197

Educar para Incluir: Práticas Pedagógicas Inclusivas turma T1-23/24

Apresentação

Numa escola que visa a inclusão de todos os alunos numa via comum de ensino, garantido para tal o acesso, a participação e progresso dos mesmos; é incontornável o comprometimento de toda a comunidade educativa com este propósito. Visando tornar a educação um veículo concreto de desenvolvimento de competências no aluno, é determinante repensar os diferentes pilares de ação pedagógica orientados para que a atividade pedagógica seja um motor efetivo dessas mesmas competências. O novo enquadramento legal da educação inclusiva e as orientação nacionais e internacionais são efetivamente um desafio para a formulação e/ou reformulação das práticas, tanto na análise e gestão da diversidade nas comunidades de aprendizagem, como na formulação do objetivos pedagógicos orientados para a tríade da competência e no casamento entre o currículo e os PASEO, na seleção das metodologias pedagógicas que deem corpo e ação aos objetivos propostos, como por fim, às práticas de avaliação. É assim objetivo da presente formação direcionar a reflexão critica dos professores para a compreensão das necessidades de transformação nesses mesmo pilares, à luz de um melhor entendimento dos objetivos, missão e visão da educação inclusiva.

Destinatários

Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial.

Releva

Para os efeitos previstos no n.º 1 do artigo 8.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores, a presente ação releva para efeitos de progressão em carreira de Educadores de Infância, Professores dos Ensinos Básico, Secundário e Professores de Educação Especial.. Para efeitos de aplicação do artigo 9.º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores (dimensão científica e pedagógica), a presente ação não releva para efeitos de progressão em carreira. No âmbito do Despacho n.º 4840/2023, publicado a 21 de abril, a ação de formação, releva na dimensão científico-pedagógica para a progressão da carreira docente.

Objetivos

Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas. Consolidar o entendimento da narrativa da educação inclusiva como uma escola promotora do neurodesenvolvimento holístico de todos os alunos. · Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos. · Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras. · . Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar- Planear- Agir- Rever para a inclusão. · Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens. · Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais.

Conteúdos

Módulo 1: -Enquadramento legislativo e consequências na organização das práticas pedagógicas. Reflexão e exploração dos documentos legislativos na base do enquadramento da educação inclusiva. Reflexão e consolidação da missão, visão e objetivos da educação inclusiva. -Reflexão sobre o impacto das suas propostas sobre os quatro pilares de ação educativa: Analisar, conhecer | Planear, conceber, prever | Agir, fazer agir e apoiar | Avaliar, regular melhorar. Módulo 2: -Analisar e Conhecer a diversidade das comunidades de aprendizagem. -Reflexão sobre a relevância da diversidade nos processos de aprendizagem por modulação comportamental no ser humano. - Apresentação e aplicação de ferramentas de análise intencional da diversidade. -Apresentação de uma proposta de construção de um perfil de funcionamento do aluno e um perfil de heterogeneidade da turma, como ferramentas concretas de gestão da diversidade. Módulo 3: Planear e conceber a prática pedagógica orientada para a tríade da competência. -Reflexão sobre a tríade das competências e a construção neurodinâmica das mesmas dependentes da experiência efetiva dos alunos no decorrer da aprendizagem (participação e progresso). - Reflexão sobre a construção de objetivos pedagógicos integrando conhecimento, capacidades e atitudes: casamento do currículo e do PASEO. -Análise e reflexão sobre diferentes metodologias pedagógicas compatíveis com a construção da experiência de aprendizagem necessária à estruturação neurodinâmica de competências, e em concordância com os objetivos pedagógicos orientados para a tríade da competência. Módulo 4: -Avaliar e regular o processo de desenvolvimento. -Reflexão do papel da avaliação como promotor da regulação do processo de desenvolvimento. -Reflexão sobre a pertinência do papel da avaliação como regulador da experiência de aprendizagem. -Reflexão sobre a diversificação os instrumentos de recolha de informação. - Reflexão sobre a natureza e relevância do feedback no processo de desenvolvimento contínuo dos alunos.

Metodologias

a) Sessões plenárias de formação em grande grupo destinadas à apresentação dos conteúdos pela formadora, análise e discussão dos mesmos, clarificação, sistematização e aprofundamento de conceitos, e reflexão sobre as práticas pedagógicas em articulação com as temáticas dos conteúdos. b) Sessões de trabalho em pequeno grupo destinadas à exploração de materiais, seleção e realização de tarefas relacionadas com os conteúdos, elaboração de propostas de construção de objetivos pedagógicos orientados para a tríade da competência, reflexão sobre metodologias pedagógicas condicentes com a aplicação dos objetivos propostos e ainda reflexão sobre práticas de avaliação compatíveis com as metodologias propostos. c) Sessões plenárias destinadas à discussão dos trabalhos e produtos de reflexão produzidos pelos formandos ao longo das horas de formação ou de trabalho prático de aplicação dos conhecimentos.

Avaliação

A avaliação consta de: Participação na apresentação/discussão/debate dos trabalhos realizados ao longo das sessões; - Elaboração de relatório final individual reflexivo. A avaliação é quantitativa, na escala de 1 a 10, seguindo o regime de avaliação em vigor. Deve-se aplicar a seguinte escala, na conversão da avaliação quantitativa (de 1 a 10 pontos) para a avaliação qualitativa de 5 níveis (entre Insuficiente e Excelente): · Insuficiente: 1 a 4,9 pontos · Regular: 5 a 6,4 pontos · Bom: 6,5 a 7,9 pontos · Muito Bom: 8 a 8,9 pontos · Excelente: 9 a 10 pontos

Bibliografia

Azevedo, Joaquim. (2015). Nenhum aluno pode ser deixado para trás! É preciso renovar os processos pedagógicos e a organização das escolas. Comunicação apresentada na Conferência EPIS-Empresários pela Inclusão Social, sob o tema "Escolas de futuro", realizada na Fundação Calouste Gulbenkian, a 17 de março de 2015. Disponível em http://www.joaquimazevedo.com/Images/BibTex/Nenhum_aluno_pode_ser%20deixado_para_tr%C3 %A1s.pdfBooth, Tony & Ainscow, Mel (2002). Index for Inclusion: Developing Learning and Participation in Schools. CSIE.CAST (2011). Universal Design for Learning guidelines version 2.0. Wakefield, MA: Author. Cosme, Ariana (2017). Escolas e Professores no Séc. XXI: Exigências, desafios, compromissos e respostas. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 17, n. 53, p. 757-776, 2017Fernandes, D. (2014). Avaliação das aprendizagens e políticas educativas: o difícil percurso da inclusão e da melhoria. In M. L. Rodrigues (Org.), Quarenta anos de políticas de educação em Portugal: A construção do sistema democrático de ensino (Volume I, pp. 231-268). Coimbra: Almedina. Disponível em: http://hdl.handle.net/10451/16010Decreto-Lei nº 54/2018 e Decreto-Lei nº 55/2018

Formador

Carina Lobato Faria

Início: 15-04-2024
Fim: 03-06-2024
Acreditação: CCPFC/ACC-120976/23
Modalidade: Curso
Pessoal: Docente
Regime: e-learning
Duração: 25 h
Local: Plataforma Zoom