209

Promover as Aprendizagens Essenciais de Inglês nos 1.º, 2.º , 3º ciclos/secundário com estratégias digitais turma T1 23/24

Apresentação

A promoção das Aprendizagens Essenciais de Inglês (AEI), nos 1.º, 2.º e 3º ciclos e Secundário, concorre para a construção das competências-chave definidas no Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória. No processo de aprendizagem da segunda língua, espera-se que os alunos desenvolvam e alarguem a competência da comunicação e interação com outros indivíduos, através dos domínios da linguagem, informação e comunicação. Neste processo é promovido o conhecimento de uma metalinguagem facilitadora da aquisição de outras línguas e desenvolvida a capacidade de pesquisa e validação de informação alargando as competências de comunicação. A concretização curricular das AEI deve, por conseguinte, potenciar experiências que estimulem as competências cognitivas e digitais dos alunos, nomeadamente o raciocínio lógico, o pensamento crítico e criativo, na resolução de problemas e gestão de projetos. Ao executar as AEI o docente necessita de recorrer a diversas atividades e ambientes híbridos (digitais e não digitais) que contribuam para a construção alicerçada do aluno de modo que se torne cidadão global e capacitado em múltiplas literacias. Esta ação justifica-se na formação contínua dos profissionais dos grupos de recrutamento 120, 220 e 330 pela necessidade de os habilitar e promover a sua atualização, na execução das orientações curriculares. Consequentemente irá contribuir para a planificação das competências e conhecimentos elencados nas AE em Inglês e na prossecução dos objetivos de avaliação formativa do ensino e da aprendizagem.

Destinatários

Professores dos Grupos 120, 220 e 330

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 120, 220 e 330. Mais se certifica que, para os efeitos previstos no artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Professores dos Grupos 120, 220 e 330.

Objetivos

Com esta ação pretende-se: • Compreender o carácter espiralado e progressivo, vertical e horizontal, das AE. • Promover o conhecimento e informação dos conteúdos das AE. • Apoiar os docentes na conceção pedagógica, crítica e criativa, de materiais didáticos, com recurso a ambientes digitais, para o desenvolvimento de estratégias de ação que atenuem barreiras nas aprendizagens. • Refletir como melhorar os desempenhos orais e escritos dos alunos e o alargamento do léxico. • Familiarizar-se com metodologias e ferramentas digitais adequadas à operacionalização das AE em Inglês: Leitura (R), Compreensão oral (LC), Interação oral (SI), Produção oral (SP), Escrita (W) e Domínio intercultural (ID). • Dotar os docentes de estratégias de monitorização e avaliação formativa do desempenho das competências dos alunos. • Promover a reflexão em torno da articulação interdisciplinar.

Conteúdos

• Conhecimento e compreensão do conteúdo e carácter espiralado e progressivo, vertical e horizontal, das AE de Inglês dos 1.º, 2.º, 3º ciclo e ensino secundário. • Análise das AE, enquanto documento de orientação curricular, em articulação com o PASEO, os Programas, as Metas Curriculares e o Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas (QECR, Conselho da Europa, 2001). • Conceção pedagógica, crítica e criativa, de materiais didáticos, com recurso a ambientes e ferramentas digitais colaborativas, para o desenvolvimento de estratégias de ação que atenuem barreiras nas aprendizagens. • Reflexão e planificação de metodologias e atividades com ferramentas digitais adequadas à operacionalização das AE em Inglês: Leitura (R), Compreensão oral (LC), Interação oral (SI), Produção oral (SP), Escrita (W), Domínio intercultural (ID) e Competência Estratégica. • Familiarização com estratégias de monitorização e avaliação formativa do desempenho das competências dos alunos com recurso a ferramentas digitais. • Reflexão em torno do potencial da articulação interdisciplinar em ambientes digitais e colaborativos. Sessão 1 - 4:00 (Referenciais de orientação curricular para os 1.º,2.º e 3º ciclo e secundário; Análise das AE e dos documentos enquadradores das políticas educativas do Plano Nacional de Transição Digital) Sessão 2 - 4:00 (Análise dos constrangimentos e barreiras nas aprendizagens do Inglês; Exemplificação de plataformas digitais que apoiam a conceção pedagógica e colaborativa de materiais didáticos; Ferramentas digitais adequadas à operacionalização das AE para as competências comunicativas da compreensão oral e escrita em Inglês) Sessão 3 - 4:00 (Ferramentas digitais adequadas à operacionalização das AE para as competências comunicativas da interação e produção escrita em Inglês) Sessão 4 - 4:00 (Ferramentas digitais adequadas à operacionalização das AE para as competências comunicativas da interação e produção oral em Inglês) Sessão 5 - 4:00 (Ferramentas digitais adequadas à operacionalização das AE para as competências Estratégica e do Domínio intercultural em Inglês) Sessão 6 - 4:00 (Conceito de Avaliação para as aprendizagens. Estratégias de monitorização e avaliação formativa do desempenho das competências dos alunos com recurso a ferramentas digitais. Conceção de uma planificação com a integração de rubricas. Realização de um teste no Google Forms para aferição dos conhecimentos adquiridos sobre os conceitos de Avaliação para as aprendizagens. Partilha coletiva das atividades concebidas pelos formandos em plataformas digitais num portefólio digital.) Sessão 7 -1:00 (Pós diagnóstico; Avaliação da ação)

Metodologias

O curso desenvolver-se-á em 7 sessões (15:00 Síncronas + 10:00 Assíncronas), totalmente online com recurso preferencial à plataforma Moodle do CFAMM e ZOOM. Seguirá uma metodologia teórico-prática com um pendor mais prático e de exemplificação dos recursos, combinando momentos de exposição de conteúdos, com reflexão participada a partir de tarefas realizadas individualmente e/ou em grupo. A componente teórica far-se-á com o recurso a suportes audiovisuais e a textos previamente selecionados. Privilegiar-se-á uma dinâmica de metodologia ativa, centrada na discussão, proatividade, partilha e reflexão entre os formandos, designadamente através de discussão individual ou em pares sobre os conteúdos e materiais selecionados (usando fóruns de discussão). Realizar-se-ão questionários; chuva de ideias, entre outros. Como tarefa final, todos irão partilhar os materiais digitais construídos, numa plataforma digital que reúna as atividades e recursos das sessões assíncronas.

Avaliação

A avaliação terá um carácter qualitativo e quantitativo, espelhado numa escala classificativa de 1 a 10 valores correspondente a menções qualitativas. Serão consideradas como componentes de avaliação: o trabalho realizado nas sessões síncronas e assíncronas. A avaliação depende ainda do relatório final individual que explicite e avalie o percurso realizado pelo formando ao longo da ação de formação e que dê conta das suas reflexões críticas no que respeita aos conteúdos da ação. Os registos de avaliação dos formandos atendem a todos os elementos que traduzam o desempenho do formando baseiam-se na: - Participação /Contributos- 30% - Realização/Trabalho de aplicação de conteúdos- 30% - Reflexão Crítica- 40% De acordo com o Art 46º do ECD em vigor e as orientações das Cartas Circular CCPFC-3/2007 e CCPFC-1/2008, os formandos serão avaliados com a menção qualitativa de: - 1 a 4,9 valores - Insuficiente - 5 a 6,4 valores - Regular - 6,5 a 7,9 valores - Bom - 8 a 8,9 valores - Muito Bom - 9 a 10 valores - Excelente

Bibliografia

ROLDÃO, M.C. (2003). Diferenciação curricular e inclusão. In David Rodrigues (org.) (2003) Perspectivas sobre a Inclusão – Da Educação à Sociedade, pp. 151-166. Porto: Porto Editora. ROLDÃO, M.C. (2008). A função curricular da escola e o papel dos professores: políticas, discurso e práticas de contextualização e diferenciação curricular. In Atas do III Colóquio luso-brasileiro das questões curriculares. Florianópolis, 2008. UNESCO (2017). Competências de leitura, escrita e aritmética em uma perspectiva de aprendizagem ao longo da vida. Institute for Lifelong Learning.

Formador

Ana Paula de Sousa Gonçalves Rocha

Início: 09-04-2024
Fim: 21-05-2024
Acreditação: CCPFC/ACC-122454/23
Modalidade: Curso
Pessoal: Docente
Regime: e-learning
Duração: 25 h
Local: None

INSCREVER-ME