as sessões presenciais, sujeitas a critérios de classificação previamente estabelecidos; - Relatório final individual; - Classificação dos parâmetros avaliados na escala de 1 a 10, com a competente menção qualitativa global, em conformidade com os critérios de avaliação vigentes no Centro de Formação, necessitando os formandos de obter a pontuação mínima de 5 valores e a frequência de pelo menos 2/3 do total de horas para obterem aprovação na ação de formação; - Creditação final de acordo com o regulamento da modalidade.

Bibliografia

- Ajuda do Excel - Suporte do Office. (12 de janeiro de 2022). Disponível em https://support.microsoft.com/pt-pt/excel?ui=pt-pt&rs=pt-pt&ad=pt• Rodrigues, Luís Silva (2011). Utilização do Excel 2010 para Economia & Gestão. Lisboa: FCA.Walkenbach, John (2013). Microsoft Excel 2013 Bible: The Comprehensive Tutorial Resource. Indianapolis: John Wiley & Sons Ltd


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 11-04-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 17-04-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 24-04-2024 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
4 02-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
5 09-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
6 16-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
7 23-05-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
8 28-05-2024 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona

Ref. 186T1 23/24 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-122454/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 09-04-2024

Fim: 21-05-2024

Regime: e-learning

Local: online-zoom

Formador

Ana Paula de Sousa Gonçalves Rocha

Destinatários

Professores dos Grupos 120, 220 e 330

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 120, 220 e 330. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 120, 220 e 330.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A promoção das Aprendizagens Essenciais de Inglês (AEI), nos 1.º, 2.º e 3º ciclos e Secundário, concorre para a construção das competências-chave definidas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. No processo de aprendizagem da segunda língua, espera-se que os alunos desenvolvam e alarguem a competência da comunicação e interação com outros indivíduos, através dos domínios da linguagem, informação e comunicação. Neste processo é promovido o conhecimento de uma metalinguagem facilitadora da aquisição de outras línguas e desenvolvida a capacidade de pesquisa e validação de informação alargando as competências de comunicação. A concretização curricular das AEI deve, por conseguinte, potenciar experiências que estimulem as competências cognitivas e digitais dos alunos, nomeadamente o raciocínio lógico, o pensamento crítico e criativo, na resolução de problemas e gestão de projetos. Ao executar as AEI o docente necessita de recorrer a diversas atividades e ambientes híbridos (digitais e não digitais) que contribuam para a construção alicerçada do aluno de modo que se torne cidadão global e capacitado em múltiplas literacias. Esta ação justifica-se na formação contínua dos profissionais dos grupos de recrutamento 120, 220 e 330 pela necessidade de os habilitar e promover a sua atualização, na execução das orientações curriculares. Consequentemente irá contribuir para a planificação das competências e conhecimentos elencados nas AE em Inglês e na prossecução dos objetivos de avaliação formativa do ensino e da aprendizagem.

Objetivos

Com esta ação pretende-se: .Compreender o carácter espiralado e progressivo, vertical e horizontal, das AE. .Promover o conhecimento e informação dos conteúdos das AE. .Apoiar os docentes na conceção pedagógica, crítica e criativa, de materiais didáticos, com recurso a ambientes digitais, para o desenvolvimento de estratégias de ação que atenuem barreiras nas aprendizagens. .Refletir como melhorar os desempenhos orais e escritos dos alunos e o alargamento do léxico. .Familiarizar-se com metodologias e ferramentas digitais adequadas à operacionalização das AE em Inglês: Leitura (R), Compreensão oral (LC), Interação oral (SI), Produção oral (SP), Escrita (W) e Domínio intercultural (ID). .Dotar os docentes de estratégias de monitorização e avaliação formativa do desempenho das competências dos alunos. .Promover a reflexão em torno da articulação interdisciplinar.

Conteúdos

.Conhecimento e compreensão do conteúdo e carácter espiralado e progressivo, vertical e horizontal, das AE de Inglês dos 1.º, 2.º, 3º ciclo e ensino secundário. .Análise das AE, enquanto documento de orientação curricular, em articulação com o PASEO, os Programas, as Metas Curriculares e o Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas (QECR, Conselho da Europa, 2001). .Conceção pedagógica, crítica e criativa, de materiais didáticos, com recurso a ambientes e ferramentas digitais colaborativas, para o desenvolvimento de estratégias de ação que atenuem barreiras nas aprendizagens. Reflexão e planificação de metodologias e atividades com ferramentas digitais adequadas à operacionalização das AE em Inglês: Leitura (R), Compreensão oral (LC), Interação oral (SI), Produção oral (SP), Escrita (W), Domínio intercultural (ID) e Competência Estratégica. .Familiarização com estratégias de monitorização e avaliação formativa do desempenho das competências dos alunos com recurso a ferramentas digitais. .Reflexão em torno do potencial da articulação interdisciplinar em ambientes digitais e colaborativos. Sessão 1 - 4:00 (Referenciais de orientação curricular para os 1.º,2.º e 3º ciclo e secundário; Análise das AE e dos documentos enquadradores das políticas educativas do Plano Nacional de Transição Digital) Sessão 2 - 4:00 (Análise dos constrangimentos e barreiras nas aprendizagens do Inglês; Exemplificação de plataformas digitais que apoiam a conceção pedagógica e colaborativa de materiais didáticos; Ferramentas digitais adequadas à operacionalização das AE para as competências comunicativas da compreensão oral e escrita em Inglês) Sessão 3 - 4:00 (Ferramentas digitais adequadas à operacionalização das AE para as competências comunicativas da interação e produção escrita em Inglês) Sessão 4 - 4:00 (Ferramentas digitais adequadas à operacionalização das AE para as competências comunicativas da interação e produção oral em Inglês) Sessão 5 - 4:00 (Ferramentas digitais adequadas à operacionalização das AE para as competências Estratégica e do Domínio intercultural em Inglês) Sessão 6 - 4:00 (Conceito de Avaliação para as aprendizagens. Estratégias de monitorização e avaliação formativa do desempenho das competências dos alunos com recurso a ferramentas digitais. Conceção de uma planificação com a integração de rubricas. Realização de um teste no Google Forms para aferição dos conhecimentos adquiridos sobre os conceitos de Avaliação para as aprendizagens. Partilha coletiva das atividades concebidas pelos formandos em plataformas digitais num portefólio digital.) Sessão 7 -1:00 (Pós diagnóstico; Avaliação da ação)

Metodologias

O curso desenvolver-se-á em 7 sessões (15:00 Síncronas + 10:00 Assíncronas), totalmente online com recurso preferencial à plataforma Moodle do CFAMM e ZOOM. Seguirá uma metodologia teórico-prática com um pendor mais prático e de exemplificação dos recursos, combinando momentos de exposição de conteúdos, com reflexão participada a partir de tarefas realizadas individualmente e/ou em grupo. A componente teórica far-se-á com o recurso a suportes audiovisuais e a textos previamente selecionados. Privilegiar-se-á uma dinâmica de metodologia ativa, centrada na discussão, proatividade, partilha e reflexão entre os formandos, designadamente através de discussão individual ou em pares sobre os conteúdos e materiais selecionados (usando fóruns de discussão). Realizar-se-ão questionários; chuva de ideias, entre outros. Como tarefa final, todos irão partilhar os materiais digitais construídos, numa plataforma digital que reúna as atividades e recursos das sessões assíncronas.

Avaliação

A avaliação terá um carácter qualitativo e quantitativo, espelhado numa escala classificativa de 1 a 10 valores correspondente a menções qualitativas. Serão consideradas como componentes de avaliação: o trabalho realizado nas sessões síncronas e assíncronas. A avaliação depende ainda do relatório final individual que explicite e avalie o percurso realizado pelo formando ao longo da ação de formação e que dê conta das suas reflexões críticas no que respeita aos conteúdos da ação. Os registos de avaliação dos formandos atendem a todos os elementos que traduzam o desempenho do formando baseiam-se na: - Participação /Contributos- 30% - Realização/Trabalho de aplicação de conteúdos- 30% - Reflexão Crítica- 40% De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

ROLDÃO, M.C. (2003). Diferenciação curricular e inclusão. In David Rodrigues (org.) (2003) Perspectivas sobre a Inclusão. Da Educação à Sociedade, pp. 151-166. Porto: Porto Editora. ROLDÃO, M.C. (2008). A função curricular da escola e o papel dos professores: políticas, discurso e práticas de contextualização e diferenciação curricular. In Atas do III Colóquio luso-brasileiro das questões curriculares. Florianópolis, 2008. UNESCO (2017). Competências de leitura, escrita e aritmética em uma perspectiva de aprendizagem ao longo da vida. Institute for Lifelong Learning.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 09-04-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
2 09-04-2024 (Terça-feira) 20:00 - 21:00 1:00 Online assíncrona
3 16-04-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:00 2:30 Online síncrona
4 16-04-2024 (Terça-feira) 20:00 - 21:00 1:00 Online assíncrona
5 23-04-2024 (Terça-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Online síncrona
6 23-04-2024 (Terça-feira) 19:30 - 21:30 2:00 Online assíncrona
7 30-04-2024 (Terça-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Online síncrona
8 30-04-2024 (Terça-feira) 19:30 - 21:30 2:00 Online assíncrona
9 07-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Online síncrona
10 07-05-2024 (Terça-feira) 19:30 - 21:30 2:00 Online assíncrona
11 14-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Online síncrona
12 14-05-2024 (Terça-feira) 19:30 - 21:30 2:00 Online assíncrona
13 21-05-2024 (Terça-feira) 17:30 - 19:30 2:00 Online síncrona

Ref. 176T1- 23/24 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120963/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 08-04-2024

Fim: 27-05-2024

Regime: e-learning

Local: Plataforma Zoom

Formador

Catarina Maria Cabanelas Pereira

Destinatários

Educadores/as de Infância; Professoras/es de todos os níveis de ensino ou outros profissionais de educação

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores/as de Infância; Professoras/es de todos os níveis de ensino ou outros profissionais de educação. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Atualmente, os professores apresentam uma necessidade urgente de atualizar as suas abordagens metodológicas para responder às exigências de uma cultura um metabolismo acelerado. Além disso, as mudanças necessárias são sobretudo sistémicas e orgânicas, pelo que os métodos de aprendizagem convencionais com origem no início da era industrial, tendem a ser mecanizados, orientados para um locus de controlo externo, pouco customizados e baseados no condicionamento clássico e enfatizam o formato expositivo "Eu falo, tu ouves". De acordo com Collin Rose, a educação e o ensino na era atual deve caracterizar-se por um envolvimento global do aluno, privilegiando uma colaboração genuína, uma variedade e diversidade de métodos pedagógicos, a motivação intrínseca e uma maior diversão e estimulação da vontade de aprender, integrando a aprendizagem de sala de aula com a vida em sociedade. Com recursos a ferramentas de várias áreas do conhecimento, como a Psicologia, as Neurociências e as Ciências da Educação, este curso é desenvolvido com o intuito de apoiar os professores na construção e monitoria das suas aulas, favorecendo percursos de sucesso escolar e estimulando a motivação para a aprendizagem. Este curso de formação tem como objetivos capacitar professores e educadores de ferramentas e técnicas pedagógicas para aplicar princípios e técnicas do accelerated learning aos programas específicos de aprendizagem e, assim otimizar o processo de aprendizagem dos alunos.

Objetivos

No final deste curso de formação, os participantes deverão ser capazes de: -Reconhecer diferentes estilos de aprendizagem; -Distinguir os diferentes tipos de inteligências (linguística, lógica/matemática, visual, corporal, musical, emocional/social, interpessoal (interna) e ambiental); -Reconhecer a anatomia cerebral e o papel dos dois hemisférios cerebrais no processo de aprendizagem; -Identificar e aplicar diferentes técnicas de de aprendizagem preconizadas pelo modelo de aprendizagem acelerada; -Reconhecer os pilares da aprendizagem e aplicá-los na conceção e planeamento das aulas; -Aplicar estratégias para otimizar a memória, motivação intrínseca e autoconsciência dos alunos, permitindo-lhe estratégias de estudo eficazes; -Identificar os fundamentos e princípios do Accelerated Learning.

Conteúdos

Fundamentos e princípios do Accelerated Learning -Erros comuns nas estratégias de ensino convencionais -Fundamentos e princípios do Accelerated Learning Funcionamento do Cérebro e Tipos de Aprendizagem -Anatomia e áreas funcionais do cérebro -Diferentes tipos de aprendizagem -Os 8 tipos de inteligência e aplicação de estratégias de ensino para a sua estimulação Modelo de Accelerated Learning -O ciclo da aprendizagem -Os 6 pilares da aprendizagem eficaz e a sua aplicação Estratégias de aprendizagem visual, auditiva e corporal -Aplicação das estratégias de aprendizagem VAC em sala de aula (Visual, Auditiva e Cinestésica) Técnicas de Accelerated Learning - Técnicas para otimizar a memória (mnemónicas espaciais, gráficas, verbais) -Técnicas de leitura rápida -Técnicas de foco a atenção -Técnicas para estimular a criatividade

Metodologias

As sessões decorrerão em modalidade síncrona em que o formador está em contacto direto com a turma em sala virtual através da qual interage com os formandos e dinamizará a sessão com recurso a apresentações, vídeos entre outros materiais pedagógicos, como exercícios de reflexão individual e de grupo e assíncrona, em que serão propostos exercícios práticos para serem desenvolvidos pelos formandos posteriormente apresentados e discutidos em sessões síncronas). A formação será teórico-prática, e com participação ativa dos formandos em todas as atividades propostas. Serão propostas atividades de discussão de temas específicos relacionados com os temas, exercícios e atividades pedagógicas, casos práticos e role-plays.

Avaliação

- Instrumento de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Grelhas de observação e participação ; -Grelhas de realização dos trabalhos; -Participação em fóruns de discussão de temas; -Qualidade dos Trabalhos apresentados; - Relatório de Reflexão Crítica; - Participação ativa dos formandos 30% - Realização das atividades práticas (30%) - Relatório final de reflexão crítica (40%) - De acordo Com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

. Watts, S. (2021). The art of Accelerated Learning.Rose, C. (2011). Accelerated Learning for the XXI Century. A Dell Trade Paperback.Smith, A., Lovatt, M. and Wise, D. (2005). Accelerated learning A Users Guide. Crown House Pub.Meier, D. (2000). The Accelerated Learning Handbook. McGraw Hill.Balreira Guerra, P. (2000). Cerebrus . A Gestão Intrapessoal. Editora Pergaminho.


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-04-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 15-04-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 22-04-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online assíncrona
4 29-04-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 06-05-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 13-05-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online assíncrona
7 20-05-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Online síncrona
8 27-05-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 22:00 3:30 Online síncrona

Ref. 127T2-23-24 A decorrer

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120589/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 08-04-2024

Fim: 27-05-2024

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Francisco Solipa

Paula Cristina Nogueiro Mesquita

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A escola enquanto espaço de apropriação e construção de conhecimento tem o dever de apetrechar alunos e professores com competências e saberes adaptados à nova civilização cognitiva. A gamificação propõe aumentar o envolvimento e a motivação dos alunos na aprendizagem através de elementos de jogo. Nesse sentido, diante do desafio de preparar recursos úteis para as necessidades da sala de aula nos dias de hoje, selecionamos ferramentas digitais com características de gamificação que podem ser utilizadas para captar a atenção dos alunos, motivá-los na realização de tarefas e auxiliá-los na compreensão dos conteúdos. Nessa ação, serão utilizadas diversas ferramentas, tais como Intuitivo, Quizizz, Mentimeter, Edpuzzle, Coogle, Genially, Padlet, Voki e Live Polls, entre outras. A gamificação torna os alunos mais atentos aos desafios, premiando o seu progresso. Além disso, facilita a interação entre os indivíduos e cria canais de comunicação, permitindo um feedback instantâneo e a criação de comunidades de compartilhamento. Dessa forma, o professor poderá criar de forma simples momentos desafiadores, divertidos e envolventes para os alunos, proporcionando uma experiência de aprendizagem mais significativa.

Objetivos

Este curso de formação tem como objetivo capacitar os professores com competências para: · Integrar dinâmicas e mecanismos de gamificação em processos educativos, como classificações, pontos, troféus, entre outros; · Desenvolver atividades pedagógicas gamificadas; · Promover o uso de tecnologias digitais no processo de aprendizagem, aproximando-o das dinâmicas sociais atuais; · Identificar os fatores conceituais e operacionais que podem facilitar ou dificultar a integração e utilização de tecnologias digitais no contexto educacional.

Conteúdos

Sessão 1 Gamificação: objetivos, áreas de aplicação, exemplos, ferramentas e criação de um projeto. Gamificação na educação: Wordwall Sessão 2 Gamificação na educação: Genially Quiz Jogos Escape Room Sessão 3 Sondagens: Mentimeter; Vídeos interativos: Edpuzzle. Sessão 4 Rever e avaliar conhecimentos: Intuitivo Classificação Clássica Classificação por Rubrica Sessão 5 Quizzes: Quizizz Quiz Lição Sessão 6 Criação de um projeto de Gamificação Mapas mentais: Coogle Trabalho colaboraivo: Padlet Sessão 7 Estratégias de gamificação: Storytelling: Voki Envolver a audiência: Live Poolls Sessão 8 Apresentação e discussão do portefólio dos formandos; Reflexão sobre as repercussões da formação na prática pedagógica.

Metodologias

As atividades a realizar no curso decorrem em sessões síncronas, teórico/práticas, num total de 25 horas. As sessões deverão ser de carácter predominantemente prático, com alguns momentos expositivos/demonstrativos. Propõe-se a utilização da metodologia de aprendizagem baseada na realização de tarefas, enfatizando que as atividades integradoras devem ser desenvolvidas com a preocupação de relacioná-las aos contextos e experiências profissionais dos participantes.

Avaliação

A avaliação da atividade desenvolvida por cada formando será realizada de modo continuado pelos formadores e tem como referência os objetivos e finalidades da ação. São tomados em consideração os seguintes aspetos, de acordo com a Carta Circular CCPFC 3/2007: - Elaboração dos trabalhos práticos e reflexões efetuadas durante as sessões presenciais, sujeitas a critérios de classificação previamente estabelecidos; - Relatório final individual; - Classificação dos parâmetros avaliados na escala de 1 a 10, com a competente menção qualitativa global, em conformidade com os critérios de avaliação vigentes no Centro de Formação, necessitando os formandos de obter a pontuação mínima de 5 valores e a frequência de pelo menos 2/3 do total de horas para obterem aprovação na ação de formação; - Creditação final de acordo com o regulamento da modalidade.

Bibliografia

Gamificação na educação: o que é e como pode ser aplicada. Disponível em https://sae.digital/gamificacao-na-educacao/Gamificação no Ensino. Disponível em: https://www.ipp.pt/noticias/gamificacao-no-ensinoGamificação como atividade lúdico-didática no ensino. Disponível em: http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/63277


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 15-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 22-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
4 29-04-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 06-05-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
6 13-05-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 20-05-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 27-05-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona

Ref. 162T1 23/24 Em avaliação

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120557/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 15-02-2024

Fim: 18-04-2024

Regime: e-learning

Local: Zoom

Formador

Helena Maria Lourenço Abreu Patrão Neves

Destinatários

Educadores de Infância Professores (GR100) de docentes de Educação Especial (910,920,930)

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância Professores (GR100) de docentes de Educação Especial (910,920,930). Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância Professores (GR100) de docentes de Educação Especial (910,920,930).

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A inclusão no pré-escolar define-se em função dos valores, das políticas e das práticas que sustentam o direito de cada criança (e da sua família), independentemente das suas características ou competências, a participar numa ampla gama de atividades e contextos, enquanto membros efetivos. Os resultados esperados do processo de inclusão incluem um sentimento de pertença, relações sociais positivas e amizades, bem como o desenvolvimento e aprendizagem para atingir o seu pleno potencial. Conscientes da importância da educação pré-escolar como alicerce para a educação da criança e do que a educação inclusiva pode determinar nos primeiros anos de vida, o papel do educador é essencial em todo o processo educativo. Nesta perspetiva, este curso pretende promover a reflexão/discussão acerca dos princípios orientadores da Educação Inclusiva nos contextos de pré-escolar, da construção de ambientes educativos que favoreçam a inclusão, de metodologias e currículos holísticos e flexíveis, bem como da organização de oportunidades de aprendizagem para crianças com diferentes níveis de desenvolvimento ou em situação de vulnerabilidade.

Objetivos

Promover espaços de análise reflexiva conjunta, acerca dos princípios orientadores do Decreto-Lei n.º54/2018,e das suas implicações, na organização dos ambientes e nas práticas educativas do Pré-Escolar; ·Reconhecer fundamentos e princípios da pedagogia de infância, de acordo com as Orientações Curriculares da Educação no Pré-Escolar (OCEPE), e suas implicações nas práticas educativas inclusivas; · Compreender a perspetiva biológica e sistémica do desenvolvimento da criança; · Incentivar à adoção de práticas pedagógicas diferenciadas que respondam às necessidades e características individuais de cada criança; .Promover práticas de planeamento e avaliação tendo como base a identificação de barreiras e potencialidades da criança e do ambiente educativo; .Analisar casos práticos. · Identificar especificidades do desenvolvimento típico e atípico de crianças dos 0 aos 6 anos; · Assegurar processos de transições facilitadores e de continuidade entre contextos educativos (pré-escolar e 1º ciclo).

Conteúdos

1- Fundamentos neurobiológicos do desenvolvimento da criança: - Neuroplasticidade; - Períodos sensíveis do desenvolvimento; - Resposta ao stress; -Funcionamento executivo; -Interação dinâmica entre o biológico e a experiência. 2- Neurodesenvolvimento infantil típico/ atípico: -Etapas do desenvolvimento biopsicossocial da criança; -Normas de desenvolvimento estabelecidas/aprendizagens esperadas para uma determinada faixa etária/idade; -Referências para situar um percurso individual e singular de desenvolvimento e aprendizagem; -Sinais de alarme nas diferentes áreas do desenvolvimento; - Atraso do desenvolvimento psicomotor/perturbação do desenvolvimento; 3- Enquadramento Legal da Educação Inclusiva (decreto-Lei 54/2018 e Lei 116/2019) : -Princípios orientadores da Educação Inclusiva; -Identificação de potencialidades e barreiras à aprendizagem e inclusão; -Identificação de medidas/evidências no pré-escolar; - Operacionalização de medidas no pré-escolar; - FAQ - Questões sobre o DL n.º 54/2018 e a Educação pré-escolar. 4 - Fundamentos e princípios da pedagogia de infância - práticas educativas inclusivas: - Planeamento e avaliação de ambientes inclusivos do pré-escolar; -Construção e gestão do currículo inclusivo no pré-escolar (conjunto das interações, experiências, atividades, rotinas e acontecimentos planeados e não planeados que ocorrem num ambiente educativo inclusivo, organizado para promover o bem-estar, o desenvolvimento e a aprendizagem das crianças); -Participação/envolvimento/sucesso na aprendizagem da criança com necessidades especificas; -Práticas educativas diferenciadoras e acomodações curriculares no Pré-escolar; -Organização do tempo e adaptação de instrumentos/materiais reguladores da participação e envolvimento da criança; - Elaboração de instrumentos de transição facilitadores e de continuidade entre ciclos. 5. Desenvolvimento de materiais/documentos (no âmbito dos conteúdos do curso) que constituam trabalho de avaliação. 6. Apresentação e discussão dos trabalhos elaborados na 5ª sessão. Total: 25h

Metodologias

Da 1ª à 4ª sessão da ação, as sessões serão de índole eminentemente teórico/prático, iniciadas com uma breve exposição teórica relativa aos temas a tratar, seguidas de atividades práticas de pesquisa, análise e reflexão de documentação relevante a cada tema. Nas 5ª e 6ª sessões, o trabalho será predominantemente de carácter prático, consistindo na elaboração e apresentação de trabalho passível de ser utilizado na prática pedagógica diária. Em todas as sessões será privilegiado o trabalho em grupo.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, A avaliação da aprendizagem dos formandos será contínua (formativa), tendo em consideração os seguintes critérios: motivação, participação, espírito crítico e relacionamento interpessoal e sumativa, recorrendo a instrumentos de avaliação desenvolvidos para efeito, tais como, exercícios práticos de grupo e individuais. Avaliação da formação será quantitativa de acordo com Carta Circular CCPFC-3/2007: Excelente - de 9 a 10 valores Muito Bom- de 8 a 8,9 valores Bom- de 6,5 a 7,9 valores Regular - de 5 a 6,4 valores Insuficiente - de 1 a 4,9 valores Será feita a avaliação interna da ação de formação, recorrendo ao preenchimento, pelos formandos, de um questionário online para avaliar, designadamente, a pertinência da formação, a metodologia utilizada, a adequação da ação às necessidades individuais de formação e o impacto das competências adquiridas na atividade profissional.

Bibliografia

Bairrão, J. (1994). A Perspectiva Ecológica na Avaliação de Crianças com Necessidades Educativas Especiais e suas Famílias: O Caso da Intervenção Precoce. Inovação, 7 (1).Lima, C. (coord). (2015). Perturbações do Neurodesenvolvimento - Manual de orientações diagnósticas e estratégias de intervenção. Lidel - Edições Técnicas,Lda.European Agency for Special Needs an Inclusive Education, (2017). Educação pré-escolar inclusiva:Novas perspetivas e ferramentas - relatório síntese final. (M. Kyriazopoulou, P. Bartolo, E. Bjorck - Akesson, C. Giné e F. Bellour, ed.). Odense, Dinamarca.Portugal, G. & Laevers, F. (2010). Avaliação em Educação Pré-escolar -Sistemas de acompanhamento das crianças. Porto: Porto EditoraZabalza, M.A. (1996) Los diez aspectos claves de una Educación Infantil de calidad. En Zabalza, M.A. Calidad en la Educación Infantil. Madrid: Narcea


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 15-02-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 22-02-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 29-02-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online assíncrona
4 07-03-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 14-03-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 21-03-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online assíncrona
7 11-04-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 18-04-2024 (Quinta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona

Ref. 131T2-23-24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120641/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 28-02-2024

Fim: 08-04-2024

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Formador

Francesco Luciani

Alexandra Carla Nunes Gomes

Destinatários

Professores de Grupos de recrutamento 110, 250, 610, M01 a M45

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Grupos de recrutamento 110, 250, 610, M01 a M45. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Os espetáculos em âmbito escolar são, portanto, uma mais-valia no desenvolvimento e crescimento académico dos alunos, ao mesmo tempo que são um contributo para a coesão de toda a comunidade escolar e proporcionam uma maior abertura da Escola à comunidade local, regional e nacional em que está inserida. Por outro lado, a organização de espetáculos musicais escolares, possibilita a interação entre diferentes disciplinas e exige aos professores e à Escola a aplicação e desenvolvimento de competências de organização, segurança e gestão, que lhes permitem responder a necessidades de maior interação, comunicação e coordenação com os alunos e encarregados de educação, bem como com a restante comunidade escolar. Trata-se de uma atividade de particular responsabilidade e em que é essencial o cuidado e atenção a diferentes pormenores. Esta ação de formação destina-se, assim, à renovação e atualização de conhecimentos dos docentes no âmbito da montagem de um espetáculo musical na Escola. Nesse sentido, propõe-se aos formandos um percurso formativo que trata da organização de espetáculos musicais a 360 graus. O curso tem por alvo os professores ligados ao ensino da música nos vários graus escolares - desde o 1º ciclo até ao ensino especializado da música, passando pelas disciplinas de música e educação musical, - os quais têm que organizar frequentemente espetáculos musicais que façam parte de atividades escolares, clubes temáticos, ciclos musicais, concursos, temporadas ou festivais de música. As temáticas abordadas cruzam assuntos de várias áreas do conhecimento, desde temas didáticos e pedagógicos, até noções de comunicação, de gestão e técnicas de palco, passando pela legislação aplicável a espetáculos públicos e regras básicas de segurança.

Objetivos

1. Usar técnicas simples para trabalhar com os seus alunos a preparação de uma performance musical. 2. Entender todas as vertentes que são necessárias para a realização de um evento musical na Escola. 3. Ser capazes de utilizar ferramentas de comunicação básicas e simples para comunicar e divulgar os espetáculos musicais escolares em que participa. 4. Criar um plano de execução para a realização de um espetáculo musical na Escola

Conteúdos

Módulo 1 | - Preparar os alunos para uma apresentação musical ao vivo - Técnicas de estudo e preparação de músicas e peças musicais - Apoiar o aluno no planeamento do estudo e preparação da performance musical - Apoiar o aluno na criação de uma rotina de estudo/preparação em casa - Como lidar com a ansiedade e o medo do palco Módulo 2 | - A organização de um espetáculo Musical na Escola - Os tipos de espetáculo musical no âmbito escolar - O espetáculo musical escolar enquanto evento - Planeamento logístico de um espetáculo musical escolar - A criação e gestão de equipas multidisciplinares para organização do evento - O envolvimento dos pais na criação do espetáculo musical - Pormenores técnicos: segurança e direitos de autor Módulo 3 | - A comunicação de um espetáculo musical escolar - O envolvimento dos pais e da comunidade escolar no espetáculo musical escolar - A abertura do espetáculo musical e da Escola à comunidade local - A divulgação do espetáculo musical: da imprensa às redes sociais da Escola Módulo 4 | - O Planeamento do Espetáculo Musical na Escola - Dicas e Boas práticas para a organização de de um espetáculo musical Escolar - A criação de um plano de execução de um espetáculo musical escolar

Metodologias

SESSÕES SÍNCRONAS· Dinâmicas de grupo; · Pequenos debates que visam sedimentar conhecimentos e esclarecer quaisquer dúvidas que os formandos tenham acerca dos conteúdos do curso; · Métodos expositivo e demonstrativo (demonstração e utilização acompanhada de ferramentas úteis para a organização e divulgação de um evento escolar). · Tutoriais e recursos multimédia (som e vídeo), · E-Manuais digitais (material escrito sob a forma de manual digital), · Perguntas de resposta aberta, · Fóruns, · Glossários, · Salas de discussão, · Formulários, · Email.

Avaliação

Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 da responsabilidade conjunta do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua e da Direção Geral dos Recursos Humanos da Secretaria de Educação: «Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8.9 valores; Bom - de 6.5 a 7.9 valores; Regular - de 5 a 6.4 valores; Insuficiente - de 1 a 4.9 valores.»

Bibliografia

ARAÚJO, Joana Mafalda Peixoto (2013). Ansiedade na performance em crianças e adolescentes: algumas estratégias pedagógicas de autocontrolo. Universidade do Minho (Dissertação de Mestrado). Braga.BOBONE, Paula (2010). Eventologia : ciência e artes da criação e gestão de eventos. Universidade Fernando Pessoa. PortoGORDON, Edwin E. (2015). Teoria de aprendizagem musical: competências, conteúdos e padrões. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa.ISIDORO, Ana Margarida et al. (2014). Manual de organização e gestão de eventos. Sílabo, LisboaMARTINGO, Ângelo et al. (2018). A música e o corpo. Letras e Coisas. Lavra.


Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 28-02-2024 (Quarta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
2 04-03-2024 (Segunda-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online assíncrona
3 06-03-2024 (Quarta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
4 11-03-2024 (Segunda-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online assíncrona
5 13-03-2024 (Quarta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
6 15-03-2024 (Sexta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
7 18-03-2024 (Segunda-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
8 20-03-2024 (Quarta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
9 21-03-2024 (Quinta-feira) 20:00 - 22:00 2:00 Online assíncrona
10 22-03-2024 (Sexta-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online assíncrona
11 08-04-2024 (Segunda-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona

Ref. 137T1- 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117159/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 20-02-2024

Fim: 07-03-2024

Regime: e-learning

Local: Plataforma Zoom

Formador

Olga Margarida Paulo de Sá

Destinatários

.Educadoras de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de .Educadoras de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Na atualidade, que se pretende uma Escola moderna, inovadora e exigente, são constantes os desafios para os profissionais da educação e saúde perante a diversidade de perfil dos alunos. Pretende-se que a individualidade de cada aluno seja respeitada e valorizada, contribuindo para o enriquecimento de todo um conjunto. Por este motivo, a presente formação procura dotar os formandos com conhecimento sobre os princípios e valores da Educação Inclusiva e Equitativa, estratégias de diferenciação pedagógica, medidas educativas, metodologias de avaliação e monitorização das aprendizagens, para que cada aluno possa intervir, participar, adquirir saber e desenvolver competências essenciais para a sua vida quotidiana, autodeterminação e autonomia. Importa atualizar o conhecimento científico, refletir sobre o mesmo, para o poder aplicar à prática profissional. Pelo facto de a legislação sobre Educação Inclusiva, em Portugal, ter sido implementada há quatro anos atrás, ainda surgem muitas dúvidas na sua operacionalização, por isso considera-se que será importante para os profissionais a oportunidade de terem acesso a conteúdos formativos atualizados, numa perspetiva universal, de refletirem conjuntamente, de produzirem conhecimento, e de terem acesso à partilha de experiências profissionais, que possam contribuir para uma prática educativa mais eficaz e coesa

Objetivos

1. Reconhecer os princípios e valores que estão na base da Educação Inclusiva e Equitativa. 2. Apreender os conceitos basilares da Legislação da Educação Inclusiva em Portugal. 3. Relacionar as orientações internacionais sobre Educação e as políticas e práticas educativas aplicadas em Portugal. 4. Compreender o conceito de Necessidades Educativas Específicas. 5. Delinear propostas de intervenção pedagógica/definição de estratégias, de acordo com o perfil do aluno, e correlacionando com o processo de ensino-aprendizagem, atendendo ao Desenho Universal de Aprendizagem e o Perfil do Aluno à saída da Escolaridade Obrigatória. 6. Refletir sobre as medidas educativas a aplicar atendendo às necessidades do aluno. 7. Implementar mecanismos de avaliação e monitorização do processo educativo. 8. Refletir sobre o envolvimento da família no percurso educativo do aluno e sobre a continuidade do reforço da participação e aprendizagem em contexto familiar.

Conteúdos

1. Educação inclusiva 1.1 Princípios e valores da Educação Inclusiva e Equitativa 1.2 Diversidade individual e social 1.3 Equidade no acesso a uma Educação de Qualidade 1.4 Oportunidades Educativas 1.5 Valorização da diversidade 1.6 Princípio da não discriminação 2. Serviços, Sistemas e Políticas: documentos orientadores para a prática educativa (Unesco) 3. Necessidades Educativas Específicas 3.1 Fatores intrínsecos à criança 3.2 Interação entre fatores intrínsecos e fatores ambientais: facilitadores ou barreiras à atividade e participação 4. A Aprendizagem e a Participação 4.1 A aplicação de medidas educativas, tendo por base a legislação como suporte à aprendizagem e à inclusão: Decreto-Lei 54/2018, de 6 de julho e Portaria 116/2019, de 13 de setembro; 4.2 Abordagem Multinível e o Desenho Universal para a Aprendizagem; 4.3 Estratégias de diferenciação pedagógica e intervenção nos diversos contextos de aprendizagem; 4.4 A avaliação e a monitorização do processo educativo; 4.5 O envolvimento da Família no percurso educativo do aluno.

Metodologias

As sessões síncronas terão na sua base metodológica a apresentação científica de conceitos e desenvolvimento de conteúdos, fomentando o diálogo construtivo e a partilha de experiências profissionais. O formando terá oportunidade de participar ativamente através de dinâmicas de brainstorming, quizz, visualização de vídeos/múiscas, análise de documentos/casos-exemplo e trabalhos de grupo. Nas sessões síncronas utilizar-se-á igualmente a metodologia THINK-PAIR-SHARE, no sentido de cada formando se dedicar a uma área temática para depois partilhar e colaborar com outros pares na reflexão, desenvolvimento do sentido crítico e contrução de saber, que seja uma mais valia para a prática pedagógica/intervenção com o aluno. Nas sessões assíncronas privilegiar-se-á a pesquisa orientada, a reflexão e a elaboração de trabalhos individuais práticos (análise de casos e propostas de estratégias de intervenção, de acordo com o partilhado nas sessões síncronas). Em suma, a metodologia seguirá uma vertente teórico-prática.

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação das atividades práticas (30%) - realização das atividades (30%) - Relatório final de reflexão crítica (40%) - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

1. American Psychiatric Association. Diagnostic and statistical manual of mental disorders: DSM 5. American Psychiatric Publishing Inc, Washington DC, abril de 2013.2. Apriani, E. (2016). Using The Think-Pair-Share (TPS) Strategy to Enhance Students. Reading Achievement of The Seventh Grade at MTsN Lumpatan.3. Claparède, Edouard (1920).L' ecole sur mesure. Genève: Payot.4. Colôa, Joaquim (2014). Avaliação para as aprendizagens de alunos com necessidades educativas especiais no 1º ciclo de ensino básico: da diversidade da avaliação à avaliação da diversidade. Universidade de Lisboa. Lisboa.5. Nóvoa, António (2009). Professores, Imagem do Futuro Presente. Educa. Instituto de Educação, Universidade de lisboa. Lisboa.


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 20-02-2024 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
2 22-02-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
3 23-02-2024 (Sexta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online assíncrona
4 27-02-2024 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
5 29-02-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
6 01-03-2024 (Sexta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online assíncrona
7 05-03-2024 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
8 07-03-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona

Ref. 170T 1- 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-114122/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 19-02-2024

Fim: 21-03-2024

Regime: e-learning

Local: Plataforma Zoom

Formador

Vanessa Esmeralda Rodrigues Pereira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A violência escolar em geral, e fenómenos de indisciplina em particular, constituem temáticas atuais, detetadas amiúde nos estabelecimentos de ensino. Também em Portugal, resulta evidente que essas ocorrências afetam direta e/ou indiretamente o sucesso escolar. Concomitantemente, os comportamentos de violência/indisciplina manifestados pelos alunos, concorrem para acentuar a fadiga e o desgaste sobejamente reportados pelos professores, com repercussões evidentes na qualidade do ensino. Assim, acumular conhecimento no domínio da gestão e organização dos espaços de aprendizagem, no propósito de melhor conhecer e lidar com o fenómeno da indisciplina constituem objetivos fundamentais desta ação de formação. Esta oficina de formação tem cabimento no plano de atividades, porquanto impera a necessidade de planificação de formação técnica e especializada dos agentes educativos com vista à prevenção, sinalização e intervenção na violência escolar. De igual modo, é conhecida e cientificamente validada a relação entre disciplina e sucesso escolar.

Objetivos

Estruturar conhecimentos permitindo a clarificação de conceitos relativos à violência escolar; - Desenvolver competências teóricas e práticas indispensáveis à gestão e organização eficientes dos espaços de aprendizagem; - Conhecer procedimentos para avaliação e caraterização dos comportamentos de indisciplina; - Implementar estratégias de promoção da disciplina e mitigação da indisciplina; - Tomar consciência das mudanças a promover para a prevenção e resolução de conflitos na prática pedagógica.

Conteúdos

Causas da indisciplina; Tarefas do ensino; Professores eficazes e estratégias eficientes; Organização, estrutura e propriedades da sala de aula; Fases da aula e estruturas de participação ; Gestão das transições e interrupções ; Questionários de estilos de gestão de sala de aula ; Modelos de Intervenção; Comunicação Escola-Família;

Metodologias

No que respeita à metodologia, a componente teórica é caraterizada por uma abordagem mais expositiva, centrada na transmissão de conteúdos de referência e estruturantes e, por outro lado, na leitura orientada de textos de natureza científica e normativa. A componente teórico/prática consiste na discussão em plenário e pequenos grupos sobre os conteúdos abordados, como também na elaboração de guiões de leitura dos documentos/materiais disponibilizados.

Avaliação

Os formandos serão avaliados utilizando a tabela de 1 a 10 valores, conforme indicado o Despacho nº 4595/2015, de 6 de maio, utilizando os parâmetros de avaliação estabelecidos e respeitando todos os dispositivos legais da avaliação contínua. Escala de avaliação: Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8,9 valores; Bom - de 6,5 a 7,9 valores; Regular- de 5 a 6,4 valores; Insuficiente -de 1 a 4,9 valores. Considera-se classificação positiva toda e qualquer avaliação igual ou superior a 5, implicando atribuição de créditos de formação. As avaliações inferiores a 5 implicam reprovação do formando. Nesta avaliação serão tidos em conta alguns indicadores: Participação na ação (contributos, pontualidade), realizada com base na observação direta feita pelo formador tendo como base a participação e desempenho dos formandos na realização dos trabalhos; Reflexão individual critica do percurso formativo com a indicação dos impactos no desenvolvimento profissional e organizacional

Bibliografia

Lopes, J. (2002). Problemas de Comportamento, Aprendizagem e Ensinagem. Coimbra: Ed. Quarteto.Lopes, J. (2009). Comportamento, Aprendizagem eMarzano, R. (2003). Classroom Management That Works: Research-Based Strategies for Every Teacher. Virginia USA: ASCD.Parrat-Dayan, S. (2012). Como enfrentar a indisciplina na escola. São Paulo: Ed. Contexto.Rogers, B. (2015). Classroom Behaviour - A Practical Guide to Effective Teaching, Behaviour Management and Colleague Support. London:SAGE.


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-02-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
2 26-02-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
3 04-03-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
4 07-03-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 11-03-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 14-03-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 18-03-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 21-03-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona

Ref. 151T1 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116981/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 08-02-2024

Fim: 07-03-2024

Regime: e-learning

Local: online-zoom

Formador

Marta Gomes

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial - com experiência em Catalogação

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial - com experiência em Catalogação. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

As Bibliotecas Escolares deparam-se com recursos humanos, professores bibliotecários, professores com algumas horas na equipa e assistentes operacionais ou técnicos, sem conhecimentos na área da biblioteconomia. O tratamento documental de vários recursos bibliográficos é essencial para o funcionamento de uma biblioteca escolar no apoio à sua comunidade. Com os catálogos online em rede nos agrupamentos e os concelhios torna-se prioritário a uniformização de dados. Esta formação é primordial para os recursos humanos das bibliotecas porque necessitam de conhecimentos das técnicas de descrição e catalogação dos vários tipos de documentos existentes na coleção da biblioteca.

Objetivos

Gerais: No final da ação, os formandos deverão ser capazes de efetuar a descrição bibliográfica de diversos recursos bibliográficos a partir de normas nacionais e internacionais previamente estabelecidas. Específicos: - Conhecer os diferentes tipos de documentos: registos contínuos, vídeos, sonoros, gráficos, artefactos 3D e eletrónicos. - Produzir descrições bibliográficas normalizadas de Material Não Livro e respetivos pontos de acesso, que consiste na análise exterior do documento de onde é feita a descrição dos seus dados bibliográficos e nos permite a identificação do documento: título, autor, publicação, descrição física, coleção, notas, etc., para empréstimo automatizado num programa de gestão de bibliotecas.

Conteúdos

1 - A catalogação: . Revisão de conceitos 2 - Descrição Bibliográfica Normalizada: . Tomar conhecimento dos vários manuais de apoio à descrição bibliográfica normalizada atualmente existentes e como os utilizar: . ISBD - Descrição Bibliográfica Internacional Normalizada (consolidada); . Unimarc - Formato bibliográfico; . Regras Portuguesas de Catalogação. 3 - A descrição bibliográfica de acordo com a ISBD e os respetivos campos UNIMARC nos vários tipos de documentos: registos contínuos, vídeos, sonoros, gráficos, artefactos 3D e eletrónicos. A catalogação compreende a realização das seguintes tarefas: análise exterior do documento, identificação e seleção dos elementos essenciais do documento que permitam identifica-lo, descrição bibliográfica do documento, recuperando os elementos constantes do registo. Esta descrição é feita numa ficha bibliográfica segundo normas internacionalmente definidas e automatizada em computador num programa de gestão de bibliotecas. 4 - Aplicação das Regras Portuguesas de Catalogação (RPC) na construção de pontos de acesso de autoridade. 5 - Exercícios práticos dos diversos recursos bibliográficos.

Metodologias

- A catalogação : revisão de conceitos - sessão teórica - Descrição Bibliográfica Normalizada - sessão teórica - A descrição manual e automatizada de recursos bibliográficos (catalogação) - sessões teórico/prática - Aplicação das RPC - sessão teórico/prática - Exercícios práticos - sessões práticas

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: Participação /Contributos: - Participação nas sessões- 30% Realização/Trabalho de aplicação de conteúdos -30% Reflexão Crítica -40% - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

- SOTOMAIOR, José Carlos. - Regras de catalogação: descrição e acesso de recursos bibliográficos nas bibliotecas de língua portuguesa. Lisboa: BAD - Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas, 2008. 1075 p. ISBN 978-972-9067-38-9.IFLA - Manual Unimarc : formato bibliográfico. Lisboa : Biblioteca Nacional, 2008, 910 p. ISBN 978-972-565-439-2.- IFLA - Descrição bibliográfica internacional normalizada (ISBD): edição consolidada. Lisboa : BNP, 2012.- 362 p. ISBN 978-972-565-479-8• IFLA - Directiva para uso do UNIMARC no tratamento de documentos electrónicos. Lisboa : Biblioteca Nacional, 2007, 37, [2] p. ISBN 978-972-565-324-1


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-02-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 15-02-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 20-02-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 22-02-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
5 27-02-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 29-02-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
7 05-03-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 07-03-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona

Ref. 149T1- 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-115401/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 23-01-2024

Fim: 22-02-2024

Regime: e-learning

Local: Plataforma Zoom

Formador

Vanessa Esmeralda Rodrigues Pereira

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

No contexto educativo, convivem diversas pessoas com necessidades, interesses e potencialidades específicas, nem sempre sendo fácil compreender e responder adequadamente às necessidades de cada um. Para promover um ambiente pacífico e de convivência cooperativa neste mesmo contexto, é fundamental saber escutar ativamente os outros, nomeadamente as crianças e jovens, e compreender as suas necessidades. É, igualmente, essencial saber expressar e partilhar as suas próprias necessidades. Como referiu Marshall Rosemberg, todas as ações/comportamentos são baseados em necessidades humanas, que todos procuramos preencher. De facto, compreendendo as necessidades uns dos outros, as relações são mais satisfatórias e profundas, permitindo consequentemente maior bem-estar e sucesso. Tanto o Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória como a Educação para a Cidadania e o Plano 21/23 Escola +, realçam a importância do desenvolvimento de diversas competências pessoais, como a comunicação, o pensamento crítico e criativo, a resolução de problemas, a colaboração, o relacionamento interpessoal, o desenvolvimento pessoal e a autonomia, o bem-estar e a saúde, etc. Para conseguir promover estas competências nas crianças e jovens, é essencial explorar e desenvolver as mesmas. Neste sentido, nesta ação de formação, pretende-se promover competências de comunicação, nomeadamente assertiva e não violenta, relacionais e de gestão e mediação de conflitos. Estas competências irão facilitar a gestão das relações dentro e fora da sala de aula e promover maior bem-estar e sucesso de toda a comunidade educativa.

Objetivos

Caracterizar a convivência cooperativa no contexto educativo; Reconhecer os problemas de convivência neste mesmo contexto; Atuar de forma adequada em relação aos mesmos; Caracterizar o conflito e as emoções associadas; Gerir as mesmas; Reconhecer a importância da autorregulação emocional; Valorizar esta cultura de convivência para a transformação positiva dos conflitos; Reconhecer a importância do desenvolvimento de competências facilitadoras do relacionamento interpessoal para a gestão das relações dentro e fora da sala de aula e o maior bem-estar e sucesso; Comunicar de forma assertiva, não violenta e na mensagem no "eu"; Ter uma atitude compreensiva-empática; Escutar ativamente; Compreender a motivação e as estratégias motivacionais; Proporcionar maior perceção de autoeficácia; Valorizar o compromisso e a colaboração com estilos de gestão de conflitos; Mediar conflitos.

Conteúdos

- Sessão de trabalho síncrona nas salas em simultâneo e em grande grupo Apresentação da ação de formação, dos parâmetros de avaliação, dos objetivos da ação de formação e do grupo de formação (formandos e formadora); Convivência cooperativa no contexto educativo; Problemas de convivência neste mesmo contexto; Atuação adequada em relação aos mesmos; - Sessão de trabalho síncrona nas salas em simultâneo e em grande grupo Conflito e emoções associadas; Gestão das mesmas; Autorregulação emocional; Valorização desta cultura de convivência para a transformação positiva dos conflitos; -Sessão de trabalho em pequenos grupos assíncrona; - Sessão de trabalho síncrona nas salas em simultâneo e em grande grupo A Importância do desenvolvimento de competências facilitadoras do relacionamento interpessoal para a gestão das relações dentro e fora da sala de aula e o maior bem-estar e sucesso; Comunicação assertiva, não violenta e na mensagem no "eu"; Atitude compreensiva-empática; Escuta ativa; Sessão de trabalho em pequenos grupos assíncrona; - Sessão de trabalho síncrona nas salas em simultâneo e em grande grupo Motivação e estratégias motivacionais; Perceção de maior autoeficácia; Valorização do compromisso e da colaboração com estilos de gestão de conflitos; -Sessão de trabalho em pequenos grupos assíncrona; - Sessão de trabalho síncrona em grande grupo Mediação de conflitos; Partilha das reflexões finais; Síntese; Esclarecimento de dúvida; Avaliação do curso de formação; Conclusão da formação; Abertura em relação à próximas ações.

Metodologias

Ao longo das diferentes sessões de formação de tipologia teórico-prática e principalmente prática, serão valorizadas as interações e partilhas, recorrendo aos diferentes métodos e técnicas pedagógicas, nomeadamente aos métodos interrogativo (formulação de perguntas) e ativo (tempestade de ideias, estudo de casos, jogo de papéis, trabalhos individuais e de grupo, etc.), na sala principal e nas salas em simultâneo. As reflexões de grupo também serão registadas, recorrendo à ferramentas digitais. O recurso à vídeos facilitará, igualmente, a reflexão e a partilha no seio do grupo.

Avaliação

Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação das atividades práticas (30%) - realização das atividades (30%) - Relatório final de reflexão crítica (40%) - De acordo com o Art. 46.º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

- Gasda, G., Balzer, F., Childers, W., Nealy, A., Phelps, R. & Walters, R. (2005). Human relations development: A manual for educators. Boston: Allyn & Bacon.- PINTO DA COSTA, Elisabete (2019). Mediação de Conflitos na Escola: da Teoria à Prática. Edições Universitárias Lusófonas.- ROSÁRIO, Pedro (2005). Motivação e aprendizagem: uma rota de leitura. In M. Taveira (Coord.), Temas de Psicologia Escolar: Contributos de um projecto científico-pedagógico (pp. 23-60). Coimbra: Quarteto Editora.- ROSEMBERG, M. (2021). Comunicação não violenta . O segredo para comunicar com sucesso. Alma em desenvolvimento.- TORREGO, Juan Carlos (2001). Mediação de Conflitos em Instituições Educativas. Manual para Formação de Mediadores. Tradução José Carlos Eufrásio. Edições ASA.


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-01-2024 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
2 25-01-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
3 30-01-2024 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
4 06-02-2024 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
5 08-02-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
6 15-02-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
7 20-02-2024 (Terça-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
8 22-02-2024 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona

Ref. 178T1- 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-121217/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 23-01-2024

Fim: 18-03-2024

Regime: e-learning

Local: Plataforma Zoom

Formador

Carlos Alberto da Pedreira Simões

Maria da Conceição do Carmo Farinha Rodrigues Henriques

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O desenvolvimento de um sistema educacional equitativo e inclusivo requer uma abordagem holística, implicando a necessidade de os sistemas educacionais olharem para as políticas e conectá-las para a equidade e a inclusão, desde o design de currículos, a conceção de práticas de ensino, a capacitação do corpo docente e da implementação clara de sistemas de avaliação e monitorização dos resultados dos alunos (Equity and Inclusion in Education-Finding Strength Through Diversity, OCDE-2023) https://www.oecd-ilibrary.org/education/equity-and-inclusion-in-education_e9072e21-en A sociedade atual em acelerada mudança em função do avanço tecnológico e do conhecimento, transporta para a escola uma responsabilidade na capacitação dos alunos para o desenvolvimento de competências, capacidades e atitudes que lhes possibilite a aquisição de ferramentas necessárias e naturalmente complexas de compreensão, análise crítica, equilíbrio emocional e capacidade de criação. Tal exigência implica uma transformação dos modelos tradicionais do dar aulas para o promover aprendizagens por parte dos docentes. São eles que, em grande medida, constroem a escola, definem a sua micropolíticas e cultura organizacional, o que pressupõe que sejam capazes de ajustar a sua formação tradicional às novas exigências que os capacite para agir pedagogicamente perante os novos desafios da diversidade dos alunos, num contexto inclusivo. No contexto do enquadramento legislativo (Dec. Lei n.º 55 e 54/2018), as escolas, a ritmos diferentes, têm vindo a fazer percursos de mudança nas suas políticas, culturas e práticas, com maior ou menor impacto nas dinâmicas das aprendizagens dos alunos.

Objetivos

- Compreender o enquadramento legal nacional no contexto dos principais documentos e situá-los no contexto das recomendações internacionais para a educação; - Analisar a evolução do conceito de inclusão e situá-lo numa visão mais atual de educação para a diversidade e ação pedagógica equitativa; - Compreender a importância o Perfil do Aluno à Saída da Escolaridade Obrigatória (PASEO) na articulação curricular para o desenvolvimento de competências, capacidades e atitudes adequadas à sociedade atual em constante mudança; - Identificar os valores essenciais e áreas de competência necessárias para o professor, para responder à diversidade dos alunos; - Refletir sobre o perfil de competências dos docentes para a educação que possibilite a adoção de novas práticas pedagógicas que garantam a qualidade e o sucesso da aprendizagem de cada aluno.

Conteúdos

1- O contexto e enquadramento legislativo e concetual da educação Inclusiva 1.1. Marcos e documentos com impacto na educação inclusiva no mundo e em Portugal 1.2. Evolução e perspetivas da educação inclusiva em Portugal (reconstruir) 1.3. Princípios orientadores da educação para a diversidade e inclusão em Portugal 2- Reconhecer a diversidade da população escolar 2.1. Desconstruir preconceitos na resposta à diversidade 2.2. Gerir expetativas na construção de percursos escolares (alunos, professores e pais) 3- O perfil do aluno à saída da escolaridade obrigatória e articulação curricular 3.1. Como trabalhar as competências a desenvolver 3.2. Metodologias e ações estratégicas na implementação curricular 3.3. Ambientes educativos inclusivos 4- Ser professor no século XXI, o perfil de competências, comunicação e relação pedagógica 4.1. Valores fundamentais para contextos inclusivos (valorização da diversidade, apoiar todos, trabalho colaborativo e desenvolvimentos pessoal e profissional) 4.2. Áreas de competência para o desenvolvimento profissional (atitudes, conhecimentos e capacidades); 4.3. Os "C" da Educação para o Futuro; 5- Compromisso com a inclusão e diversidade-Carta de princípios do professor inclusivo (síntese)

Metodologias

Nesta ação de formação serão desenvolvidas metodologias ativas e participativas, procurando promover a reflexão teórica sobre as temáticas elencadas e trabalho de carácter prático. A componente teórica será desenvolvida com base em apresentações, filmes e artigos, orientada pelos formadores, estimulando a reflexão crítica e partilha de conceitos e práticas. A componente prática irá incidir em grupos de discussão com guiões orientadores, trabalho de grupo para análise das diferentes temáticas abordadas nas sessões, partilha reflexiva de práticas, metodologias de trabalho e de avaliação. Pretende-se a elaboração de um diário de bordo por cada formando, sendo reservado, em cada sessão, um momento de conclusões ou ideias centrais. Será usada a plataforma MOODLE e nova plataforma do CFAE como instrumentos de disponibilização de todo o tipo de materiais teóricos e práticos e, ainda, um instrumento de partilha entre formandos numa perspetiva de comunidade de aprendizagem.

Avaliação

De acordo com o RJFCP – Decreto-Lei n.º 22/2014, de 11 de fevereiro e nos termos dos números 5 e 6, do artigo 4.º do Despacho n.º 4595/2005, de 6 de maio, valorizando-se a lógica formativa e de acompanhamento. Assim, a avaliação dos formandos terá incidência na: Participação -30% Trabalho desenvolvido - 30% Relatório crítico individual - 40% Escala de avaliação: de 1 a 10 valores 1 a 4,9 valores - Insuficiente; 5 a 6,4 valores - Regular 6,5 a 7,9 valores - Bom 8 a 8,9 valores - Muito Bom 9 a 10 valores -Excelente

Bibliografia

Dec. Lei n.º 55/2018 de 6 julho; Dec. Lei n.º 54/2018 de 6 julho; DGE - Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória; The future of education and skills Education 2030 https://www.oecd.org/education/2030/E2030%20Position%20Paper%20(05.04.2018).pdf Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável https://globalcompact.pt/index.php/pt/agenda-2030 Formação de professores para a inclusão-Perfil de professores inclusivos, European Agency for Development in Special Needs Education (2012)AINSCOW.(2000), The next step for Special Education: suporting the development of inclusive pratices , in British Jounal of special education , 27 pp. 76-80COSME, ARIANA (2018) - Autonomia e Flexibilidade Curricular -Propostas e Estratégias de Ação


Observações

9, 16, 23, 30 janeiro 6, 20, 27, fevereiro e 5 de março de 2024

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 23-01-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 30-01-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 06-02-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 20-02-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 27-02-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 05-03-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:30 3:30 Online síncrona
7 12-03-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 18-03-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:30 3:30 Online síncrona

Ref. 155T1- 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116958/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 19-01-2024

Fim: 24-02-2024

Regime: e-learning

Local: Plataforma Zoom

Formador

Maria Manuela da Silva Claro de Andrade Alves

Destinatários

Professores de Educação Especial (Grupos 910, 920, 930).,Educadores e Professores do 1º, 2º, 3º Ciclos e Secundário.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Educação Especial (Grupos 910, 920, 930).,Educadores e Professores do 1º, 2º, 3º Ciclos e Secundário.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A inclusão passa pelo enquadramento na legislação vigente, pelo que urge trilhar percursos educativos colaborativos nesta direção, como desafio inovador para alcançar uma Educação mais Inclusiva. O contributo do Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA) pode fazer toda a diferença para apoiar os docentes a "chegarem" a todos os alunos, tendo em conta as suas diferenças individuais, necessidades e capacidades, tornando o currículo mais inclusivo e flexível, articulando uma variedade de estratégias inovadoras e facilitadoras do processo de ensino aprendizagem. Os princípios do DUA alicerçam-se na investigação das áreas do cérebro, proporcionando oportunidades de aprendizagem a todos os alunos. Trata-se de uma abordagem curricular inovadora, concebendo a utilização de ambientes educativos que ajudam os discentes a desenvolver conhecimentos, competências e entusiasmo, através do seu papel central na aprendizagem e tem por finalidade promover a concetualização do tema a partir da evidência científica, bem como promover a construção de materiais flexíveis e recursos literácitos para serem aplicados na prática letiva.

Objetivos

- Refletir sobre as práticas profissionais e contribuir para a mudança ao nível dos procedimentos pedagógicos relativos ao desenvolvimento do currículo; - Construir um quadro teórico/concetual de referência à volta do tema, nomeadamente as características DUA, enquanto ferramenta facilitadora em termos de acesso, remoção de barreiras, participação e sucesso; - Conhecer de que forma o DUA valoriza a adequação de estratégias de aprendizagem em sala de aula, fomentando uma abordagem inclusiva do currículo para todos os alunos, com o recurso aos princípios do DUA; - (Re)pensar cenários de aprendizagem, recorrendo a um conjunto de suportes científicos em prol do sucesso escolar de todos os alunos; - Promover o debate e a partilha entre os diversos participantes, incluindo dos materiais construídos, para consolidar a aprendizagem cooperativa e a articulação entre diferentes áreas do saber; - Elaborar um portefólio que traduza todo o trabalho produzido.

Conteúdos

1.Apresentação dos intervenientes na ação, dos objetivos, metodologias, materiais, resultados a alcançar, avaliação e calendarização; Exploração da documentação e materiais de apoio. 2.Políticas e Práticas Inclusivas: implicações na sala de aula; - Legislação vigente; - A abordagem multinível e a sua relação com o Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA). 3.DUA: origem, conceitos e fundamentos (3 horas). - Contributo das neurociências para a educação/aprendizagem; -Evidências científicas em sala de aula e sua operacionalização; - O DUA e as componentes do currículo. 4.Princípios do DUA, as redes neuronais da aprendizagem cerebral e recursos/guidelines de apoio em sala de aula. - Princípios: Múltiplos meios de envolvimento; Múltiplos meios de representação e Múltiplos meios de ação/expressão; - Identificação de barreiras existentes nos contextos educativos e estratégias para a sua remoção; - Planificação de aulas, flexíveis e articulando diferentes áreas científicas, atendendo aos três princípios do DUA: múltiplos meios de envolvimento, de apresentação e expressão envolvendo docentes de diferentes grupos de recrutamento. 5.Construção de materiais inclusivos e flexíveis. 6.Apresentação e partilha de materiais.

Metodologias

A ação terá a duração de 25 horas em que serão adotados os seguintes passos metodológicos: - As metodologias escolhidas pretendem valorizar e promover uma atitude reflexiva sobre as práticas pedagógicas, assentes na experiência e conhecimento de cada formando; - Serão igualmente desenvolvidas abordagens teóricas e práticas referentes aos conteúdos anteriormente especificados, com recurso a material atual e adequado, promovendo-se a consulta, reflexão e debate em torno das temáticas; - Pretende-se privilegiar o trabalho colaborativo e prático, centrados na modalidade de trabalho de grupo, tendo em conta o nível de ensino em que lecionam os formandos; - Será promovida a criação de instrumentos de trabalho a aplicar na intervenção educativa, no sentido de se promover uma escola efetivamente inclusiva; -Será ainda elaborado um portefólio, que suporta todo o trabalho realizado e implementado, realçando os materiais construídos e a reflexão crítica individual.

Avaliação

Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação/realização das atividades práticas (30%) - Relatório final de reflexão crítica (70%) De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

- Alves, M., Ribeiro, J. Simões, F. (2013). Universal design for learning (UDL): Contributos para uma escola para todos. Tecnologias da Informação em Educação, Indagatio Didactica, 5(4), 121-146. (ISSN: 2182-5157), -Alves, M., Ribeiro, J. & Simões, F. (2018). Criação e aplicação de recursos educativos digitais com o Universal Design for Learning na promoção da inclusão: Investigação-ação na aprendizagem da ferramenta Book Builder. FRONTEIRAS Journal of Social, Technological and Environmental Science ISSN: 2238-8869, v.7, nº2 (2018) (225- 251). CAST UDL (2011). Princípios orientadores do Desenho Universal de Aprendizagem. Disponível em: http://www.udlcenter.org/sites/udlcenter.org/files/Guidelines_ 2.0_Portuguese.pdf http://www.cast.org/our-work/about-udl.html#.Woi-1tSLSt8. -Nunes, C. & Madureira, I. (2015). Desenho Universal para a Aprendizagem: Construindo práticas pedagógicas inclusivas. Da Investigação às Práticas, 5(2), 126-143. Meyer, A., Rose, D.H., & Gordon, D. (2014). Universal Design for Learning: Theory and Practice. Wakefield, MA: Cast Professional Publishing.


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-01-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
2 19-01-2024 (Sexta-feira) 20:00 - 21:00 1:00 Online assíncrona
3 20-01-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
4 26-01-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
5 26-01-2024 (Sexta-feira) 20:00 - 21:00 1:00 Online assíncrona
6 27-01-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
7 03-02-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
8 03-02-2024 (Sábado) 12:30 - 13:30 1:00 Online assíncrona
9 17-02-2024 (Sábado) 09:30 - 12:30 3:00 Online síncrona
10 23-02-2024 (Sexta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
11 23-02-2024 (Sexta-feira) 20:00 - 21:00 1:00 Online assíncrona
12 24-02-2024 (Sábado) 09:30 - 10:30 1:00 Online assíncrona
13 24-02-2024 (Sábado) 10:30 - 12:30 2:00 Online síncrona

Ref. 138T1- 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-113440/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 09-01-2024

Fim: 12-03-2024

Regime: e-learning

Local: Plataforma Zoom

Formador

Carina Lobato Faria

Destinatários

Professores dos Grupos 110 e 910

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 110 e 910. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 110 e 910.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Numa escola que visa a inclusão de todos os alunos numa via comum de ensino, garantido para tal o acesso, a participação e progresso dos mesmos; é incontornável o comprometimento de toda a comunidade educativa com uma cultura intencional de pedagogia diferenciada. Uma pedagogia que diferencie não apenas os conteúdos de aprendizagem ou mesmo os processos de avaliação, mas que os complemente com práticas de diferenciação no ensino e sistematização dos processos cognitivos de aprendizagem. Atualmente a aprendizagem já não é vista como um processo de acumulação linear de informação, mas sim como um processo complexo, que implica uma apropriação pessoal de experiências, favorecida pela interação em contexto social e onde intervêm formas diversas de pensar e de estabelecer relações entre o que o aluno já sabe e o que aprenderá de novo. Esta realidade só poderá ter como consequência, a necessidade de um cuidado cada vez mais sério com a diferenciação pedagógica dos processos de aprendizagem como ferramenta nuclear do processo de ensino e aprendizagem. Uma vez que toda e qualquer mudança curricular passa necessariamente pelo professor, este assume-se invariavelmente como um recurso de eleição nesta jornada que é a constante incorporação da diferenciação dentro dos contextos pedagógicos; o que justifica a pertinência da presente formação no seu plano de progressiva capacitação profissional.

Objetivos

- Reconhecer o papel e o lugar da diferenciação pedagógica na construção de uma cultura de escola inclusiva. - Definir e operacionalizar o conceito de diferenciação nos seus diferentes níveis de ação curricular: conteúdos, processos e produtos. - Conhecer os principais processos cognitivos de aprendizagem e as suas diferentes etapas de construção neuropsicológica. - Saber observar, identificar e apoiar /intervir perante as diferentes barreiras no processo de aprendizagem de diferentes alunos. - Compreender a importância do ensino e aprendizagem assente em processos de mediação intencional e construção por etapas dos diferentes processos mentais. - Compreender a dinâmica de construção de mediadores cognitivos e saber a plicá-los em contexto de sala de aula. - Refletir sobre as diferentes características de ambientes pedagógicos promotores da diferenciação pedagógica.

Conteúdos

1. Diferenciação Pedagógica como ferramenta de construção de uma educação progressivamente mais inclusiva: definição do conceito e dos seus três níveis de operacionalização (conteúdo, processo e produto) 2. Processos neuropsicológicos da aprendizagem: estudo das diferentes etapas de construção neurodinâmica das diferentes aptidões e capacidades inerentes à aprendizagem, visando a possibilidade de identificar estratégias de diferenciação pedagógica intencional. 2.1. Aptidões transversais da aprendizagem: funções executivas; atenção reativa e seletiva, memória arbitrária e deliberada/semântica e pensamento concreto e lógico-verbal. 2.2. Funções académicas elementares: leitura, escrita, aritmética. 2.3. Funções académicas complexas: leitura ativa, dirigida e critica; pensamento crítico e reflexivo - argumentativo; síntese e anotações. 3. Diversidade em contexto de sala de aula: ferramentas de análise e sistematização das diferentes nas competências dos diferentes alunos - perfil de heterogeneidade da turma. 4. Conceito de Mediação dos processos mentais e construção por etapas das ações mentais 5. Construção cooperativa de processos de mediação e práticas de pedagógica diferenciada pelos formandos e reflexão sobre a sua aplicação pedagógica focada nos processos de aprendizagem em contexto de sala de aula.

Metodologias

a) Sessões plenárias de formação em grande grupo destinadas à apresentação dos conteúdos pela formadora, análise e discussão dos mesmos, clarificação, sistematização e aprofundamento de conceitos, e reflexão sobre as práticas pedagógicas em articulação com as temáticas dos conteúdos b) Sessões de trabalho em pequeno grupo destinadas à exploração de materiais, seleção e realização de tarefas relacionadas com os conteúdos, elaboração de propostas de mediação de diferentes processos cognitivos de aprendizagem, reflexão sobre as características de ambientes pedagógicos de diferenciação pedagógica ou mesmo analise de diferentes estudos de caso c) Sessões plenárias destinadas à discussão dos trabalhos e produtos de reflexão produzidos pelos formandos ao longo das horas de formação ou de trabalho prático de aplicação dos conhecimentos

Avaliação

A avaliação consta de: Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação das atividades práticas (30%) - realização das atividades (30%) - Relatório final de reflexão crítica (40%) A avaliação é quantitativa, na escala de 1 a 10, seguindo o regime de avaliação em vigor. Deve-se aplicar a seguinte escala, na conversão da avaliação quantitativa (de 1 a 10 pontos) para a avaliação qualitativa de 5 níveis (entre Insuficiente e Excelente): Insuficiente: 1 a 4,9 pontos Regular: 5 a 6,4 pontos Bom: 6,5 a 7,9 pontos Muito Bom: 8 a 8,9 pontos Excelente: 9 a 10 pontos

Bibliografia

Almeida, G. (2012). Neurociência e sequência didática para educação infantil. São Paulo: Editora Unissinos.Cozzolino, L. (2013). The social neuroscience of education: optimizing attachment & learning in the classroom. New York: W. W. Norton & Company.Cozzolino, L. and Davis, L. (2017). How People Change. In Daniel Siegel, How People Change, 5ed, 53-71. Norton & Company: London.Perrenoud, Ph. (1995). Ofício de Aluno e Sentido do Trabalho Escolar. Porto: Porto Editora.Perrenoud, Ph. (1999). Pedagogia Diferenciada. Das Intenções à Ação. Porto Alegre: Artmed Editora.


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 16-01-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 23-01-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 30-01-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
4 06-02-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
5 20-02-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 27-02-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
7 05-03-2024 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 12-03-2024 (Terça-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona

Ref. 156T1 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116952/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 08-01-2024

Fim: 11-03-2024

Regime: e-learning

Local: online

Formador

Ana Maria Fernandes Cláudio

Destinatários

Professores do 1º ciclo (grupos 110, 120) e do 2º ciclo que lecionem a disciplina de Português (grupo 200, 210, 220)

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º ciclo (grupos 110, 120) e do 2º ciclo que lecionem a disciplina de Português (grupo 200, 210, 220). Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores do 1º ciclo (grupos 110, 120) e do 2º ciclo que lecionem a disciplina de Português (grupo 200, 210, 220).

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Roteiro de Educação Artística (REA), refere que a cultura e a arte são componentes essenciais de uma educação completa que conduza ao pleno desenvolvimento do indivíduo. Por isso a Educação Artística é um direito humano universal, para todos os aprendentes, (p.5). A expressão dramática/teatro configura-se como uma das artes com presença de pleno direito no currículo do 1º ciclo. Também no 2º ciclo o Teatro tem lugar, seja nos módulos referentes ao texto dramático, na disciplina de Português, seja nas propostas de diversificação de recursos, fazendo-se alusão às dramatizações como, por exemplo, uma das formas possíveis para apresentação de trabalhos ou como um recurso para projetos, entre outros. Tanto no 1º como no 2º ciclo, as atividades teatrais estão referenciadas nos documentos das Aprendizagens Essenciais, sendo uma forma privilegiada de conseguir concretizar as competências definias no documento do Perfil do Aluno à Saída da Escolaridade Obrigatória. Apesar destas referências nos documentos oficiais e reguladores da prática pedagógica, o teatro vive, muitas vezes, de forma tímida nas escolas. Tal facto deve-se, amiúde, à insegurança sentida por docentes que receiam o risco de atividades que não dominam em pleno. Daí a pertinência desta ação de formação, como um contributo importante para a avigoramento dos professores nesta área de expressão artística.

Objetivos

- Compreender os princípios da educação artística e a contribuição da mesma para o desenvolvimento integral do aluno; - Capacitar os participantes para a aplicação de técnicas que abranjam os domínios preconizados nas AE de Expressão dramática/teatro; - Conhecer diferentes técnicas de abordagem da Expressão dramática/teatro; - Reconhecer a força criadora e transformadora da expressão dramática/teatro e a sua aplicação na educação; - Habilitar os participantes a integrar as expressões artísticas teatrais na planificação das atividades letivas.

Conteúdos

A organização das sessões segue a estrutura das Aprendizagens Essenciais, da seguinte forma: Sessão 1 - Introdução à ação; - A educação pela arte; - O teatro na educação. Sessão 2 - Identificar diferentes estilos de teatro, a partir de registos vídeo; - Conhecer o vocabulário específico do teatro. Sessão 3 - Distinguir teórica e experimentalmente, o jogo dramático, improvisação e representação. Sessão 4 - As especificidades formais do texto dramático; - Criação de um texto dramático. Sessão 5 - Experimentação e criação: o corpo e a voz; Sessão 6 - Experimentação e criação: o espaço e a criação de personagens. Sessão 7 - Experimentação e criação: produzir pequenas cenas, seguindo indicações. Sessão 8 - Planificação de atividades letivas com a centralidade no teatro (trabalho de grupo). - Apresentação dos trabalhos de grupo.

Metodologias

Sessões teóricas/práticas : - Introdução teórica ao tema da sessão ; - Atividade prática de acordo com o tema da sessão (a pares ou pequenos grupos); - Elaboração teórica sobre o processo experimentado Sessões plenárias síncronas e assíncronas 7 com a duração de 3 horas cada. Sessões plenárias síncronas para realização e discussão de trabalhos 1 com a duração de 4 horas

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação nas sessões de formação (20%) - Realização das atividades práticas (50%) - Relatório final de reflexão crítica (30%) - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

Barata, J. O. (1979). Didáctica do Teatro. Coimbra: Livraria Almedina.Beja, F., Topa, J. M. e Madureira, C. (s/data). Drama, pois! Jogos e projetos de expressão dramática. Porto: Porto Editora.Boal, A. (2005). Jogos para atores e não-atores. Rio de Janeiro: Civilização BrasileiraBrook, P. (2008). O espaço vazio. Lisboa: Orfeu Negro.Caldas, J. (2007). Teatro e Educação. Transgressões disciplinares. Porto: Edições Afrontamento.


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-01-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 15-01-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 29-01-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 05-02-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 19-02-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 26-02-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 04-03-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 11-03-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona

Ref. 157T1 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-117160/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 08-01-2024

Fim: 26-02-2024

Regime: e-learning

Local: None

Formador

Catarina Maria Cabanelas Pereira

Destinatários

..Educadoras de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de ..Educadoras de Infância e Professores dos Ensinos Básico, Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

"Brown, H. Douglas (2007) refere que os professores podem desempenhar muitos papeis no âmbito do ensino e isso pode facilitar a aprendizagem. A sua capacidade de os desempenhar de maneira eficaz dependerá, em grande medida, da empatia que criarem com os seus alunos e do seu próprio nível de conhecimentos e competências. " O Mentoring é um processo de desenvolvimento em que uma pessoa mais experiente - o professor - partilha o seu conhecimento com uma pessoa menos experiente, o aluno, na escola, dentro ou fora da sala de aula, através de um conjunto de estratégias pedagógicas formais e informais, para alcançar objetivos escolares ou académicos e de desenvolvimento pessoal e social. Esta ação de formação tem como objetivos capacitar professores e educadores de ferramentas e estratégias de mentoring, para estabelecer e desenvolver uma relação pedagógica mais eficaz, quer para estimular a sua motivação, como para otimizar as diferentes estratégias de aprendizagem. Com recursos a ferramentas de várias áreas do conhecimento, como a Psicologia, as Neurociências, as Ciências da Educação e a Gestão de Recursos Humanos, este curso é desenvolvido com o intuito de apoiar os professores na gestão de situações desafiantes no seu quotidiano, favorecendo percursos de sucesso escolar e estimulando a motivação para a aprendizagem.

Objetivos

· Identificar; . As ferramentas de intervenção em Mentoring; . O seu papel no sistema educativo · Utilizar estratégias de motivação dos alunos · . As crenças limitadoras e facilitadoras da aprendizagem; · . Os seus pontos fortes e potenciar a sua utilização na sua missão de facilitadores da aprendizagem; · . Reconhecer as suas vulnerabilidades e identificar recursos para os transformar em aspetos que tragam mais valias ao processo de aprendizagem dos seus alunos; · Adquirir e/ou desenvolver as suas capacidades de liderança, comunicação e interação com os alunos, promovendo uma maior eficácia das aprendizagem a realizar; · Aplicar estratégias para estimular a motivação e o interesse no processo de aprendizagem dos seus alunos; . As dificuldades e reconhecer atitudes e comportamentos ajustados às necessidades dos alunos, em contexto de sala de aula; . Aplicar estratégias que promovem a autodescoberta e o desenvolvimento dos alunos; ·Aplicar ferramentas de mentoring que permitem favorecer a mudança no contexto da aprendizagem em sala de aula.

Conteúdos

História princípios do Mentoring - Mentoring no contexto educativo - O papel do professor-mentor na facilitação da aprendizagem dos alunos A atitude e comportamentos do professor Mentor na aprendizagem dos alunos: - Competências de um Professor-Mentor; - Definir objetivos SMART & FUN; - Estimular o sentido de competência; - Desenvolver e reconhecer a autonomia- O Mentoring na Escola: - Metodologia do Mentoring em sala de aula; - Fases de intervenção num processo de mentoring com os alunos. O processo de aprendizagem em sala de aula: - Modelos de aprendizagem; - Estilos de aprendizagem; - Princípios para aprender. Ferramentas do Professor-Mentor na facilitação da aprendizagem dos alunos: - Rapport e Confiança; - Escuta ativa ; - Perguntas poderosas; - Reformular; - Feedback construtivo e Feedforward; - Otimização da autoconsciência, responsabilidade e foco; - Promover a descoberta; - Estimular a motivação; - Co-construir Planos de ação e de desenvolvimento: da definição de objetivos ao acompanhamento. Ferramentas de Mentoring Educativo: - Definição de Objetivos; - MAFO - a análise estratégica para uma aprendizagem eficaz; - Roda Educativa; - Diários de Aprendizagem; - Crenças e desconstrução de crenças; - Mindmaping; - Posições Perceptuais; - Analogias e metáforas - Storytelling

Metodologias

As sessões decorrerão em modalidade síncrona, em que o formador está em contacto direto com a turma em sala virtual através da qual interage com os formandos e dinamizará a sessão com recurso a apresentações, vídeos entre outros materiais pedagógicos, como exercícios de reflexão individual e de grupo. A formação será teórico-prática, e com participação ativa dos formandos em todas as atividades propostas. Serão propostas atividades de discussão de temas específicos relacionados com os temas, exercícios e atividades pedagógicas, casos práticos e role-plays.

Avaliação

Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação/realização das atividades práticas (60%) - Relatório final de reflexão crítica (40%) - De acordo Com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

Brueggeman, A. (2022). Student-Centered Mentoring. Corwin.Holliday, M.(2001). Coaching, mentoring & Managing. The Creer Press, Inc.Penim, A. e Catalão, J. (2017). Ferramentas de Team Coaching. Lidel.Pérez, J. (2016). Ferramentas de Coaching Educativo. Porto editora.Pérez, J. (2009). Coaching para Docentes. Motivar para o Sucesso. Porto editora.Penim, A. e Catalão, J. (2021). Ferramentas de Mentoring. Lidel.


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-01-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 15-01-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online assíncrona
3 22-01-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 29-01-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 05-02-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
6 12-02-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online assíncrona
7 19-02-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
8 26-02-2024 (Segunda-feira) 18:30 - 22:30 4:00 Online síncrona

Ref. 145T1- 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-114356/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 08-01-2024

Fim: 04-03-2024

Regime: e-learning

Local: Plataforma Zoom

Formador

Carlos Alberto da Pedreira Simões

Maria da Conceição do Carmo Farinha Rodrigues Henriques

Destinatários

Professores dos Grupos 110, 200, 210, 220, 910, 920 e 930

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 110, 200, 210, 220, 910, 920 e 930. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 110, 200, 210, 220, 910, 920 e 930.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A aprendizagem e automatização da leitura e escrita exigem a aquisição e desenvolvimento de capacidades e processos significativamente complexos que, em muitas situações, algumas crianças demonstram dificuldades persistentes e duradouras, limitando-as na aquisição desta forma de comunicação. Estas dificuldades manifestam-se essencialmente no início da escolaridade em muitos alunos e são ultrapassadas naturalmente. Outras prolongam-se no tempo de forma persistente, com consequências mais ou menos graves do ponto de vista do acesso à informação e da sua estabilidade emocional ou afetiva, podendo configurar alguma forma de perturbação específica. Esta oficina de formação justifica-se pela inquietação que os professores vêm manifestando em lidar com as crescentes dificuldades apresentadas pelos alunos no processo de aquisição e desenvolvimento da linguagem escrita, em particular com os que apresentam características disléxicas e disortográficas. Assim torna-se necessário analisar com os docentes as causas desta problemática, refletir sobre os processos de aquisição da linguagem escrita, as estratégias de ensino-aprendizagem mais adequadas e formas específicas de abordagem das perturbações da leitura e escrita, nomeadamente ao nível dos diferentes tipos de dislexia, disortografia e disgrafia.

Objetivos

- Promover uma reflexão sobre as diferentes características da aprendizagem da leitura e escrita e das estratégias de intervenção adequadas a cada situação; - Saber identificar os processos de aquisição e desenvolvimento da linguagem escrita; - Compreender o conceito de leitura e identificar os processos cognitivos envolvidos; - Saber diferenciar perturbações específicas de leitura e escrita de dificuldades pontuais e transitórias; - Saber identificar os sinais característicos ou indicadores de dislexia e disortografia e as suas diferentes tipologias; - Identificar e implementar processos e estratégias de ensino-aprendizagem de alunos.

Conteúdos

1.ª sessão: - Apresentação e contratualização da oficina; - Linguagem oral e linguagem escrita: processos de aquisição, desenvolvimentos e mecanismos cognitivos envolvidos; - As perturbações específicas na linguagem escrita (dislexia, disortografia e disgrafia). 2.ª sessão: - Os diferentes tipos de dislexia; - As características dos erros típicos dos disléxicos e disortográficos; - Caracterização do disléxico e sinais de alerta, relativamente à aprendizagem e desenvolvimento da personalidade e emocional. 3ª sessão: - Técnicas e instrumentos de observação, diagnóstico e análise; - Análise de situações referenciadas pelos professores; - Construção de protocolos informais de caraterização das perturbações específicas. 4.ª sessão: - Análise e estudo colaborativo de situações identificadas pelos docentes, em grande grupo. 5.ª Sessão: - Análise e estudo colaborativo de situações identificadas pelos docentes, em grande grupo. 6.ª sessão: - Estratégias de intervenção e medidas pedagógicas em contexto de sala de aula; - Intervenção pedagógica de reeducação em contexto individual; - Organização de materiais, recursos educativos e adaptação de instrumentos de avaliação. 7.ª sessão: - Estratégias de intervenção e medidas pedagógicas em contexto de sala de aula; - Intervenção pedagógica de reeducação em contexto individual; - Organização de materiais, recursos educativos e adaptação de instrumentos de avaliação. 8.ª sessão: - Carta de princípios para a intervenção pedagógica com alunos com perturbações específicas de leitura e escrita (síntese dos trabalhos); - Avaliação

Metodologias

A ação decorrerá em sessões de trabalho de 3 horas, em regime pós-laboral e online. As sessões serão orientadas com recurso a metodologias e estratégias ativas e dinâmicas, procurando promover processos de trabalho em equipa, em parceria, pesquisa e tratamento de informação, análise de problemas e situações, troca de experiências potenciando os saberes individuais e momentos de reflexão em grande grupo, numa perspetiva de comunidade de aprendizagem. Todo o trabalho apresentado pelo formador e desenvolvido pelos formandos será realizado em suporte informático, constituindo um conjunto de recursos a disponibilizar posteriormente à comunidade educativa da área do Centro de Formação. Elaboração de um padlet de suporte à formação, como instrumento de partilha colaborativa de informação cientifica e recursos educativos.

Avaliação

A avaliação da atividade desenvolvida por cada formando será realizada de modo contínuo pelos formadores e tem como referência os objetivos e finalidades da ação. São tomados em consideração os seguintes aspetos, de acordo com a Carta Circular CCPFC - 3/2007: A obrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presenciais; Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação das atividades práticas (30%) - realização das atividades (30%) - Relatório final de reflexão crítica (40%) TOTAL :100%

Bibliografia

Batista, A; Ribeiro, Angelina (2006) Dislexia: Compreensão, Avaliação, Estratégias. QuartetoLopes, M. (2001). Dificuldades Específicas na Leitura e Escrita: a Dislexia. Braga: APPACDMSerra, H. (2008). NEE dos alunos disléxicos e/ou sobredotados. Revista Saber (e) Educar, 13, 137-147.Washburn, E. K., Joshi, R. M. & Binks-Cantrell, E. S. (2011). Teacher knowledge of basic language concepts and dyslexia. Dyslexia, 17,165-183.Woolhouse, C. (2012). Reflective practice and identity construction: the particularities of the experiences of teachers specialising in dyslexia. Reflective Practice, 13(6), 747-760


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 08-01-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 15-01-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 22-01-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 29-01-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 05-02-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 19-02-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 26-02-2024 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 04-03-2024 (Segunda-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona

Ref. 129T1 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120588/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 04-01-2024

Fim: 30-01-2024

Regime: e-learning

Local: online-zoom

Formador

Marta Gomes

Destinatários

Educadores de Infância, Docentes dos Ensinos Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Docentes dos Ensinos Básico, Secundário e Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

As Bibliotecas Escolares deparam-se com novos recursos humanos, professores bibliotecários, professores com algumas horas na equipa e assistentes operacionais ou técnicos, com poucos conhecimentos na área da biblioteconomia. A cadeia e o tratamento documental são essenciais para o funcionamento de uma biblioteca no apoio à comunidade escolar. Com os catálogos em linha em rede nos agrupamentos e concelhios torna-se prioritário a uniformização de dados. Esta formação é primordial para os professores e restante equipa, das Bibliotecas Escolares, porque necessitam de conhecimentos mais aprofundados das técnicas de tratamento documental do espólio da biblioteca escolar.

Objetivos

Objetivo geral No final da ação os formandos serão capazes de compreender os princípios fundamentais da área da biblioteconomia, os mecanismos de produção e processamento de recursos bibliográficos de monografias. Específicos: - Produzir descrições bibliográficas normalizadas de monografias e respetivos pontos de acesso, que consiste na análise exterior do documento de onde é feita a descrição dos seus dados bibliográficos e nos permite a identificação do documento: autor, título, edição, publicação, descrição física, coleção, notas, ISBN, etc., para empréstimo automatizado num programa de gestão de bibliotecas. - Pesquisar em catálogos bibliográficos em linha, utilizar o Z39.50 e captura de registos MARC.

Conteúdos

1 - A descrição automatizada de recursos bibliográficos (catalogação): A catalogação compreende a realização das seguintes tarefas: análise exterior do documento, identificação e seleção dos elementos essenciais do documento que permitam identifica-lo, descrição bibliográfica do documento, recuperando os elementos constantes do registo. Esta descrição é feita numa ficha bibliográfica segundo normas internacionalmente definidas e automatizada em computador num programa de gestão de bibliotecas. Entende-se por monografia toda a obra com uma unidade de conteúdo, com texto e por vezes com ilustrações. Ela pode ser constituída por um ou mais volumes, publicados numa mesma data ou em momentos diferentes, segundo um plano preestabelecido. 2- Captura de registos bibliográficos em formato MARC e Z39.50 Pesquisar em catálogos bibliográficos em linha de outras Instituições e realizar “cópias” de registos bibliográficos em formato Unimarc. 3- Exercícios Práticos Realização de exercícios de catalogação de monografias

Metodologias

Teórico/Práticas, Práticas, de Seminário/Projeto/Estágio máx 1000 caracteres) - A descrição automatizada de recursos bibliográficos (catalogação)- sessões teórico/práticas - Captura de registos bibliográficos em formato MARC e Z39.50 - sessões teórico/práticas - Exercícios práticos - sessões práticas.

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: Participação /Contributos: - Participação nas sessões- 30% Realização/Trabalho de aplicação de conteúdos -30% Reflexão Crítica -40% - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente Resposta a um inquérito elaborado para o efeito, centrado em: - Adequação dos objetivos estabelecidos - Nível de adequação às necessidades formativas - Pertinência da informação teórica - Organização e dinamização - Adequação dos espaços 2. Pelo formador: Elaboração de um relatório crítico com especial incidência: -Na análise das atividades desenvolvidas -Na participação e grau de empenhamento dos formandos -Elaboração de uma pauta de avaliação dos formandos, na escala de 1 a 10, com: -Aplicação dos critérios de avaliação constantes do regulamento da modalidade de formação -Aplicação dos critérios de avaliação descritos

Bibliografia

IFLA - Descrição bibliográfica internacional normalizada (ISBD): edição consolidada. Lisboa : Biblioteca Nacional, 2012. 356 p. ISBN 978-972-565-479-8IFLA - Manual Unimarc : formato autoridades. Lisboa : Biblioteca Nacional, 2008. 309 p. ISBN 978-972-565-432-3IFLA - Manual Unimarc : formato bibliográfico. Lisboa : Biblioteca Nacional, 2008, 910 p. ISBN 978-972-565-439-2SOTOMAIOR, José Carlos. Regras de catalogação: descrição e acesso de recursos bibliográficos nas bibliotecas de língua portuguesa. Lisboa: BAD - Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas, 2008. 1075 p. ISBN 978-972-9067-38-9


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-01-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 09-01-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 11-01-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 16-01-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
5 18-01-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 23-01-2024 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
7 25-01-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 30-01-2024 (Terça-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Online síncrona

Ref. 146T1- 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-114262/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 04-01-2024

Fim: 08-02-2024

Regime: e-learning

Local: Plataforma Zoom

Formador

Maria Júlia Ribeiro

Maria Clara Araújo Alves

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico e Secundário e docentes de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico e Secundário e docentes de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Curso visa proporcionar às docentes competências práticas para a prossecução e gestão de um sistema de avaliação de desempenho mais claro e eficaz. Tem como principal finalidade dotar os formandos de conhecimentos teóricos - práticos que lhes permitam um empoderamento facilitador do desenvolvimento e implementação de processos de avaliação de desempenho. De acordo com o estabelecido no ECD, a avaliação do desempenho do pessoal docente visa a melhoria da qualidade do serviço educativo e da aprendizagem dos alunos, bem como o desenvolvimento pessoal e profissional dos docentes. A formação permite dotar os formandos de instrumentos de observação da prática pedagógica e refletir, de forma sistematizada, sobre as práticas pedagógicas e avaliativas e o seu reflexo nas aprendizagens dos alunos, bem como sobre as potencialidades do trabalho colaborativo, enquanto prática profissional inerente à docência. Esta reflexão das práticas permitirá mudanças significativas na sala de aula, conduzirá à (re)criação e contextualização do currículo num ambiente inovador e colaborativo que assegure o desenvolvimento profissional dos docentes. Importa, por isso, desenvolver formação que promova a melhoria das práticas docentes de modo a promover a flexibilidade, a autonomia e a inclusão assim como apoiar a sua ação no sentido da melhor gestão das diferentes componentes da aprendizagem dos alunos. A melhoria da aprendizagem e a promoção do sucesso dos alunos passa por proporcionar dinâmicas de sala de aula que integrem estratégias e metodologias que promovam diferentes modos de atuação do professor. Pôr em prática a inclusão nas salas de aula e integrar de forma eficaz todos os alunos exige uma abordagem multinível.

Objetivos

. Proporcionar uma leitura reflexiva e convergente do quadro normativo da avaliação, objetivos e procedimentos da observação de aulas. . Clarificar alguns aspetos legais da Avaliação Externa de Desempenho Docente (AEDD), nomeadamente através dos procedimentos e dos documentos inerentes à observação de aulas. . Clarificar o conceito de supervisão pedagógica não como mero processo avaliativo e/ou de classificação, mas como contributo para o desenvolvimento do trabalho colaborativo e do desenvolvimento profissional do docente. . Clarificar as funções/operacionalização inerentes a cada um dos grupos de atores envolvidos no processo. . Debater o processo de observação de aulas na dimensão científica e pedagógica externa do desempenho docente. . Implementar um sistema de avaliação de desempenho eficaz, pela melhoria da qualificação dos avaliadores internos e externos no âmbito do processo de avaliação externa do desempenho docente.

Conteúdos

1 Enquadramento da ação e relevância da Avaliação do Desempenho Docente: 1.1. Análise dos normativos legais; 1.2. Papel da ADD no processo de regulação da qualidade do ensino; 1.3. Noção de supervisão - discussão da importância da supervisão no contexto de avaliação do desempenho docente; 1.4. O papel do avaliador interno. O papel do avaliador externo; Simulação de uma observação enquanto avaliador interno e externo. 2. Quadro normativo da avaliação do desempenho docente . Referencial de avaliação externa: parâmetros nacionais da avaliação da componente científica e pedagógica: 2.1. Princípios orientadores numa perspetiva global e integrada; 2.2. Componentes e dimensões da avaliação de desempenho docente; 2.3. Elementos de referência (componente interna e componente externa); 2.4. Intervenientes e respetiva articulação; 2.5. Procedimentos de avaliação: projeto docente, observação de aulas e autoavaliação. 3. Observação de aulas: prática e técnicas de recolha de informação . Instrumentos de apoio: guião de observação, parâmetros e níveis de desempenho: 3.1. Competências do avaliador externo; 3.2. Procedimentos: preparação, observação, autoavaliação e classificação- articulação entre o referido (instrumentos de registo) e o referente (parâmetros e níveis de desempenho);Análise e interpretação dos instrumentos de registo em função do referencial de avaliação. 4. Conclusões, avaliação e encerramento da ação.

Metodologias

A metodologia de realização da ação tem como princípio pedagógico e formativo a melhoria da prática pedagógica e das aprendizagens dos alunos, mediante a capacitação dos professores, no sentido de desenvolver competências de avaliação docente. A ação de formação, consentânea com a modalidade prevista num curso de formação, seguirá uma metodologia teórico-prática, combinando momentos de exposição de conteúdos com reflexão participada, a partir de tarefas realizadas individualmente e/ou em grupo. Com carácter essencialmente prático a formação desenvolve-se em momentos distintos de sessões de formação: com discussão sobre os normativos legais, desmistificação sobre o processo de ADD e simulações/ análise crítica sobre casos concretos de avaliação de desempenho que permitam contribuir para a criação ou potenciação de mecanismos e estratégias de transformação em vez de meras conformidades e reproduções. Nesta perspetiva, a avaliação e a supervisão deverão constituir práticas críticas e autocríticas, tornando-se elas próprio objeto de desenvolvimento profissional, enquanto processos de transformação e de emancipação.

Avaliação

O regime de avaliação dos formandos contempla uma perspetiva formativa, realizada durante a formação, para promover o desenvolvimento das aprendizagens com vista ao ajustamento de processos e estratégias avaliativas e, no final da formação, uma avaliação final sumativa que incidirá em: Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação das atividades práticas (30%) - realização das atividades (30%) - Relatório final de reflexão crítica (40%) Avaliação quantitativa na escala de 1 a 10 valores, com menção qualitativa de: Excelente de 9 a 10 valores; Muito Bom de 8 a 8,9 valores; Bom - 6,5 a 7,9 valores; Regular - 5 a 6,4 valores; Insuficiente - 1 a 4,9 valores.

Bibliografia

Alves, M. P. & Machado, E. A. (2010). O pólo de excelência. Caminhos para a avaliação do desempenho docente. Porto: Areal Editores. •Caetano, A. (2008). Avaliação de desempenho. O essencial que avaliadores e avaliados precisam de saber. Lisboa: Livros HorizonteFeiman-Nemser, S. (1990). Teacher preparation: structural and conceptual alternatives. In W. R. Houston (Ed.), Handbook of research on teacher education, pp.212-233. N.Y: Macmillan Publishing Company.Batista, M. (2014). Ser professor e avaliador externo: mudanças nas conceções e vivências da profissão - um estudo com docentes do ensino secundário. Lisboa: Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.Formosinho, J. e Machado, J. (2010). Desempenho, mérito e desenvolvimento para uma avaliação mais profissional dos professores. In J. Formosinho, J. Machado e J. Oliveira-Formosinho (autores). Formação desempenho e avaliação de professores. Mangualde: Edições Pedago.


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-01-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 11-01-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 20-01-2024 (Sábado) 18:00 - 21:30 3:30 Online assíncrona
4 25-01-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:30 3:30 Online síncrona
5 27-01-2024 (Sábado) 18:00 - 21:30 3:30 Online assíncrona
6 01-02-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 03-02-2024 (Sábado) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
8 08-02-2024 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 181t1-23/24 Concluída

Registo de acreditação: ACD13

Modalidade: Ação curta duração

Duração: 6.0 horas

Início: 04-12-2023

Fim: 11-12-2023

Regime: e-learning

Local: ZOOM

Preço: sócio 12.50€, não sócio 25.00€

Formador

Francisco Solipa

Paula Cristina Nogueiro Mesquita

Destinatários

Educadores de Infância, Professores do Ensino Básico, Secundário e Educação Especial

Releva

Despacho n.º 5741/2015 - Enquadra-se na possibilidade de ser reconhecida e certificada como ação de formação de curta duração a que se refere a alínea d) do n.º 1 do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 22/2014. 

Certificado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Esta ação visa proporcionar aos participantes uma compreensão mais profunda sobre a Inteligência Artificial e sua aplicação na educação, bem como discutir as consequências dessa tecnologia na aprendizagem dos alunos. Pretende-se que os professores também possam desenvolver e conhecer estratégias para integrar a Inteligência Artificial nas suas práticas pedagógicas.

Objetivos

Identificar como podem a IA e os dados serem utilizados eficazmente na forma como ensinamos e aprendemos e quais são os seus potenciais benefícios e riscos; · Apresentar exemplos de boas práticas de utilização de IA na educação; · Olhar a IA como uma ferramenta para melhorar a aprendizagem, e não como um substituto dos professores; · Refletir sobre a finalidade da IA e dos dados na educação, e utilizá-los também para o desenvolvimento pessoal dos professores; · Melhorar as competências dos professores para compreender os benefícios da IA.

Conteúdos

Introdução à Inteligência Artificial na educação; · Benefícios e desafios da Inteligência Artificial na educação; · Exemplos de aplicações de Inteligência Artificial em sala de aula; · Utilização de algumas ferramentas de Inteligência Artificial como por exemplo ChatGPT e Bard; · Como integrar a Inteligência Artificial em práticas pedagógicas de maneira ética e responsável

Metodologias

Teórica-Prática

Avaliação

Participação ativa nas sessões.

Bibliografia

The Age of AI: And Our Human Future: Henry A Kissinger (Autor), Eric Schmidt III (Autor), Daniel Huttenlocher (Autor) · O que é a IA. Disponível em https://tecnoblog.net/responde/o-que-e-inteligencia-artificial/ · Modos de usar a IA. Disponível em https://www.totvs.com/blog/inovacoes/o-que-e-inteligencia-artificial/


Observações

Preço: Associado/a:12.5 € Não Associado/a:25€ Formas de pagamento: TRANSFERÊNCIA BANCÁRIA Para o IBAN PT50003503550003809353096 SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM Pedido de mais Informações para   218 246 020 E-mail- cfamm@assp.pt

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 04-12-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 11-12-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 130T1 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120640/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 22-11-2023

Fim: 15-12-2023

Regime: e-learning

Local: Zoom

Formador

Francesco Luciani

Destinatários

Professores de Grupos de recrutamento 250, 610, M01 a M45

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Grupos de recrutamento 250, 610, M01 a M45. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Grupos de recrutamento 250, 610, M01 a M45.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Em cenários de aprendizagem cada vez mais digitais, é imperativo que os professores renovem e atualizem os próprios conhecimentos e práticas pedagógicas, adequando-os às novas exigências e perfil dos alunos, que hoje já são nativos digitais. Os conteúdos e recursos audiovisuais permitem criar novas dinâmicas comunicativas e interativas, com a utilização de recursos didáticos e pedagógicos apelativos, através da criação de vídeos que estruturam grandes volumes de informação numa narrativa compreensível, usando a imagem, o som, o movimento e a palavra. O objetivo deste curso é aplicar esta dinâmica às aulas de música, de educação musical e de instrumento. Para tal, propõe-se aos formandos criar vídeos didáticos musicais tendo por base a utilização do programa Filmora, que tem algumas caraterísticas que permitem melhor adequar a criação de vídeos didáticos à realidade das aulas de música. Assim, ao longo do curso, trabalha-se a forma como os professores das disciplinas musicais encaram esta ferramenta, e a sua capacidade de integrá-la, de forma oportuna, com as restantes ferramentas e estratégias pedagógicas que já utilizam. A finalidade é ajudar estes docentes a planear, criar e utilizar de forma pedagógica, os vídeos musicais, integrando-os na sua prática letiva e, ao mesmo tempo, envolvendo os seus alunos e preparando-os para utilizar este tipo de ferramenta para a criação do seu próprio portefólio de atividades musicais.

Objetivos

1. Reconhecer as potencialidades da utilização do vídeo como apoio à suas aulas musicais. 2. Entender o papel do vídeo enquanto recurso pedagógico. 3. Ser capazes de utilizar as funcionalidades básicas do programa Filmora para construir os seus vídeos musicais. 4. Criar um vídeo musical didático simples para utilizar no âmbito da sua disciplina.

Conteúdos

Módulo 1 | Utilização do vídeo enquanto recurso pedagógico: O impacto do vídeo na motivação dos alunos ; O papel do vídeo na transmissão de conhecimentos e conteúdos musicais ; Como utilizar o vídeo enquanto recurso pedagógico. Módulo 2 | Introdução ao Filmora: Apresentação do programa ; Exploração das funcionalidades básicas. Módulo 3 | A criação de um vídeo musical didático passo a passo: Planeamento do vídeo enquanto recurso didático; Criação dos conteúdos do vídeo ; Edição do material a inserir no vídeo ; Criação da versão final do vídeo.

Metodologias

Dinâmicas de grupo: · Pequenos debates que visam sedimentar conhecimentos e esclarecer quaisquer dúvidas que os formandos tenham acerca dos conteúdos do curso; . Criação e produção de um vídeo musical didático (atividade orientada e acompanhada pelo formador ao longo das sessões síncronas); · Métodos expositivo e demonstrativo (demonstração e utilização acompanhada de programas e ferramentas para construção de um vídeo musical didático).

Avaliação

Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 da responsabilidade conjunta do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua e da Direção Geral dos Recursos Humanos da Secretaria de Educação: Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8.9 valores; Bom - de 6.5 a 7.9 valores; Regular - de 5 a 6.4 valores; Insuficiente - de 1 a 4.9 valores

Bibliografia

COSTA, João Pedro da (2016). Da MTV para o Youtube : a convergência dos vídeos musicais. Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa D.L. Porto.DIAS-TRINDADE, Sara e MOREIRA, José António (2021). Educação digital para o desenvolvimento curricular e aquisição de competências transversais. Whitebookss. Santo Tirso.GORDON, Edwin E. (2015). Teoria de aprendizagem musical: competências, conteúdos e padrões. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa.NEJMEDDINE, Fouad e MOREIRA, José António (2016). O Vídeo como Dispositivo Pedagógico. Whitebookss. Santo Tirso.SILVA, Séfora (2016). Ensinar e Aprender com Tecnologias na Era Digital: Um script de aportes teórico-práticos. Whitebookss. Santo Tirso.


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 22-11-2023 (Quarta-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online síncrona
2 24-11-2023 (Sexta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online assíncrona
3 27-11-2023 (Segunda-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online síncrona
4 29-11-2023 (Quarta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online assíncrona
5 04-12-2023 (Segunda-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online síncrona
6 06-12-2023 (Quarta-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online assíncrona
7 11-12-2023 (Segunda-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online síncrona
8 13-12-2023 (Quarta-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online assíncrona
9 15-12-2023 (Sexta-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online síncrona

Ref. 133T1 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120137/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 14-11-2023

Fim: 12-12-2023

Regime: e-learning

Local: Zoom

Formador

Vanessa Esmeralda Rodrigues Pereira

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Desempenhar funções no contexto escolar é cada vez mais desafiantes, tendo em conta todas as mudanças e transformações que têm ocorrido no contexto educativo e a necessidade de responder as necessidades, interesses e potencialidades de todos e cada uma das crianças e jovens com as suas próprias especificidades. A fim de responder às competências Plasmadas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, e de facilitar o processo de adaptação e transformação, é fundamental o desenvolvimento de competências pessoais e sociais. De facto, a capacidade de aceitação, de reenquadramento positivo das situações e a transformação das fraquezas percecionadas em forças e das possíveis ameaças em oportunidades, é fundamental para garantir maior bem-estar e sucesso. Neste sentido, nesta ação de formação, pretende-se promover competências centrais, tanto a nível individual como social e relacional, como o autoconhecimento, a autoconfiança, a resiliência, a empatia e o serviço, explorando diversas ferramentas de desenvolvimento pessoal e profissional (questionamento adequado, aceitação, observação, intenção, necessidades psicológicas, flexibilidade, sustentabilidade, atenção, etc.).. Para tal, é necessário definir objetivos, estratégias e recursos para alcançar os mesmos, focando se mais no processo do que no resultado. Pretende munir os docentes de estratégias com impacto no desenvolvimento pessoal e social , comportamental dos alunos . Aprender a cuidar de si é fundamental para cuidar dos outros e fortalecer a relação com os mesmos. A relação é primordial, sendo a base do nosso bem-estar e sucesso.

Objetivos

Refletir sobre ambientes desafiantes na educação; Partilhar as dificuldades sentidas e emoções associadas; Promover o desenvolvimento de competências pessoais e sociais e de autorregulação emocional (autoconhecimento, autoconfiança, resiliência, serviço, etc.); Identificar estratégias de desenvolvimento pessoal e profissional para lidar com estes ambientes; Reconhecer a importância do questionamento para deixar de ter e passar a poder (Onde estou?; Onde quero estar?; Como posso chegar lá?); Valorizar a aceitação com bondade para dirigir a nossa atenção para o processo de transformação; Observar e Definir intenções claras;; Explorar soluções de forma flexível e sustentável para alcançar os objetivos; Reorientar o foco da atenção para as necessidades e aspetos controláveis ou parcialmente controláveis; Reenquadrar positivamente as situações vivenciadas; Promover maior bem-estar e sucesso pessoal e profissional e empoderamento para enfrentar a imprevisibilidades de comportamentos desafiantes e ou disruptivos dos alunos no sentido de os modificar/adequar e incluí-los no contexto.

Conteúdos

Ambientes desafiantes na educação; Dificuldades sentidas e emoções associadas; Desenvolvimento de competências pessoais e sociais e de autorregulação emocional (autoconhecimento, autoconfiança, resiliência, serviço, etc.); Estratégias de desenvolvimento pessoal e profissional para lidar com estes ambientes; Questionamento para deixar de ter e passar a poder (Onde estou?; Onde quero estar?; Como posso chegar lá?); Aceitação com bondade para dirigir a nossa atenção para o processo de transformação; Observação das coisas tal como elas são através dos sentidos; Definição de intenções claras; Investigação das necessidades psicológicas universais; Exploração de soluções de forma flexível e sustentável para alcançar os objetivos; Reorientação do foco da atenção para as necessidades e aspetos controláveis ou parcialmente controláveis; Reenquadramento positivo das situações vivenciadas; Promoção de maior bem-estar e sucesso pessoal e profissional com impacto positivo na regulação de comportamentos dos alunos.

Metodologias

Ao longo das diferentes sessões de formação de tipologia teórico-prática e principalmente prática, serão valorizadas as interações e partilhas, recorrendo aos diferentes métodos e técnicas pedagógicas, nomeadamente aos métodos interrogativo (formulação de perguntas) e ativo (tempestade de ideias, estudo de casos, jogo de papéis, trabalhos individuais e de grupo, etc.), na sala principal e nas salas em simultâneo. As reflexões de grupo também serão registadas, recorrendo à ferramentas digitais. O recurso a vídeos facilitará, igualmente, a reflexão e a partilha no seio do grupo.

Avaliação

Participação nas atividades(30%) Realização das atividades práticas (30%) - Relatório final de reflexão crítica (40%) - De acordo com o Art. 46.º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

Academia de Líderes Ubuntu (2021). Eu sou porque tu és . Pilares do Método Ubuntu.Capela, R., & Pocinho, M. (2016). Estratégias de coping: contributos para a diminuição do stress docente. Psicologia, Saúde & Doenças, 17(2), 282-294.Ordem dos Psicólogos Portugueses (2020). Contributo OPP.O Custo do Stress e dos Problemas de Saúde Psicológica no Trabalho, em Portugal. Lisboa: OPP.Santos, M. (2020). Riscos psicossociais, intervenção urgente em contexto educativo! Diário dos Açores . Cision.Vieira, P. & Övén, M. (2020). Kit Mental e Emocional Curso de Introdução ao Desenvolvimento Pessoal. Lifetraining.


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 14-11-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 16-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 21-11-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 24-11-2023 (Sexta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 28-11-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 30-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 05-12-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 12-12-2023 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona

Ref. 143T1 2023-2024 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-113313/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 14-11-2023

Fim: 14-12-2023

Regime: e-learning

Local: Plataforma zoom

Formador

Helena Maria Lourenço Abreu Patrão Neves

Maria João Pereira Garcia

Destinatários

Docentes da Educação pré- escolar, (100), Professores de 1º ciclo e Ensino Básico (110) e docentes de Educação Especial (910, 930,920)

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Docentes da Educação pré- escolar, (100), Professores de 1º ciclo e Ensino Básico (110) e docentes de Educação Especial (910, 930,920). Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Docentes da Educação pré- escolar, (100), Professores de 1º ciclo e Ensino Básico (110) e docentes de Educação Especial (910, 930,920).

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

As experiências promovidas por ambientes ricos de aprendizagem e ancoradas pelo afeto e responsividade de adultos de referência, são cruciais para o desenvolvimento das conexões e trajetos neuronais específicos do cérebro da criança, constituindo-se verdadeiras janelas de oportunidades ou períodos sensíveis. Os estudos sobre os mecanismos de maturação cerebral e sobre neurodesenvolvimento permite-nos hoje olhar para as funções executivas como um conjunto de processos que constituem as fundações para um pleno desenvolvimento das competências emocionais, sociais e académicas. Deste modo, a ação pedagógica do educador e dos docentes de EE, será ainda mais rica se partir de um maior conhecimento acerca destas funções, qual o seu papel no desenvolvimento de competências, como poderá estimulá-las através das rotinas diárias, da brincadeira e de situações lúdicas e quais os sinais de alerta que deve estar alerta para melhor responder ou encaminhar para outras respostas na comunidade. Com base nestes pressupostos e tendo em conta o papel dos educadores e dos docentes de EE no processo de desenvolvimento/aprendizagem e inclusão das crianças, considera-se fundamental, formar e promover a reflexão destes profissionais sobre os fatores de risco/proteção do desenvolvimento infantil, de modo a contribuir para a valorização do desenvolvimento profissional, e para aquisição de novos conhecimentos e competências que permitam a estes profissionais exercer práticas qualificadas e verdadeiramente inclusivas.

Objetivos

-Sensibilizar os docentes para o impacto das experiências adversas sofridas na infância e a importância dos fatores protetores no bem-estar, desenvolvimento e aprendizagem da criança; · Reconhecer a diversidade de fatores de risco na infância; · Identificar marcas e/ou sinais de alerta manifestados pelas crianças; · Conhecer o impacto ao longo da vida em crianças expostas a situações de adversidade; · Reconhecer implicações das experiências adversas sofridas na infância, no desempenho escolar e na inclusão social; · Identificar os fatores protetores da criança como profilaxia de efeitos nefastos no desenvolvimento; . Compreender o que são as funções executivas e a sua importância no desenvolvimento das crianças; . Compreender a importância das figuras significativas para a criança no desenvolvimento da arquitetura do seu cérebro; . Reforçar a importância do trabalho do educador/professor enquanto figura significativa para a criança; . Promover uma visão integrada e abrangente sobre a ação dos diferentes recursos existentes na comunidade, enquanto fatores protetores;

Conteúdos

O curso é constituído por 4 módulos Módulo 1 - Desenvolvimento na infância: do típico para o atípico -Etapas do desenvolvimento; -Tipos de alteração no desenvolvimento infantil; -Sinais de alarme nas diferentes áreas de desenvolvimento (motora/audição e linguagem/visuomotricidade/comportamento e interação social/; Módulo 2 - Desenvolvimento do Cérebro na infância -O neurodesenvolvimento nos primeiros anos de vida; - A importância dos primeiros 1000 dias de vida; - Plasticidade - a influência do meio ambiente; - Poda sináptica; - Períodos Sensíveis; - Padrões de Vinculação; - Resposta ao Stress; Módulo 3 - Experiências Adversas na infância (EAI) - Apresentação do estudo: Adverse Childhood experiences; -Tipos de adversidades de risco infantil; -Efeitos das EAI no funcionamento comportamental, social e emocional da criança e impacto das EAI na aprendizagem, desenvolvimento e saúde ao longo da vida. Módulo 4 - O papel do educador e docente de EE na promoção das funções executivas · O que são as funções executivas e qual a sua importância no desenvolvimento; · O período privilegiado da infância para a estimulação do funcionamento executivo; · Efeitos das funções executivas reguladoras do pensamento, emoções e ações, com impacto na capacidade de aprendizagem; · Estratégias para a sala de jardim-de-infância. Módulo 5 - Fatores de proteção ao desenvolvimento infantil -Fatores de proteção da criança/da família/da comunidade; -Intervenção sistémica familiar e comunitária;

Metodologias

O curso encontra-se estruturado em 5 módulos, com a duração total de 25 horas. Tem um carácter teórico/prático, onde se pretende transmitir conceitos teóricos e simultaneamente envolver de forma reflexiva e participativa os formandos, de modo a criar um espaço que privilegie: a partilha de conhecimentos, experiências e ideias, a reflexão e readequação de formas de atuação, análise e discussão de casos e dinâmicas de grupos. Para tal recorrer-se-á ao uso de metodologias participativas e dinâmicas que valorizem a aprendizagem e o desenvolvimento pessoal: método interativo e expositivo (através do recurso a diapositivos e visionamento de vídeos), com treino de competências. Realização de exercícios práticos (em grupo e/ou individualmente) e discussão de casos durante a sessão, bem como dinâmicas de grupos, exposição dialogada, trabalhos de grupo e práticas simuladas.

Avaliação

A avaliação da aprendizagem dos formandos será contínua (formativa), tendo em consideração os seguintes critérios: motivação, participação, espírito crítico e relacionamento interpessoal e sumativa, recorrendo a instrumentos de avaliação desenvolvidos para efeito, tais como, exercícios práticos de grupo e individuais. Avaliação da formação será quantitativa de acordo com Carta Circular CCPFC-3/2007: Excelente - de 9 a 10 valores Muito Bom - de 8 a 8,9 valores Bom - de 6,5 a 7,9 valores Regular - de 5 a 6,4 valores Insuficiente - de 1 a 4,9 valores

Bibliografia

-Cadima, J., McWilliam, R., & Leal, T. (2010). Environmental risk factors and childrens literacy skills during the transition to elementary school. International Journal of Behavioral Development, 34 (1), 24-33. doi: 10.1177/0165025409345045Canha, J., (2003). Criança maltratada: o papel de uma pessoa de referência na sua recuperação . Estudo prospetivo de 5 anos. Quarteto editora-Centers for Disease Control and Prevention, (2010). Adverse Childhood Experience reported by adults - five states. Morb Mortal Wkly, 59 (49), 1609-13 : https://www.cdc.gov/violenceprevention/aces/about.html-Fox, S., Levitt, P. & Nelson III, C. (2010). How the timing and quality of early experiences influence the development of brain architecture. Child Dev.81 (1), pp. 28-40. doi: 10.1111/j.1467-8624.2009.01380.- Fuertes, Marina (2012). Vários olhares sobre as diferenças na vinculação e contributos para a Intervenção Precoce. Da Investigação às Práticas, II (1), 23-50.


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 14-11-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
2 21-11-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
3 23-11-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online assíncrona
4 28-11-2023 (Terça-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona
5 05-12-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
6 07-12-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online assíncrona
7 12-12-2023 (Terça-feira) 17:30 - 20:30 3:00 Online síncrona
8 14-12-2023 (Quinta-feira) 17:30 - 21:30 4:00 Online síncrona

Ref. 140T1- 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-113248/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 15.0 horas

Início: 09-11-2023

Fim: 30-11-2023

Regime: e-learning

Local: None

Formador

Nuno Miguel Moreira Teixeira

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Estima-se que residam em Portugal entre 40000 e 60000 pessoas ciganas. (Estratégia Nacional para a Integração das Comunidades Ciganas, ACIDI, 2013). Este enorme intervalo de 20000 pessoas reflete o desconhecimento existente no nosso país acerca desta etnia. Este desconhecimento vai muito mais além e é muito mais profundo do que a estimativa do número total de habitantes da etnia, generalizando-se a várias áreas fundamentais tais como a educação, emprego, habitação, saúde e justiça. Persistem, em relação aos ciganos, sentimentos e práticas de racismo e discriminação que se traduzem em desigualdades sociais no acesso aos principais direitos de cidadania (Conselho da Europa, 2012). De acordo com o estudo, Os valores dos Portugueses, da Gulbenkian, publicado no âmbito da sessão pública de apresentação da 5ª edição do European Values Study (2017-2020), foi perguntado aos inquiridos se gostariam ou não de ter como vizinhos grupos de pessoas com características diferentes da maioria. Os resultados indicam que de entre um conjunto de 8 grupos de pessoas, há 3 que são mais rejeitados: ciganos (59%), alcoólicos (62%) e toxicodependentes (64%) . É urgente, desmistificar as crenças em relação à cultura cigana, criando pontes para a interação e conhecimento mútuo.

Objetivos

Esta formação pretende capacitar os/as docentes de conhecimentos e competências facilitadoras do trabalho educativo com crianças e jovens ciganos/as. Pretende-se que o conhecimento por parte dos/as docentes, da diversidade cultural das pessoas ciganas se constitua enquanto alavanca da inclusão escolar das crianças e jovens desta etnia potenciando o seu sucesso educativo. Consubstanciando-se nos seguintes objetivos: - Promover a aquisição de conhecimentos sobre história e cultura ciganas; - Potenciar a eficácia do trabalho de docentes com crianças e jovens ciganos/as; - Promover o desenvolvimento de competências e estratégias eficazes no trabalho com pessoas ciganas; - Conhecer as boas práticas existentes no trabalho com pessoas ciganas.

Conteúdos

1. História do povo cigano; 2. Igualdade de género na etnia cigana; 3. A etnia cigana e a educação; 4. Boas práticas no trabalho com pessoas ciganas; 5. Estratégias eficazes de trabalho com pessoas ciganas.

Metodologias

As sessões serão teórico/práticas com utilização de metodologias participativas apelando à máxima participação por parte dos/as formandos/as no processo de ensino-aprendizagem, para que assim, possam desenvolver competências e adquirir capacidades que fomentem a mudança de atitudes. A utilização de metodologias ativas e participativas possibilitarão a potenciação da partilha de experiências de docência e a identificação de oportunidades de melhoria no trabalho educativo com crianças e jovens ciganos/as.

Avaliação

Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação das atividades práticas -30% - realização das atividades-30%- - Relatório final de reflexão crítica-40% - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

Estudo Nacional sobre as Comunidades Ciganas (Mendes, Magano e Candeias, 2014)Estratégia Nacional para a Integração das Comunidades Ciganas (2018). Os valores dos portugueses - European Values Study (Alice Ramos, Pedro C. Magalhães, 2021)

Anexo(s)


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 25€ Não Associado/a: 55€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 09-11-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 14-11-2023 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 16-11-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
4 21-11-2023 (Terça-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
5 30-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 124T1- 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120595/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 06-11-2023

Fim: 23-11-2023

Regime: e-learning

Local: zoom

Formador

Olga Margarida Paulo de Sá

Sónia Pereira Camba

Destinatários

Professores dos Grupos 910, 920, 930

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 910, 920, 930. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 910, 920, 930.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A formação procura dotar os formandos com conhecimento princípios e valores da Educação Inclusiva e Equitativa, estratégias de diferenciação pedagógica, medidas educativas, metodologias de avaliação e monitorização das aprendizagens, para que cada aluno possa intervir, participar, adquirir saber e desenvolver competências essenciais para a sua vida quotidiana, autodeterminação e autonomia. A legislação sobre Educação Inclusiva, em Portugal foi implementada há quatro anos atrás, ainda surgem muitas dúvidas na sua operacionalização, por isso considera-se que será importante para os profissionais a oportunidade de terem acesso a conteúdos formativos atualizados, numa perspetiva universal, de refletirem conjuntamente, de produzirem conhecimento, e de terem acesso à partilha de experiências profissionais, que possam contribuir para uma prática educativa mais eficaz e coesa.

Objetivos

1- Reconhecer os princípios e valores que estão na base da Educação Inclusiva e Equitativa. 2- Reconhecer a importância da Intervenção Precoce como mais valia na articulação e intervenção em contexto escolar. 3- Conhecer o processo de desenvolvimento da transição entre ciclos. 4- Conhecer o conceito de Perturbação do Espectro do Autismo e proposta de metodologias de intervenção. 5- Correlacionar o processo de ensino-aprendizagem, atendendo ao Desenho Universal de Aprendizagem e o Perfil do Aluno à Saída da Escolaridade Obrigatória. 6- Refletir sobre as medidas educativas a aplicar atendendo às necessidades do aluno com PEA. 7- Delinear propostas de intervenção pedagógica/definição de estratégias pelo docente, de acordo com o perfil do aluno do Perturbação do Espectro do Autismo (PEA). 8- Implementar mecanismos de avaliação e monitorização do processo educativo do aluno com PEA. 9- Refletir sobre o envolvimento da família no percurso educativo do aluno e sobre a continuidade do reforço da participação e aprendizagem em contexto familiar.

Conteúdos

1. Educação inclusiva 1.1 Princípios e valores da Educação Inclusiva e Equitativa 1.3 Equidade no acesso a uma Educação de Qualidade 1.4 Oportunidades Educativas 1.5 Valorização da diversidade 1.6 Princípio da não discriminação 2. Políticas Educativas para a Inclusão: legislação em Portugal. 3. Perturbação do Espectro do Autismo 3.1 Caraterísticas da Perturbação do Espectro do Autismo. 4. A Aprendizagem e a Participação 4.1 Aplicação de medidas de apoio integrado centrado na criança e na família; a aplicação de medidas educativas, tendo por base a legislação como suporte à aprendizagem e à inclusão: Decreto-Lei 281/2009, de 6 de outubro; Decreto-Lei 54/2018, de 6 de julho, na sua redação atual. 4.2 Abordagem Multinível e o Desenho Universal para a Aprendizagem; 4.3 Estratégias de diferenciação pedagógica e intervenção nos diversos contextos de aprendizagem; 4.4 A avaliação e a monitorização do processo educativo; 4.5 O envolvimento da Família no percurso educativo do aluno.

Metodologias

As sessões síncronas terão na sua base metodológica a apresentação científica de conceitos e desenvolvimento de conteúdos, fomentando o diálogo construtivo e a partilha de experiências profissionais. O formando terá oportunidade de participar ativamente através de dinâmicas de brainstorming, quizz, visualização de vídeos/músicas, análise de documentos/casos-exemplo e trabalhos de grupo. Nas sessões assíncronas privilegiar-se-á a pesquisa orientada, a reflexão e a elaboração de trabalhos individuais práticos (análise de casos e propostas de estratégias de intervenção, de acordo com o partilhado nas sessões síncronas). Em suma, a metodologia seguirá uma vertente teórico-prática.

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação ativa na discussão /reflexão-30% -Realização das atividades práticas-30% - Relatório final de reflexão crítica-40% - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

1.American Psychiatric Association. Diagnostic and statistical manual of mental disorders: DSM 5. American Psychiatric Publishing Inc, Washington DC, abril de 2013. 2.Claparède, Edouard (1920). L`école sur mesure. Genève: Payot. 3.Colôa, Joaquim (2014). Avaliação para as aprendizagens de alunos com necessidades educativas especiais no 1º ciclo de ensino básico: da diversidade da avaliação à avaliação da diversidade. Universidade de Lisboa. Lisboa. 4.Habermas, Jürgen (1989). The structural transformation of the public sphere. Cambridge: Polity. 5. Nóvoa, António (2009). Professores, Imagem do Futuro Presente. Educa. Instituto de Educação, Universidade de Lisboa. Lisboa.


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 06-11-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
2 09-11-2023 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
3 10-11-2023 (Sexta-feira) 18:15 - 22:15 4:00 Online assíncrona
4 13-11-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
5 16-11-2023 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
6 17-11-2023 (Sexta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online assíncrona
7 20-11-2023 (Segunda-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona
8 23-11-2023 (Quinta-feira) 18:15 - 21:15 3:00 Online síncrona

Ref. 134T1 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-118359/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 24-10-2023

Fim: 20-11-2023

Regime: e-learning

Local: Zoom

Formador

Francesco Luciani

Destinatários

Docentes de música: grupos 250, 610, M01 a M32

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Docentes de música: grupos 250, 610, M01 a M32. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Docentes de música: grupos 250, 610, M01 a M32.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O Ensino da Música na Era Digital: Desafios e Oportunidades é um curso totalmente online, em formato e-learning, com a duração de 25 horas, ao longo das quais os formandos serão desafios a refletir sobre a sua prática letiva musical face à crescente digitalização da Escola e à utilização das novas tecnologias no âmbito do ensino da música. Promovendo um percurso formativo gradual, ao longo da ação de formação serão apresentadas aos formandos diversas técnicas e estratégias básicas para a pedagogia e didática da música, desde os métodos e metodologias mais tradicionais até aos estudos e teorias mais recentes, que envolvem a utilização de ferramentas digitais. Por outro lado, serão apresentadas estratégias, dicas e boas práticas para promover a utilização adequada e equilibrada das novas tecnologias e recursos digitais no ensino da música. O objetivo final é que os formandos sejam capazes de criar os seus próprios recursos musicais para usar nas suas aulas, utilizando as ferramentas digitais e seguindo um planeamento prévio onde são tidos em conta os objetivos pedagógicos da disciplina musical que ensinam, o objetivo didático do recurso, o seu momento de utilização e as caraterísticas do público-alvo do recurso (idade dos alunos e respetivo nível de ensino e de literacia digital). Num período marcado por uma crescente utilização dos meios digitais aplicados a todas as disciplinas escolares, as artes não são exceção e os desafios multiplicam-se no dia-a-dia dos professores das áreas musicais.

Objetivos

No final da ação de formação, os formandos serão capazes de: 1. Reconhecer os conceitos básicos dos fundamentos da didática musical. 2. Saber distinguir e utilizar diferentes técnicas, estratégias e métodos didáticos musicais, adequando-os aos seus alunos. 3. Identificar as oportunidades e desafios para o ensino da música na Era Digital. 4. Criar recursos didáticos musicais digitais para aplicação na sua prática letiva.

Conteúdos

Abertura do curso: apresentação e informação sobre as plataformas a utilizar + Abertura do Módulo 1 Módulo 1 - Fundamentos básicos da didática musical A aprendizagem da música a partir da infância · As aulas de música nos diferentes graus de ensino · O ensino artístico · Aprender a Ensinar música · O cérebro e a linguagem musical Sedimentação de conhecimentos e aprofundamento dos temas do Módulo 1 + Abertura do Módulo 2 Módulo 2 - Métodos, estratégias e técnicas para o Ensino da Música Métodos e Instrumentos didáticos · Jogo, Imitação e Improvisação · A motivação do aluno de música · Lidar com a ansiedade no momento da performance e da apresentação em palco ·Sugestões para o desenvolvimento de atividades práticas Sedimentação de conhecimentos e aprofundamento dos temas do Módulo 2 + Abertura do Módulo 3 Módulo 3 - As novas tecnologias e o Ensino da Música A crescente digitalização da Escola e o Ensino da Música · A literacia digital na sociedade e no ensino atual · As novas tecnologias no âmbito da educação e didática musical · Desafios e oportunidades do ensino da música na Era Digital Sedimentação de conhecimentos e aprofundamento dos temas do Módulo 3 + Abertura do Módulo 4 Aplicações didáticas das novas tecnologias no Ensino da Música Do tradicional ao digital: recursos didáticos para o ensino da música · A construção de recursos didáticos musicais: ferramentas e tecnologias · Boas práticas para a criação e utilização de recursos didáticos musicais digitais · As ferramentas digitais como apoio às aulas de música presenciais Aprofundamento dos temas do Módulo 4 + Feedback sobre os trabalhos finais apresentados + Fecho do curso

Metodologias

· dinâmicas de grupo: · pequenos debates que visam sedimentar conhecimentos e esclarecer quaisquer dúvidas que os formandos tenham acerca dos conteúdos do curso. Instrumentos de avaliação: · monitorização da participação e intervenções dos formandos. TRABALHO INDIVIDUAL FINAL Criação de um recurso didático musical em formato digital para utilizar nas suas aulas. ORIENTAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO TRABALHO FINAL PELO FORMADOR · através de fóruns e salas de conversação na plataforma, · por email, · por videoconferência, sempre que necessário. No final da ação de formação será facultado aos formandos um e-manual do curso com o resumo dos conteúdos ministrados, para consulta offline.

Avaliação

Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 da responsabilidade conjunta do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua e da Direção Geral dos Recursos Humanos da Secretaria de Educação: «Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8.9 valores; Bom - de 6.5 a 7.9 valores; Regular - de 5 a 6.4 valores; Insuficiente - de 1 a 4.9 valores.» Os formandos serão avaliados de acordo com os seguintes critérios: Saber-estar: netiqueta, participação, pertinência e qualidade das intervenções realizadas (sessões síncronas e assíncronas) – 10% Realização/Trabalho de aplicação de conteúdos (exercícios e atividades propostos ao longo do curso) – 60% Trabalho final/reflexão crítica (criação de um recurso didático musical em formato digital para utilizar nas suas aulas) – 30%”

Bibliografia

BOUCOURECHLIEV, André (1993). A Linguagem Musical. Edições 70. Lisboa.COLWELL, Richard e RUICHARDSON, Carol ed. (2002). The new handbook of reseach on music teaching and learning. Oxford University Press. Oxford.DE GAINZA, Violeta Hemesy (1977). Fundamentos, Materiales y Tecnicas de la Educación Musical . Ensayos y Conferencias: 1967-1974. Ricordi. Buenos Aires. FERREIRA, Carlos A. Rosa e SANTOS, Gilberto Lacerda (2014). A inclusão digital em meios de ensino formais e não-formais. Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa. Cruz Quebrada. GORDON, Edwin E. (2015). Teoria de aprendizagem musical: competências, conteúdos e padrões. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa.

Anexo(s)


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 24-10-2023 (Terça-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
2 26-10-2023 (Quinta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online assíncrona
3 30-10-2023 (Segunda-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
4 31-10-2023 (Terça-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online assíncrona
5 03-11-2023 (Sexta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online assíncrona
6 06-11-2023 (Segunda-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
7 08-11-2023 (Quarta-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online assíncrona
8 13-11-2023 (Segunda-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
9 15-11-2023 (Quarta-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online assíncrona
10 17-11-2023 (Sexta-feira) 20:00 - 23:00 3:00 Online assíncrona
11 20-11-2023 (Segunda-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona

Ref. 128T1 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120291/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 19-10-2023

Fim: 30-11-2023

Regime: e-learning

Local: Zoom

Formador

Francisco Solipa

Paula Cristina Nogueiro Mesquita

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A escola enquanto espaço de apropriação e construção de conhecimento tem o dever de apetrechar alunos e professores com competências e saberes adaptados à nova civilização cognitiva. Atualmente existe software com funcionalidades avançadas que podem ser instrumentos potenciadores da ação do professor, decorrente da diversidade e complexidade das suas funções. A utilização de folhas de cálculo e bases de dados assume-se como indispensável para o exercício da profissão docente. A utilização destes instrumentos de trabalho, simplifica e automatiza uma grande parte das tarefas que os professores têm de realizar, potencia o desenvolvimento do trabalho em equipa nas escolas e a aferição de procedimentos. Pretende-se com esta ação, sensibilizar os professores para a utilização de dispositivos (folhas de cálculo, bases de dados) de dinamização no âmbito do trabalho em equipa e repensar práticas docentes, numa escola e numa sociedade em transformação constante e rápida.

Objetivos

Este curso deformação tem por objetivo dotar os formandos de competências ao nível do tratamento e análise de dados numa folha de cálculo. No final os formandos deverão estar habilitados a analisar, conceber e implementar soluções de folha de cálculo, nos domínios de aplicação específicos do curso de formação. Este curso de formação tem como objetivo capacitar os formandos com as competências necessárias para o tratamento e análise de dados em folhas de cálculo. Ao final do curso, os formandos deverão estar aptos a analisar, conceber e implementar soluções em folhas de cálculo, dentro de domínios de aplicação específicos abordados durante a formação.

Conteúdos

1. Introdução à folha de cálculo; 2. Personalização da folha de cálculo; 3. Estrutura geral de uma folha de cálculo; 4. O ambiente de trabalho da folha de cálculo; 5. Criação de uma folha; 6. Conceitos de Livro e Folha de trabalho; 7. Seleção de Células e Intervalos; 8. Utilização de livros para organizar informação; 9. Introdução e manipulação da informação; 10. Edição de uma folha; 11. Inserção e eliminação de Colunas, Linhas e Células; 12. Modificação da largura das Colunas e da altura das Linhas; 13. Utilização de fórmulas e funções para processar números; 14. Impressão de uma folha de cálculo; 15. Formatação de uma folha; 16. Formatação de texto e números; 17. Aplicação de cores e padrões a células; 18. Formatação de células utilizando os limites; 19. Formatação Condicional; 20. Criação de gráficos; 21. Trabalho com Listas (bases de dados) - Formulários, Ordenação, Filtros, Subtotais, Tabelas e gráficos dinâmicos, Consolidação de dados; 22. Impressão em série.

Metodologias

As atividades a realizar no curso decorrem em sessões síncronas, teórico/práticas, num total de 25 horas. As sessões deverão ser de carácter predominantemente prático, com alguns momentos expositivos/demonstrativos. Sugere-se a metodologia de aprendizagem por execução de tarefas, salienta-se que as atividades integradoras devem ser desenvolvidas com a preocupação de ligação com os contextos e as vivências profissionais dos participantes. Propõe-se a utilização da metodologia de aprendizagem baseada na realização de tarefas, enfatizando que as atividades integradoras devem ser desenvolvidas com a preocupação de relacioná-las aos contextos e experiências profissionais dos participantes.

Avaliação

A avaliação da atividade desenvolvida por cada formando será realizada de modo continuado pelos formadores e tem como referência os objetivos e finalidades da ação. São tomados em consideração os seguintes aspetos, de acordo com a Carta Circular CCPFC 3/2007: - Elaboração dos trabalhos práticos e reflexões efetuadas durante as sessões presenciais, sujeitas a critérios de classificação previamente estabelecidos; - Relatório final individual; - Classificação dos parâmetros avaliados na escala de 1 a 10, com a competente menção qualitativa global, em conformidade com os critérios de avaliação vigentes no Centro de Formação, necessitando os formandos de obter a pontuação mínima de 5 valores e a frequência de pelo menos 2/3 do total de horas para obterem aprovação na ação de formação; - Creditação final de acordo com o regulamento da modalidade.

Bibliografia

- Ajuda do Excel - Suporte do Office. (12 de janeiro de 2022). Disponível em https://support.microsoft.com/pt-pt/excel?ui=pt-pt&rs=pt-pt&ad=pt• Rodrigues, Luís Silva (2011). Utilização do Excel 2010 para Economia & Gestão. Lisboa: FCA.Walkenbach, John (2013). Microsoft Excel 2013 Bible: The Comprehensive Tutorial Resource. Indianapolis: John Wiley & Sons Ltd


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 19-10-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
2 26-10-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona
3 30-10-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Online assíncrona
4 06-11-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Online assíncrona
5 13-11-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Online assíncrona
6 20-11-2023 (Segunda-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Online assíncrona
7 30-11-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 21:30 3:00 Online síncrona

Ref. 159T1 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120550/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 18-10-2023

Fim: 06-12-2023

Regime: e-learning

Local: Zoom

Formador

Joana Romão

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos 1º e 2º Ciclo do Ensino Básico e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos 1º e 2º Ciclo do Ensino Básico e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A linguagem, tal como outro domínio do desenvolvimento, representa uma área fundamental no bem-estar e no comportamento da criança (Lindsay & Dockrell, 2012). Quando a linguagem se desenvolve de forma atípica para a idade, num ou mais componentes da linguagem, tais como a fonologia (consciência dos sons da fala), morfologia (estrutura interna das palavras), semântica (significado das palavras e a sua interpretação no contexto frásico) e a pragmática (uso da linguagem no contexto), estamos perante uma Perturbação da Linguagem. No estudo de Dinis, I., et al (2020) estima-se que em Portugal exista uma prevalência de 14,9% de problemas de comunicação e linguagem em idade pré-escolar. Neste sentido, a intervenção do Terapeuta da fala e de todos os intervenientes no processo de deteção e intervenção precoce, tornam-se cruciais para minimizar as dificuldades linguísticas, escolares e psicossociais das crianças.

Objetivos

-Identificar o desenvolvimento normal e o desenvolvimento atípico da linguagem; - Identificar os principais sinais de alarme nas dificuldades de linguagem; - Relacionar as dificuldades de linguagem com as dificuldades na aprendizagem escolar; - Desenvolver estratégias pedagógicas, através de metodologias ativas de estimulação e desenvolvimento da linguagem em vários contextos formais e informais: dentro e fora da sala de aula e no contexto familiar.

Conteúdos

- Desenvolvimento normal da Linguagem- fala/linguagem e comunicação quais as diferenças? - Dificuldades na fala e na comunicação- sinais de alarme; - Dificuldades na linguagem compreensiva e expressiva- sinais de alarme; - A relação entre as dificuldades de linguagem e a aprendizagem da leitura e escrita; - Dificuldades na aprendizagem da leitura e escrita; - Prevenção das dificuldades de linguagem; - Relação pais/técnicos e escola- como promover uma relação segura?; - Estratégias a aplicar em sala de aula para estimulação da linguagem na sua vertente compreensiva e expressiva.

Metodologias

A metodologia da ação versa uma situação mista visando o enquadramento conceptual do desenvolvimento da linguagem segundo vários autores por um lado e aspetos práticos quer na identificação das situações atípicas do desenvolvimento da linguagem nas crianças quer na intervenção, estimulação e reeducação da mesma nos vários contextos; familiar, jardim -de- infância escolar e social. - Exposição teórica e prática, valorizando a aplicação de conteúdos e motivando o trabalho autónomo e cooperativo; - Recurso a plataformas digitais: sessões síncronas e assíncronas; - Recursos a vídeos e filmes alusivos à temática; -Comunicação com formadores, entre formandos, em comunidade pedagógica de partilha e reflexão, esclarecimento de dúvidas; - Acompanhamento individual e personalizado, resolução de problemas e acompanhamento em projetos individuais; - Partilha de ficheiros: material de suporte aos conteúdos programáticos, ferramentas de trabalho, bibliografia.

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação dos formandos nas sessões -30% - Realização das atividades práticas - 30% - Relatório final de reflexão crítica-40% - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

SIM-SIM, Inês. Desenvolvimento da Linguagem. Universidade Aberta, 1998RIGOLET, Sylviane A. Para uma Aquisição Precoce e Optimizada da Linguagem: Linhas de orientação para crianças até aos 6 anos. 2ª Edição. Porto Editora. 2006ROMBERT, Joana. O Gato comeu-te a língua? 2ª Edição. A Esfera dos Livros, 2015ROMBERT, Joana. Escrever Direito por Linhas Tortas, 1ª Edição. Manuscrito, 2020.


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 18-10-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 25-10-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 08-11-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 08-11-2023 (Quarta-feira) 21:00 - 22:00 1:00 Online assíncrona
5 15-11-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 15-11-2023 (Quarta-feira) 21:00 - 22:00 1:00 Online assíncrona
7 22-11-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
8 22-11-2023 (Quarta-feira) 20:00 - 21:00 1:00 Online assíncrona
9 27-11-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online assíncrona
10 30-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona
11 05-12-2023 (Terça-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online assíncrona
12 06-12-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 20:00 2:00 Online síncrona

Ref. 144T1- 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-113439/21

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 17-10-2023

Fim: 15-11-2023

Regime: e-learning

Local: Zoom

Formador

Virginia Alberta Meira Ferreira Martins

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Nos últimos 20 anos, o nº de alunos/as com dificuldades de aprendizagem específicas (DAE) aumentou consideravelmente (Correia, 1997). Em Portugal passou de umas dezenas de milhar para mais de uma centena de milhar. Constituem mais de metade da população estudantil com NEE. No entanto, tendo em conta um conjunto muito variado de fatores, continuam a ser alvo de uma grande ambiguidade, entregando ao insucesso vários/as milhares de alunos/as. A expressão DAE surgiu da necessidade de identificar um vasto grupo de crianças que embora não apresentasse qualquer tipo de deficiência, apresentava problemas de aprendizagem em algumas áreas específicas. A escola e concretamente o/a professor/a, tem um papel fundamental no processo de intervenção, pois os meios privilegiados para reeducar estes/as alunos/as, passam por fornecer-lhe instrumentos diversos e alternativos na aquisição da linguagem e conhecimentos. Esta formação está pensada para ajudar o/a professor/a a adquirir os conhecimentos necessários para diferenciar uma DAE de outros problemas de aprendizagem e, ainda, dar resposta adequada ao desafio de diversificar as estratégias educativas de forma a abranger as diferentes necessidades do/as s seus/suas alunos/as.

Objetivos

Dotar os/as formandos/as das competências necessárias para: a) Caracterizar as principais características e os fundamentos neuropsicológicos e psicolinguísticos associadas às Dificuldades de Aprendizagem Específicas; b) Compreender a problemática emocional às Dificuldades de Aprendizagem Específicas e suas repercussões; c) Distinguir os principais sinais de alerta para as Dificuldades de Aprendizagem Específicas; d) Conhecer instrumentos de avaliação; d) Identificar algumas estratégias de intervenção no contexto de sala-de-aula; e) Refletir e reformular práticas pedagógicas.

Conteúdos

Apresentação 1. Introdução às Dificuldades de Aprendizagem Específicas; 2. Dislexia; 3. Disortografia, Disgrafia e Discalculia; 4. Problemática emocional; 5. Intervenção nas Dificuldades de Aprendizagem Específicas; Avaliação

Metodologias

A metodologia de trabalho privilegia um caráter teórico-prático. Ao longo das sessões, serão utilizados os métodos expositivo, interrogativo e ativo. A metodologia de trabalho é de cariz teórico-prático. A dinâmica da sessão está pensada para se partir dos conhecimentos prévios e da prática dos/as formandos/as para uma análise e exploração pormenorizada de cada tema, por forma a valorizar a aprendizagem por autodescoberta, e facilitar a aquisição e assimilação dos novos conhecimentos no processo de ensino-aprendizagem. Paralelamente à formulação de perguntas orais e escritas, e à exposição de conteúdos, haverá sempre lugar à realização de exercícios/trabalhos em grupo ou individuais, dinâmicas de grupo e discussão de casos. Assim, iremos fomentar o trabalho e crescimento individual, mas também o trabalho colaborativo e cooperante, com o propósito de partilhar e ampliar conhecimentos, adquirir competências e desenvolver atitudes positivas face às temáticas abordadas.

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação das atividades práticas (30%) - Realização das atividades (30%) - Relatório final de reflexão crítica (40%) - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

Alegria, J., Leybaert, J. & Mousty, P. (1997). Aquisição de leitura e distúrbios associados. Avaliação, tratamento e teoria. In. Grégoire, J. & Piérat, B. (Eds.). Avaliação dos problemas de leitura: Os novos modelos teóricos e as suas implicações diagnósticas (pp. 105-124). Porto Alegre, RS: Artes Médicas.Antunes, N. L. (2009). Mal-entendidos. Lisboa: Verso de Kapa.Ribeiro, F. (2008). A Criança Disléxica e a Escola. Porto: Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti.- Correia, L. M. (1997). Alunos com Necessidades Educativas Especiais nas Classes Regulares. Porto: Porto Editora.Correia, L. M. (2004). Problematização das dificuldades de aprendizagem nas necessidades educativas especiais, Análise Psicológica, 22 (2).


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 17-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 24-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 25-10-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
4 31-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 02-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 07-11-2023 (Terça-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona
7 08-11-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
8 15-11-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 22:00 4:00 Online síncrona

Ref. 148T1- 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-114765/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 16-10-2023

Fim: 04-12-2023

Regime: e-learning

Local: Plataforma Zoom

Formador

Carlos Alberto da Pedreira Simões

Maria da Conceição do Carmo Farinha Rodrigues Henriques

Destinatários

Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Ensinos Básico e Secundário e Professores de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

O princípio fundamental das escolas inclusivas consiste em que todos os alunos devam aprender juntos, sempre que possível, independentemente das dificuldades e das diferenças que apresentem. A escola assume a responsabilidade de gerir e adequar curricularmente as propostas de ensino e adoptar opções educativas eficazes de modo a garantir a presença, a participação e o progresso de todos os seus alunos. Trata-se de equacionar itinerários diferenciados cuja finalidade é a de conseguir que os alunos com necessidades específicas, nomeadamente os que apresentam deficiência intelectual acentuada, adquiram aprendizagens significativas em contextos naturais adequadas ao seu perfil de aprendizagem, permitindo-lhes uma maior autonomia e melhor qualidade de vida. A presente formação para além da transmissão de conhecimentos a nível teórico e prático deve incrementar e possibilitar mudanças ao nível da prática pedagógica dos docentes em geral e em particular aos docentes de Educação Especial. Deste modo, desenvolvem-se aptidões (conhecimentos, valores), que permitem melhorar a prática pedagógica dos docentes, nomeadamente ao nível da gestão do currículo, da sua adequação e na existência ofertas educativas nos contextos naturais dos alunos, que respondam às suas idiossincrasias, numa perspetiva de inclusão social e escolar. Tais pressupostos, orientadores da ação do professor e da gestão do currículo em função das barreiras do que os alunos apresentam, conduzem à consecução de práticas de inovação curricular estabelecendo diferentes níveis de gestão curricular.

Objetivos

- Refletir sobre as práticas educativas no sentido de haver mudanças que permitam diferenciar e organizar o trabalho dos alunos para garantir a qualidade e o sucesso da aprendizagem de cada um; - Criar uma cultura de escola, que favoreça práticas de adequação ao processo de ensino aprendizagem de acordo com as especificidades dos alunos; - Orientar os docentes na adoção das medidas de suporte à aprendizagem e de gestão do currículo para o perfil de aprendizagem dos alunos, nomeadamente as Adaptações Curriculares Significativas e Não Significativas e as Acomodações Curriculares; - Elaborar instrumentos de registo, de operacionalização e de avaliação de alunos; - Dinamizar e implementar estratégias individuais e de grupo de diferenciação curricular; -Promover o debate de ideias entre os participantes no sentido de consolidar ideias e partilhar experiências; - Fomentar o desenvolvimento profissional dos docentes enquanto agentes educativos e possibilitar a alteração ao nível das práticas docentes; - Elaborar uma reflexão escrita que traduza o trabalho e o conhecimento teórico/prático produzido nas sessões presenciais e não presenciais.

Conteúdos

1- Enquadramento legislativo e concetual da educação Inclusiva 2- Apresentação do modelo multinível e de resposta à intervenção 3- Perfis de aprendizagem e caracterização dos alunos com necessidade de medidas de suporte à aprendizagem 4- Identificar as medidas de gestão curricular: Acomodações Curriculares (AC); Adaptações Curriculares não Significativas (ACNS); Adaptações Curriculares Significativas (ACS) e processo de avaliação (PA) 5- Construção e aplicação de instrumentos curriculares da intervenção, a partir de casos concretos 6- Distinguir em termos concetuais e de operacionalização as medidas de gestão curricular. 7- Monitorização dos instrumentos e modalidades de avaliação dos alunos

Metodologias

Nesta ação de formação serão desenvolvidas metodologias ativas participativas e colaborativas , procurando promover a reflexão teórica sobre as temáticas elencadas e trabalho de carácter prático a pares e em grupos. A componente teórica será realizada a partir de um conjunto de slides, filmes e artigos, orientada pelos formadores, estimulando a reflexão e partilha de conceitos. A componente prática irá incidir em grupos de discussão com guiões orientadores, trabalho de grupo para análise de diversos instrumentos curriculares, refletindo as adequações necessárias aos diferentes perfis de aprendizagem dos alunos com deficiências, metodologias de trabalho e de avaliação. Serão utilizadas as novas tecnologias (padlet) na partilha da informação, documentos, trabalhos realizados pelos formandos ao longo da ação. Estes meios possibilitarão a inclusão de materiais de acordo com as necessidades que se forem detetando e contatos entre todos os intervenientes na formação.

Avaliação

De acordo com o RJFCP Decreto-Lei n.º 22/2014, de 11 de fevereiro e nos termos dos números 5 e 6, do artigo 4.º do Despacho n.º 4595/2005, de 6 de maio, valorizando-se a lógica formativa e de acompanhamento. Assim, a avaliação dos formandos terá incidência na: Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação das atividades práticas (30%) - realização das atividades (30%) - Relatório final de reflexão crítica (40%) Escala de avaliação: de 1 a 10 valores 1 a 4,9 valores: Insuficiente; 5 a 6,4 valores: Regular 6,5 a 7,9 valores: Bom 8 a 8,9 valores: Muito Bom 9 a 10 valores: Excelente

Bibliografia

Dec. Lei n.º 55/2018 de 6 julho, Dec. Lei n.º 54/2018 de 6 julho DGE (2018). Manual de Apoio à Prática; DGE .Perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória. DGE Aprendizagens essenciais;


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 16-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 23-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 30-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 06-11-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 13-11-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 20-11-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 27-11-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 04-12-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 126T1- 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-116979/22

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 12-10-2023

Fim: 16-11-2023

Regime: e-learning

Local: Plataforma Zoom

Formador

Marta Gomes

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

No início de cada ano letivo, as Bibliotecas Escolares deparam-se com novos professores bibliotecários e professores com algumas horas na equipa, sem conhecimentos na área da biblioteconomia. A cadeia e o tratamento documental são essenciais para o funcionamento de uma biblioteca no apoio à comunidade escolar. Com os catálogos em linha em rede nos agrupamentos e concelhios torna-se prioritário a uniformização de dados. Esta formação é primordial para os professores das Bibliotecas Escolares porque necessitam de conhecimentos das técnicas de tratamento documental do espólio da biblioteca escolar.

Objetivos

Gerais - No final da ação os formandos serão capazes de compreender os princípios fundamentais da área da biblioteconomia, os mecanismos de produção e processamento de diferentes tipologias documentais. Específicos: - Compreender as várias etapas do circuito de um documento (seleção, aquisição, registo e carimbagem, catalogação, classificação e indexação, cotagem e arrumação); - Conhecer os diferentes tipos de documentos: registos impressos, vídeos, sonoros, eletrónicos, gráficos e contínuos. - Produzir descrições bibliográficas normalizadas de monografias e respetivos pontos de acesso, que consiste na análise exterior do documento de onde é feita a descrição dos seus dados bibliográficos e nos permite a identificação do documento: autor, título, edição, publicação, descrição física, coleção, notas, ISBN, etc., para empréstimo automatizado num programa de gestão de bibliotecas.

Conteúdos

1. O Documento: conceitos Circuito do documento: a cadeia documental ; compreender as várias etapas de um documento, desde a entrada de um livro na biblioteca até à sua arrumação nas estantes. 2. Descrição Bibliográfica Normalizada Tomar conhecimento dos vários manuais de apoio à descrição bibliográfica normalizada atualmente existentes e como os utilizar: . ISBD - Descrição Bibliográfica Internacional Normalizada de Monografias; . Unimarc - Formato bibliográfico; . Regras Portuguesas de Catalogação. 3. A descrição manual e automatizada de recursos bibliográficos (catalogação): . Monografias . Analítico A catalogação compreende a realização das seguintes tarefas: análise exterior do documento, identificação e seleção dos elementos essenciais do documento que permitam identificá-lo, descrição bibliográfica do documento, recuperando os elementos constantes do registo. Esta descrição é feita numa ficha bibliográfica segundo normas internacionalmente definidas e automatizada em computador num programa de gestão de bibliotecas. Entende-se por monografia toda a obra com uma unidade de conteúdo, com texto e por vezes com ilustrações. Ela pode ser constituída por um ou mais volumes, publicados numa mesma data ou em momentos diferentes, segundo um plano preestabelecido. Entende-se por analítico uma parte componente de uma monografia, ou seja, um capítulo de um livro. 4. Exercícios Práticos Realização de exercícios de catalogação de monografias e de analíticos.

Metodologias

- O Documento: conceitos - sessão teórica - Descrição Bibliográfica Normalizada - sessão teórica - A descrição manual e automatizada de recursos bibliográficos (catalogação) - sessões teórico/prática - Exercícios práticos -sessões práticas

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação nas sessões de formação (30%) - Realização das atividades práticas (30%) - Relatório final de reflexão crítica (40%) - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

FLA - Descrição bibliográfica internacional normalizada (ISBD): edição consolidada. Lisboa : Biblioteca Nacional, 2012. 356 p. ISBN 978-972-565-479-8IFLA - Manual Unimarc : formato autoridades. Lisboa : Biblioteca Nacional, 2008. 309 p. ISBN 978-972-565-432-3IFLA - Manual Unimarc : formato bibliográfico. Lisboa : Biblioteca Nacional, 2008, 910 p. ISBN 978-972-565-439-2 SOTOMAIOR, José Carlos . Regras de catalogação: descrição e acesso de recursos bibliográficos nas bibliotecas de língua portuguesa. Lisboa: BAD - Associação Portuguesa de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas, 2008. 1075 p. ISBN 978-972-9067-38-9


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 12-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 17-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 19-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
4 24-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
5 26-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 31-10-2023 (Terça-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
7 09-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 16-11-2023 (Quinta-feira) 17:00 - 21:00 4:00 Online síncrona

Ref. 127T1 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120589/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 09-10-2023

Fim: 27-11-2023

Regime: e-learning

Local: Zoom

Formador

Francisco Solipa

Paula Cristina Nogueiro Mesquita

Destinatários

Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância e Professores dos Ensinos Básico e Secundário e de Educação Especial. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

A escola enquanto espaço de apropriação e construção de conhecimento tem o dever de apetrechar alunos e professores com competências e saberes adaptados à nova civilização cognitiva. A gamificação propõe aumentar o envolvimento e a motivação dos alunos na aprendizagem através de elementos de jogo. Nesse sentido, diante do desafio de preparar recursos úteis para as necessidades da sala de aula nos dias de hoje, selecionamos ferramentas digitais com características de gamificação que podem ser utilizadas para captar a atenção dos alunos, motivá-los na realização de tarefas e auxiliá-los na compreensão dos conteúdos. Nessa ação, serão utilizadas diversas ferramentas, tais como Intuitivo, Quizizz, Mentimeter, Edpuzzle, Coogle, Genially, Padlet, Voki e Live Polls, entre outras. A gamificação torna os alunos mais atentos aos desafios, premiando o seu progresso. Além disso, facilita a interação entre os indivíduos e cria canais de comunicação, permitindo um feedback instantâneo e a criação de comunidades de compartilhamento. Dessa forma, o professor poderá criar de forma simples momentos desafiadores, divertidos e envolventes para os alunos, proporcionando uma experiência de aprendizagem mais significativa.

Objetivos

Este curso de formação tem como objetivo capacitar os professores com competências para: · Integrar dinâmicas e mecanismos de gamificação em processos educativos, como classificações, pontos, troféus, entre outros; · Desenvolver atividades pedagógicas gamificadas; · Promover o uso de tecnologias digitais no processo de aprendizagem, aproximando-o das dinâmicas sociais atuais; · Identificar os fatores conceituais e operacionais que podem facilitar ou dificultar a integração e utilização de tecnologias digitais no contexto educacional.

Conteúdos

Sessão 1 Gamificação: objetivos, áreas de aplicação, exemplos, ferramentas e criação de um projeto. Gamificação na educação: Wordwall Sessão 2 Gamificação na educação: Genially Quiz Jogos Escape Room Sessão 3 Sondagens: Mentimeter; Vídeos interativos: Edpuzzle. Sessão 4 Rever e avaliar conhecimentos: Intuitivo Classificação Clássica Classificação por Rubrica Sessão 5 Quizzes: Quizizz Quiz Lição Sessão 6 Criação de um projeto de Gamificação Mapas mentais: Coogle Trabalho colaboraivo: Padlet Sessão 7 Estratégias de gamificação: Storytelling: Voki Envolver a audiência: Live Poolls Sessão 8 Apresentação e discussão do portefólio dos formandos; Reflexão sobre as repercussões da formação na prática pedagógica.

Metodologias

As atividades a realizar no curso decorrem em sessões síncronas, teórico/práticas, num total de 25 horas. As sessões deverão ser de carácter predominantemente prático, com alguns momentos expositivos/demonstrativos. Propõe-se a utilização da metodologia de aprendizagem baseada na realização de tarefas, enfatizando que as atividades integradoras devem ser desenvolvidas com a preocupação de relacioná-las aos contextos e experiências profissionais dos participantes.

Avaliação

A avaliação da atividade desenvolvida por cada formando será realizada de modo continuado pelos formadores e tem como referência os objetivos e finalidades da ação. São tomados em consideração os seguintes aspetos, de acordo com a Carta Circular CCPFC 3/2007: - Elaboração dos trabalhos práticos e reflexões efetuadas durante as sessões presenciais, sujeitas a critérios de classificação previamente estabelecidos; - Relatório final individual; - Classificação dos parâmetros avaliados na escala de 1 a 10, com a competente menção qualitativa global, em conformidade com os critérios de avaliação vigentes no Centro de Formação, necessitando os formandos de obter a pontuação mínima de 5 valores e a frequência de pelo menos 2/3 do total de horas para obterem aprovação na ação de formação; - Creditação final de acordo com o regulamento da modalidade.

Bibliografia

Gamificação na educação: o que é e como pode ser aplicada. Disponível em https://sae.digital/gamificacao-na-educacao/Gamificação no Ensino. Disponível em: https://www.ipp.pt/noticias/gamificacao-no-ensinoGamificação como atividade lúdico-didática no ensino. Disponível em: http://repositorium.sdum.uminho.pt/handle/1822/63277


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 09-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
2 16-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 23-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
4 30-10-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 06-11-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
6 13-11-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
7 20-11-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
8 27-11-2023 (Segunda-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona

Ref. 131T1 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120641/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 25-09-2023

Fim: 21-10-2023

Regime: e-learning

Local: Zoom

Formador

Francesco Luciani

Destinatários

Professores de Grupos de recrutamento 110, 250, 610, M01 a M45

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de Grupos de recrutamento 110, 250, 610, M01 a M45. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Os espetáculos em âmbito escolar são, portanto, uma mais-valia no desenvolvimento e crescimento académico dos alunos, ao mesmo tempo que são um contributo para a coesão de toda a comunidade escolar e proporcionam uma maior abertura da Escola à comunidade local, regional e nacional em que está inserida. Por outro lado, a organização de espetáculos musicais escolares, possibilita a interação entre diferentes disciplinas e exige aos professores e à Escola a aplicação e desenvolvimento de competências de organização, segurança e gestão, que lhes permitem responder a necessidades de maior interação, comunicação e coordenação com os alunos e encarregados de educação, bem como com a restante comunidade escolar. Trata-se de uma atividade de particular responsabilidade e em que é essencial o cuidado e atenção a diferentes pormenores. Esta ação de formação destina-se, assim, à renovação e atualização de conhecimentos dos docentes no âmbito da montagem de um espetáculo musical na Escola. Nesse sentido, propõe-se aos formandos um percurso formativo que trata da organização de espetáculos musicais a 360 graus. O curso tem por alvo os professores ligados ao ensino da música nos vários graus escolares - desde o 1º ciclo até ao ensino especializado da música, passando pelas disciplinas de música e educação musical, - os quais têm que organizar frequentemente espetáculos musicais que façam parte de atividades escolares, clubes temáticos, ciclos musicais, concursos, temporadas ou festivais de música. As temáticas abordadas cruzam assuntos de várias áreas do conhecimento, desde temas didáticos e pedagógicos, até noções de comunicação, de gestão e técnicas de palco, passando pela legislação aplicável a espetáculos públicos e regras básicas de segurança.

Objetivos

1. Usar técnicas simples para trabalhar com os seus alunos a preparação de uma performance musical. 2. Entender todas as vertentes que são necessárias para a realização de um evento musical na Escola. 3. Ser capazes de utilizar ferramentas de comunicação básicas e simples para comunicar e divulgar os espetáculos musicais escolares em que participa. 4. Criar um plano de execução para a realização de um espetáculo musical na Escola

Conteúdos

Módulo 1 | - Preparar os alunos para uma apresentação musical ao vivo - Técnicas de estudo e preparação de músicas e peças musicais - Apoiar o aluno no planeamento do estudo e preparação da performance musical - Apoiar o aluno na criação de uma rotina de estudo/preparação em casa - Como lidar com a ansiedade e o medo do palco Módulo 2 | - A organização de um espetáculo Musical na Escola - Os tipos de espetáculo musical no âmbito escolar - O espetáculo musical escolar enquanto evento - Planeamento logístico de um espetáculo musical escolar - A criação e gestão de equipas multidisciplinares para organização do evento - O envolvimento dos pais na criação do espetáculo musical - Pormenores técnicos: segurança e direitos de autor Módulo 3 | - A comunicação de um espetáculo musical escolar - O envolvimento dos pais e da comunidade escolar no espetáculo musical escolar - A abertura do espetáculo musical e da Escola à comunidade local - A divulgação do espetáculo musical: da imprensa às redes sociais da Escola Módulo 4 | - O Planeamento do Espetáculo Musical na Escola - Dicas e Boas práticas para a organização de de um espetáculo musical Escolar - A criação de um plano de execução de um espetáculo musical escolar

Metodologias

SESSÕES SÍNCRONAS· Dinâmicas de grupo; · Pequenos debates que visam sedimentar conhecimentos e esclarecer quaisquer dúvidas que os formandos tenham acerca dos conteúdos do curso; · Métodos expositivo e demonstrativo (demonstração e utilização acompanhada de ferramentas úteis para a organização e divulgação de um evento escolar). · Tutoriais e recursos multimédia (som e vídeo), · E-Manuais digitais (material escrito sob a forma de manual digital), · Perguntas de resposta aberta, · Fóruns, · Glossários, · Salas de discussão, · Formulários, · Email.

Avaliação

Os formandos serão avaliados conforme estipulado na Carta Circular CCPFC -3/2007 da responsabilidade conjunta do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua e da Direção Geral dos Recursos Humanos da Secretaria de Educação: «Excelente - de 9 a 10 valores; Muito Bom - de 8 a 8.9 valores; Bom - de 6.5 a 7.9 valores; Regular - de 5 a 6.4 valores; Insuficiente - de 1 a 4.9 valores.»

Bibliografia

ARAÚJO, Joana Mafalda Peixoto (2013). Ansiedade na performance em crianças e adolescentes: algumas estratégias pedagógicas de autocontrolo. Universidade do Minho (Dissertação de Mestrado). Braga.BOBONE, Paula (2010). Eventologia : ciência e artes da criação e gestão de eventos. Universidade Fernando Pessoa. PortoGORDON, Edwin E. (2015). Teoria de aprendizagem musical: competências, conteúdos e padrões. Fundação Calouste Gulbenkian. Lisboa.ISIDORO, Ana Margarida et al. (2014). Manual de organização e gestão de eventos. Sílabo, LisboaMARTINGO, Ângelo et al. (2018). A música e o corpo. Letras e Coisas. Lavra.


Observações

MODALIDADE DE PAGAMENTO : Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ TRANSFERENCIA BANCARIA Para o IBAN PT50003503550003809353096  SUBMETA o comprovativo de pagamento na sua área pessoal do CFAMM ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 25-09-2023 (Segunda-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
2 27-09-2023 (Quarta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online assíncrona
3 29-09-2023 (Sexta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online assíncrona
4 02-10-2023 (Segunda-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
5 04-10-2023 (Quarta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online assíncrona
6 06-10-2023 (Sexta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online assíncrona
7 09-10-2023 (Segunda-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
8 11-10-2023 (Quarta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online assíncrona
9 13-10-2023 (Sexta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online assíncrona
10 16-10-2023 (Segunda-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online síncrona
11 17-10-2023 (Terça-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online assíncrona
12 19-10-2023 (Quinta-feira) 21:00 - 23:00 2:00 Online assíncrona
13 21-10-2023 (Sábado) 09:30 - 11:30 2:00 Online síncrona

Ref. 171T1- 23/24 Concluída

Registo de acreditação: CCPFC/ACC-120762/23

Modalidade: Curso de Formação

Duração: 25.0 horas

Início: 21-09-2023

Fim: 15-11-2023

Regime: e-learning

Local: Zoom

Formador

Niki Paterianaki

Destinatários

Professores de grupos de recrutamento 320,330,350

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de grupos de recrutamento 320,330,350. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores de grupos de recrutamento 320,330,350.

Acreditado pelo

CCPFC - Conselho Científico Pedagógico de Formação Contínua

Enquadramento

Falar é uma habilidade natural e socialmente o Homem aprende formas de usar a língua nas situações comunicativas concretas. A escola pretende preparar o aluno para exercer o seu papel de cidadão ativo na sociedade. Logo, é importante que o aluno se saiba expressar com confiança, fluência e correção linguística nas diferentes situações comunicativas. Assim, é pertinente desenvolver substancialmente a comunicação oral na sala de aula. O domínio de capacidades de comunicação oral pressupõe que se realize trabalho em três grandes áreas: a compreensão, a interação e a expressão. A aula de língua deve ser mais participativa e menos expositiva da parte do professor. A aula tradicional, em que o professor expunha conhecimentos, coloca o aluno num papel passivo. Poderá haver momentos de exposição de conhecimentos, mas eles têm de ser alternados com outras metodologias, centradas no aluno. A aquisição de uma língua depende do papel ativo do aluno, a fim de ser usada como instrumento de comunicação. Duas importantes destrezas, que são a mediação (usar a língua para que outros interlocutores possam receber a mensagem) e a interação (emitir e receber informação). Quando o aluno compreende determinado processo de obter informação, ele poderá percorrer esse caminho quando precisar. Pelo contrário, se memoriza um vocábulo ou uma informação poderá esquecer-se. Contudo, o número de alunos por turma apresenta um desafio para o professor que quer trabalhar a oralidade, em nível de monitorização e de gestão. Assim, não é incomum que muitos professores optam por o modelo de Apresentação- Prática- Produção, onde o professor mantem sempre o controle da comunicação.

Objetivos

A aprendizagem de línguas estrangeiras é um processo que requer que os professores considerem a demonstração de diferentes papéis na sala de aula. Nas aulas de língua estrangeira, espera-se que os professores ensinem eficazmente, para orientar os alunos e para manter a ordem na sala de aula, e devem ser encorajados a utilizar a sua energia, o seu conhecimento e a sua motivação. Assim, os professores devem desempenhar vários papéis de acordo com as competências e necessidades dos alunos. Durante as atividades de oralidade, o professor da L2 atua como: · Observador · Fornecedor de feedback · Organizador · Avaliador · Motivador · Prompter · Participante · Monitor O principal objetivo deste curso é mostrar aos professores como podem diversificar e adaptar o seu papel com um dos focos sendo a competência comunicativa na maioria das suas aulas. Também, como gerir de forma eficaz o espaço da sala e os grupos de alunos e conseguir empenhar os papeis acima mencionados. Por fim, demostrar como pode transformar qualquer exercício numa atividade oral

Conteúdos

Sessão 1 - Identificar desafios da prática de oralidade na sala de aula (turmas grandes) - Formas de ajudar/encorajar os alunos a definir objetivos para melhorar as Competências de Falar - Técnicas para maximizar o uso da L2 na sala de aula - Como insistir no uso da L2 tanto da parte do docente como do aluno: demonstração de uma aula em grego, seguida por reflexão da parte dos docentes (identificar técnicas utilizadas sem usar a língua materna). Sessão 2 - Formas de ensinar competências de audição e comunicação para equipar os alunos a fim de melhoras as suas capacidades na L2 também de forma autónoma. A Modelação Interativa dá aos estudantes uma imagem clara destas competências e uma oportunidade imediata de as praticar e receber feedback. - Como praticar a capacidade de ouvir e de interagir. Demonstrar aos professores atividades e jogos que reforçam a capacidade dos alunos de audição ativa, enquanto se divertem. Fornecer apoio contínuo através da exibição de gráficos de âncora que listam as expectativas, tais como: vozes desligadas, olhos no orador, atenção focada no orador. - Proporcionar múltiplas oportunidades de praticar. Sessão 3 Trabalho individual Sessão 4 - Criar planos de aula com foco principal a oralidade. Como adaptar as atividades do manual. - Desenvolver um plano de apoio à prática do discurso principal dos estudantes e capacidade de escuta - Apoiar os alunos com ferramentas essenciais para uma comunicação independente. - Técnicas para gerir grupos de trabalho e monitorizar a oralidade. - Dar feedback /feedforward positivo, explícito e inclusivo na língua alvo: fazer com que os estudantes reflitam sobre o seu progresso em termos de competências de audição e fala. - Monitorizar a oralidade usando meios digitais. - Formas de avaliar a oralidade Sessão 5 Trabalho individual Sessão 6 - Criar momentos de oralidade nas aulas sem ter de investir tempo na preparação de matérias adicionais (ou seja, fora do manual), como: Discussões, Role-play, Simulações, Information Gap, Brainstorming, Narração de histórias, Entrevistas, Conclusão da história, Relatar, Cartas de jogo, Narração a partir de imagens, Descrição de imagens, Encontrar a diferença, Pronunciation drills etc. - Como incorporar as outras destrezas com objetivo final a oralidade - Aprendizagem interativa que variam as formas de praticar as competências, tais como Inside-Outside Circles, Four Corners, Maître d', Swap Meet, Partner Chat, Table Talk, FlipGrid, Edpuzzle, etc. Sessão 7 Trabalho individual Sessão 8 Apresentação dos trabalhos dos formandos

Metodologias

Sessões teóricas / ou teórico práticas 1.Identificação do desafio: análise da causa raiz e identificação de pessoas. Análise da Causa Raiz: definir o desafio- avaliar o seu estado atual- apresentar ideias sobre a forma de o resolver e potenciais ações de seguimento. Identificação de Pessoas: docentes e alunos: -Análise do perfil do aluno/professor com todos os participantes da ação; desafios Sessões práticas 2. Ideação O objetivo é apresentar/criar/selecionar ideias: originalidade/simplicidade/eficácia das ideias; facilidade de implementação; incentivar os participantes a idealizar, descrever, avaliar e discutir as ideias selecionadas. Em suma: seleção, desenvolvimento e apresentação das ideias/estratégias/ferramentas. a. Seleção de ideias b. Desenvolvimento de Ideias 3. Aplicação prática: criação, produção (em sessão assíncrona - moodle : propostas de trabalho ) 4. Avaliação da ação / Curso (apresentar o trabalho)

Avaliação

- Instrumentos de avaliação dos formandos e respetiva ponderação: - Participação das atividades práticas (30%); - Trabalho dos formandos na Aplicação prática: criação, produção (30%) - Relatório final de reflexão crítica (40%) - De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

1. S.A.Gómez, R. (2004). La comprensión oral In Lobato, J. (dir.). Enseñar español como segunda lengua (L2) / lengua extranjera (LE). 1ªed., Madrid: SGEL.2. Fernández López, S. (2003). Propuesta curricular y marco común europeo de referencia: Desarrollo por tareas. 1ª ed., Madrid: Edinumen.3. Harmer, J. (2010). How to Teach English (6th ed.). Harlow, Essex, England: Pearson Longman 4.Kim McDonough, Alison Mackey. (2013). Second Language Interaction in Diverse Educational Contexts. Amsterdam, The Netherlands: John Publishing Company. 5. Leu, E. (2005). The role of teachers, schools and Communities in Quality of Education: A review of the Literature. Washington, DC: Global Education Center.

Anexo(s)


Observações

Modalidade de Pagamento: Associado/a: 40€ Não Associado/a: 85€ Transferência bancária para o IBAN PT50003503550003809353096  Submeta o comprovativo de pagamento na sua área pessoal ATENÇÃO: As inscrições só ficam validadas/confirmadas após o respetivo pagamento e a submissão do comprovativo Pedido de mais Informações para   T. 218 246 020 ou  cfamm@assp.pt  NOTA: Os/as associados/as deverão ter as quotas regularizadas Após a conclusão da ação, o certificado ficará disponível. na sua área pessoal Caso pretenda envio por via postal, o custo é de €5,00

Cronograma

Sessão Data Horário Duração Tipo de sessão
1 21-09-2023 (Quinta-feira) 18:30 - 21:00 2:30 Online síncrona
2 27-09-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
3 04-10-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
4 11-10-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
5 19-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona
6 26-10-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
7 02-11-2023 (Quinta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online assíncrona
8 15-11-2023 (Quarta-feira) 18:00 - 21:00 3:00 Online síncrona